Agenda Institucional do Cooperativismo 2021 é divulgada

Publicado em: 23 abril - 2021

Leia todas


Ontem (22) foi realizado um evento online para o lançamento da Agenda Institucional do Cooperativismo 2021. A live contou com a participação de Márcio Lopes de Freitas, Presidente do Sistema OCB; Arthur Lira, Presidente da Câmara dos Deputados; Tereza Cristina, Ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento; Roberto de Oliveira Campos Neto, Presidente do Banco Central e Evair de Mello, Presidente da Frente Parlamentar do Cooperativismo (Frencoop).

No primeiro momento, Márcio Freitas ressaltou o desempenho das cooperativas no ano passado, que mesmo no contexto de pandemia, tiveram um crescimento de 10% acima da média nacional. Além disso, ele falou sobre o momento de mudança que a economia está passando. “Os consumidores querem alguma coisa diferente. Uma economia compartilhada e transparente. Eles querem participar mais dos negócios que estão acontecendo, e ter certeza da procedência dos produtos que consomem. E o cooperativismo está conseguindo atender essa nova demanda da humanidade”, disse Freitas.

Enquanto isso o Presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, destacou o trabalho das cooperativas de crédito, que mesmo em meio à pandemia, viram um aumento de 35% em sua carteira. Campos ainda lembrou da capacidade das cooperativas de oferecer crédito a quem não acesso aos grandes bancos, além do alcance a regiões afastadas. “Há muito se sabe que cooperativismo de crédito desempenha um papel relevante no desenvolvimento socioeconômico do País, com impactos regionais importantes em renda, emprego, empreendedorismo e até mesmo no comércio exterior”, afirmou.

Ainda durante o evento, a Ministra Tereza Cristina trouxe para a conversa algumas das medidas que o governo federal tem tomado para assegurar a renda de pequenos e médios produtores, além do lançamento do CRA Garantido, a provação da FIAGRO e o fortalecimento do crédito rural. A Ministra ainda reconheceu o trabalho das coops, e ressaltou que fortalecê-las deve ser uma prioridade, através de programas como o Prodecoop, Procap Agro e o Pronamp. “Hoje 71% dos estabelecimentos rurais de produtores associados a cooperativas são agricultores familiares e metade da produção agropecuária passa pelas cooperativas do setor”, afirmou.

Entre os temas da nova agenda está a preservação do ato cooperativo, a reforma tributária (que busca impedir o aumento dos impostos no setor), a modernização da LC 130/09 (legislação sobre o cooperativismo de crédito), a participação das coops nas legislações, um novo código comercial, parcerias público-privadas, emissão de debêntures, recuperação judicial para as coops e ainda, a implementação do 5G no campo.


Por Redação MundoCoop


Notícias Relacionadas:



Publicidade