Brasil leva segunda maior comitiva a WOCCU (Conferência da União Mundial de Crédito)

Publicado em: 26 julho - 2017

Leia todas


Com 176 participantes, o Brasil é a segunda maior comitiva entre os 54 países representados na Conferência da União Mundial de Crédito 2017 (WOCCU), que, de 23 a 26 de julho, reúne representantes de cooperativas de crédito, na cidade de Viena (Áustria), ficando atrás apenas dos Estados Unidos, com 456 presentes, e seguido de perto do Canadá, que levou 153 pessoas.

Além disso, dois cases do Sicredi – dos seis projetos inscritos pela instituição, que salientam ações focadas na sustentabilidade, inclusão e educação financeira – estão entre os cinco vencedores do concurso que premia com uma bolsa de estudos anual do Woccu os cinco candidatos até 35 anos que fizeram contribuições significativas às suas cooperativas de crédito, com potencial de causar um impacto global e é patrocinado pelo World Council Young Credit Union People (WYCUP).  São eles João Vitor Martins da Silva, gerente de Planejamento Estratégico da Cooperativa Sicredi União PR/SP, e Cássia Salvalaggio, assessora de Programas Sociais da Cooperativa Sicredi Nossa Terra.

Preocupado com a inclusão de pessoas portadoras de deficiência intelectual no mercado de trabalho, João Vitor Martins da Silva, apresentou o projeto “Eu coopero com a inclusão”, que estabeleceu uma parceria com a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE), beneficiando mais de 30 pessoas. Com todos os direitos de um profissional formal, elas produzem artesanatos a partir de materiais reciclados. Além disso, recebem qualificação em educação financeira e têm todos os benefícios oferecidos aos colaboradores do Sicredi. “Este reconhecimento do Woccu é uma oportunidade de mostrar para o mundo o engajamento dos jovens cooperativistas brasileiros na construção de novos projetos e seu comprometimento com a intercooperação, um dos pilares do cooperativismo e que se torna essencial em trabalhos de cunho social como o ‘Eu coopero com a inclusão’”, declara João Victor.

Já Cássia Salvalaggio, assessora de Programas Sociais da Cooperativa Sicredi Nossa Terra, apresentou o projeto “Chá das Bruxas”, que visa estimular a inclusão da mulher no ambiente corporativo, empoderando as mulheres a buscarem cargos de gestão e liderança na cooperativa de crédito e na comunidade. Tudo acontece num evento onde é servido um chá a base de frutas que originou o nome da iniciativa. O projeto envolveu mais de 1.800 mulheres, de dois estados brasileiros, e representou um aumento de 50% delas em cargos de liderança na cooperativa de crédito. “Sinto muito orgulho de representar o Sicredi neste projeto e contribuir para o empoderamento feminino”, diz Cássia.

Os dois colaboradores do Sicredi estão entre os cinco vencedores de todos os países participantes da conferência. Os projetos apresentados no WYCUP concorrem entre si e são avaliados por conselheiros do Woccu. Como prêmio, eles receberam a participação na próxima edição da Conferência Mundial das Cooperativas de Crédito, prevista para 2018, com todas as despesas pagas. Outros cinco colaboradores do Sicredi também apresentaram projetos no WYCUP: Lilian da Silva (Sicredi Univales MT/PA), Alyne Moreira Lemes (Sicredi Campos Gerais PR/SP), Rafael Magalhães (Sicredi União MS/TO), Charley Bianchet (Sicredi Norte MT/PA) e David Oliveira (Sicredi Ceará Centro Norte).

Destaques na pauta

Nos dois primeiros dias, várias apresentações chamaram a atenção dos participantes. As informações enviadas por Fernando Fagundes – CEO da Unicred do Brasil ­­– com exclusividade para MundoCoop, resumes os acontecimentos.

O tema central da abertura da conferência foi Big Data e a importância de dados para os sistemas cooperativos foi o tema da abertura  da conferência. As apresentações do primeiro dia também contemplaram outros assuntos, como o atendimento personalizado, essência do cooperativismo. “A ideia é entender e atender as necessidades dos cooperados, usando como aliada para esse fim a tecnologia, que permite obter informações que facilitam o dia a dia, tanto no campo operacional quanto no que se refere à concessão de crédito aos Cooperados”, comentou Fagundes.

No dia 25, a Governança Corporativa foi destaque. “Numa das palestras, o Canadá explanou sua experiência, que vem ao encontro da solicitação do Banco Central brasileiro de que os dirigentes dos sistemas cooperativos nacionais realmente sejam e estejam preparados para gerir as cooperativas”, comentou o CEO da Unicred, listando, entre os pontos destacados na palestra, a tendência mundial de aglutinação de cooperativas pequenas e médias, de forma que se fortaleçam nesse processo e possam agregar mais benefícios aos Cooperados.

Outro tema que mereceu a atenção de Fagundes reportou-se à regulamentação das cooperativas na era digital. “Em tempos de moedas virtuais, como a Bitcoin, e de sistemas de registros que garantem a segurança das operações realizadas por criptomoedas, como o Blockchain, a recomendação foi de que as Cooperativas atentem a seus estatutos, de forma a garantirem o efetivo cumprimento, o que já implicaria uma necessidade mínima de novas regulamentações”, resumiu.

Presença brasileira

Os 176 participantes do Brasil representam os sistemas de crédito cooperativo. A maior comitiva brasileira, formada por 90 pessoas, entre dirigentes, executivos e colaboradores, foi o Sicredi (que também respondeu por palestra), seguido da Unicred, com 40 pessoas – 30 delas dirigentes –  e o Sistema Sicoob, que levou mais de 23 pessoas – presidentes do Conselhos de Administração das Centrais, conselheiros do Sicoob Confederação, executivos do Bancoob e Sicoob Confederação – e, pelo primeiro ano, teve dirigentes como palestrantes dentro da programação do evento.

Colaboração e intercooperação através da Tecnologia, alinhadas ao crescimento das cooperativas, com Edson Rodrigues Lisboa Junior (superintendente de Tecnologia do Sicoob Confederação); e Economia Colaborativa Aumentada – Perspectiva dos Bancos Cooperativos com Fotis Filippopoulous (da Grécia), Andrea Karner (da Bélgica) e Marco Aurelio Almada (diretor-presidente do Bancoob), foram as palestras com a participação do Sicoob. Já o presidente-executivo do Banco Cooperativo Sicredi, João Tavares, fez uma apresentação no evento, com o tema “Estratégias de crescimento em um ambiente em constante evolução: uma perspectiva internacional”.

O Future Forum é outro espaço com presença de brasileiros. Composto por integrantes das maiores cooperativas de crédito do mundo, o encontro tem como objetivo destacar as tendências do cooperativismo de crédito. Organizados em grupos, os dirigentes escolherão temas para debaterem e, ao final, compartilharão suas conclusões. Entre os representantes do Sicredi, que participaram dos debates e compartilharam suas conclusões estão Wellington Ferreira (presidente da Sicredi União PR/SP), Luiz Hoflinger (presidente da Sicredi Vanguarda), Valmir Galhardo (diretor executivo da Central Sicredi Centro Norte), Jaime Basso (presidente da Sicredi Vale do Piquiri ABCD PR/SP), Glei Linhares (presidente da Sicredi Noroeste) e João Tavares (presidente-executivo do Banco Cooperativo Sicredi).



Publicidade