Cooperativas Cresol financiam mais de R$ 3,3 milhões via Pronaf Investimento

Publicado em: 09 janeiro - 2017

Leia todas


O Sistema Central Cresol Sicoper, de julho até o início de dezembro de 2016, mais de 114 projetos de práticas sustentáveis foram encaminhados pelas Cooperativas filiadas, totalizando mais de R$ 3,3 milhões investidos nestas práticas.

Criado em 1995, o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura (Pronaf) se tornou um importante aliado no desenvolvimento e consolidação do segmento agrícola de pequeno e médio porte. Através de linhas de custeio e investimento, possibilita aos agricultores ampliar a produção de alimentos, diversificar e modernizar as atividades e, assim, estimular o desenvolvimento rural.
Para a agricultura familiar, além da ampliação do trabalho e da renda, o Pronaf Investimento incentiva o desenvolvimento e a garantia de uma agricultura sustentável. Assim, oferece linhas de crédito para preparação do solo, manejo e controle de ervas daninhas, insetos e fungos, e, ainda, colheita e armazenagem de produtos de forma adequada. Através destas linhas, o agricultor pode acessar crédito para recuperação do solo, formação e recuperação de pastagens, irrigação, construção de silos secadores, energias renováveis e Pronaf Agroecologia. Tudotivas Cresol ficam com os sistemas de armazenamento (silos, galpões, paióis), máquinas para pecuária leiteira, irrigação e conservação do solo.

Conforme o diretor Comercial da Central Cresol Sicoper, Claudio Risson, o objetivo do crédito rural é melhorar as condições de produção, gerando mais renda e ganhos para o agricultor. “As linhas sustentáveis são de extrema importância para os agricultores familiares, pois, além de apresentar benefícios ao meio ambiente, possibilitam maior autonomia, redução de custos e agregação de valor aos produtos. Para a Cresol, enquanto instituição financeira, este é um compromisso que vai além do crédito, diz respeito a vida e a atividade que o agricultor desempenha. Por isso, promover, divu isso com juros de 2,5% ao ano e com prazo máximo de 10 anos para o pagamento.

Risson salienta ainda que a agricultura familiar é um dos setores que menos sofre com a crise econômica e é o responsável pela produção da maior parte dos alimentos consumidos no país. “Tudo isso porque o crédito faz acontecer, tornando as políticas públicas, em especial o Pronaf, uma necessidade. E é por estes resultados positivos que há grande expectativa na continuidade destas linhas”, conclui.