Boletim Regional: quatro regiões recuperam nível de atividade pré-pandemia em 2021

Publicado em: 28 fevereiro - 2022

Leia todas


Boxes analisam regionalmente a atividade econômica, a massa de rendimento do trabalho, a evolução das balanças comerciais e a dinâmica do crédito. Nordeste é a única região que não recuperou o nível de atividade anual de 2019 (pré-pandemia). Economias regionais apresentam desempenho heterogêneo no quarto trimestre de 2021.

O Banco Central publicou hoje (22/02) o Boletim Regional, com dados e indicadores econômicos das cinco regiões do País no quarto trimestre de 2021, e cinco boxes, sobre crédito, balança comercial, massa de rendimento do trabalho, desempenho das economias regionais em 2021 e atualização dos indicadores usados no cálculo do IBCR.   

No comparativo entre os períodos de outubro a dezembro de 2021 versus julho a setembro de 2021, as regiões apresentaram desempenho heterogêneo no nível de atividade. Houve crescimento em três regiões e recuo nas outras (veja o infográfico abaixo). O Boletim traz a evolução de indicadores que repercutem as decisões de política monetária, como os de produção, vendas, emprego, preços e comércio exterior.  

Boxes

Evolução do Índice de Atividade Econômica Regional em 2021 

As economias das cinco regiões e de todos os estados para os quais se calcula o Índice de Atividade Econômica Regional (IBCR) cresceram em 2021, refletindo, em especial, a recuperação do setor de serviços, sobretudo de atividades mais afetadas pela pandemia em 2020.   

O boxe mostra que, apesar do crescimento nacional, resultados desiguais entre os setores e especificidades das estruturas produtivas locais levaram às distintas magnitudes de expansão regional. Considerando os dados anuais, apenas no Nordeste o nível de atividade ficou aquém do observado em 2019 (pré-pandemia).  

Evolução regional do crédito no quarto trimestre de 2021 

O último trimestre de 2021 apresentou expansão do crédito tanto para Pessoas Jurídicas (PJ), de 4,2%, quanto de Pessoas Físicas (PF), de 6,1%. Essa expansão foi mantida em relação ao trimestre anterior, apesar das condições financeiras mais restritivas e da acomodação da atividade econômica. Além disso, o saldo de crédito, em termos nominais, foi impactado pelo aumento do nível de preços.  

O boxe mostra que os destaques no segmento PF foram das operações de cartão de crédito à vista, relacionadas ao consumo de bens e serviços, do crédito consignado e dos financiamentos rurais e imobiliários, que continuaram registrando os melhores desempenhos. No segmento corporativo, além do aumento nas linhas de curto prazo, destacaram-se as amortizações em outros créditos direcionados, relacionadas ao fim dos programas de crédito emergencial.  

Massa de rendimento do trabalho 

Após redução acentuada no início da pandemia, a massa de rendimento do trabalho, que é o produto da população ocupada pelo rendimento médio do trabalho, registrou recuperação, mas ainda está abaixo da registrada em 2019.   

Entre as regiões, o Nordeste apresentou o desempenho menos favorável, contrastando com o Norte, única região que superou o nível pré-pandemia. A estrutura setorial dos ocupados, mais concentrada em setores menos impactados pela pandemia, contribuiu para suavizar a queda no Sul – onde há maior participação dos serviços às empresas e da agropecuária –  e, em menor grau, amplificar as perdas no Nordeste.   

Evolução das balanças comerciais regionais em 2021 

O boxe analisa a evolução das balanças comerciais regionais em 2021, identificando os principais produtos responsáveis pelas variações nos saldos comerciais.  

Com a alta dos preços internacionais de commodities e a continuidade do real em nível depreciado, o saldo da balança comercial do Brasil em 2021 superou em US$11 bilhões o resultado de 2020, apesar da elevação acentuada das importações, principalmente de bens intermediários.   

O aumento do saldo da balança comercial foi observado nas regiões Sudeste e Norte, nessa última refletindo sobretudo o desempenho favorável nas vendas de minério de ferro, preponderantemente direcionadas à China. Em sentido contrário, houve redução do saldo comercial de Centro-Oeste, Sul e Nordeste em 2021, regiões que tiveram o maior aumento das importações.  

 Atualização dos indicadores usados no cálculo do Índice de Atividade Econômica Regional (IBCR)

O boxe apresenta atualização dos indicadores utilizados no cálculo do IBCR para as seguintes atividades econômicas: i) pecuária; ii) construção; iii) atividades profissionais, científicas e técnicas, administrativas e serviços complementares; iv) educação e saúde privadas; e v) administração, defesa, saúde e educação públicas e seguridade social.  


Fonte: Banco Central


Notícias Relacionadas:



Publicidade