BRDE bate meta anual de crédito para o PR (R$ 1 bi) em outubro

Publicado em: 12 novembro - 2020

Leia todas


Ao bater, já em outubro último, a meta de R$ 1 bilhão em concessões de crédito do BRDE (Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul) para 2020, o Paraná participa com 40,52% do total de créditos concedidos pela instituição financeira na Região Sul. Na maior parte dos casos, os créditos têm como destino o setor rural, empresas de todos os portes e prefeituras. A expectativa agora é de que o estado alcance volume de créditos de R$ 1,2 bilhão, até o final do ano.

Segundo o vice-presidente e diretor de Operações do BRDE, Wilson Bley Lipski, ao obter esse resultado, o Paraná desponta como o líder em concessão de crédito na região, como reflexo, ainda, do “conjunto de ações do banco para assistir empresas de todos os portes, na área de investimentos”.  

Um exemplo é o Programa Recupera Sul, implantado para a retomada de investimentos no período pós-crise de 2018 e 2019, e que contou com recursos de R$ 300 milhões. Este ano, porém, ele se tornou uma linha de capital de giro para empreendedores.

Além do Programa Recupera Sul, o BRDE tem captado recursos junto a instituições multilaterais internacionais, mediante contratos assinados com a Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD), Banco Europeu de Investimento (BEI) e com Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF).  

Lipski lembra que o banco atua na retomada de recursos do Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (FCO), voltado ao financiamento de empreendimentos em energia renováveis (PCHs, biomassa, parques eólicos e centrais fotovoltaicas) em Mato Grosso do Sul.

No campo da sustentabilidade, o BRDE deverá continuar no Programa de Produção e Consumo Sustentáveis (PCS) e no Programa Inovacred, que permite o repasse de recursos a empreendedores inovadores, comentou o vice-presidente. A gerente de Operações Juliana Dallastra, por sua vez, assinala que a instituição passou a ser uma alternativa, no momento em que a maior parte dos bancos reduzia sua exposição e, por consequência, o crédito no mercado. “Buscamos funding e atuamos fortemente no financiamento ao capital de giro que, embora não seja o nosso foco, era o que o mercado precisava no momento de crise”, arrematou.

Devido à pandemia e o decorrente distanciamento social, o BRDE passou a acelerar seu processo de digitalização, disponibilizando ao público uma plataforma que lhe permitiu encontrar soluções de financiamento ‘diretas e rápidas’.

Lipski comenta que, a partir de agora, “por meio do Internet Banking, o paranaense pode tratar de processos de maneira remota e acessível, solicitar financiamento e receber atendimento profissional pela equipe do BRDE”. Apenas em financiamentos de longo prazo, os investimentos do banco ao setor privado atingem hoje R$ 5 bilhões.


Por Redação MundoCoop


Notícias Relacionadas



Publicidade