Sicredi reforça parcerias e compromisso com o meio rural

Publicado em: 11 janeiro - 2017

Leia todas


Ao encerrar 2016, o Sistema Sicredi comemora o crescimento de 60% no atendimento da cadeia agrícola dos campos gerais, com a liberação de R$ 312 milhões em recursos para o custeio agrícola, volume 60% superior ao registrado em 2015. Em nível nacional, o Sicredi já é o 3° maior repassador de Crédito Rural no Brasil, com volume que superou os R$ 15 bilhões. No Paraná a condição é ainda melhor, ficando na segunda posição em recursos liberados.  

De acordo com o presidente da regional Sicredi Campos Gerais, Popke Ferdinand van der Vinne, este crescimento se deve em parte a consolidação da marca Sicredi em nível nacional, porém não deixando de lado a forte ligação das cooperativas com as regiões onde atuam. “Hoje o Sicredi está presente em 20 estados do país, mas a forma de organização com área de atuação permite que tenhamos um olhar especial para cada região onde atuamos. Nos Campos Gerais, o Sicredi nasceu para apoiar e desenvolver o agronegócio, cresceu e expandiu sua atuação para todos os públicos, mas continua sendo um forte parceiro do homem do campo”, destaca o presidente.

Já o diretor executivo da Sicredi Campos Gerais, Márcio Zwierewicz, reforça que os diferenciais da instituição financeira, como participação nos resultados e atuação regionalizada, estão cada vez mais claros na cabeça dos associados. “O produtor rural sabe que pode contar conosco e que terá retorno ao investir e apoiar a cooperativa de sua cidade. Além de ter um atendimento personalizado, que entende suas demandas, o lucro obtido pela agência é compartilhado com o associado, proporcionalmente ao volume de suas operações”, revela.

O diretor destaca ainda o resultado recorde atingido pela Sicredi Campos Gerais em 2016. “Devemos fechar o ano com mais de R$ 30 milhões de resultado positivo na regional Campos Gerais. Deste montante, mais de R$ 10 milhões serão devolvidos na conta capital dos nossos associados conforme a movimentação financeira de cada um”, explica Zwierewicz.