CNA divulga panorama do agro em 2021 e traz perspectivas para 2022

Publicado em: 10 dezembro - 2021

Leia todas


Nesta semana, a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) divulgou o balanço do agro em 2021, junto às perspectivas para o setor em 2022. 

O relatório aponta que, entre janeiro e outubro deste ano, o agronegócio brasileiro movimentou mais de R$102,4 bilhões em exportações, valor acima do registrado em 2018. Porém, nota-se que o ano ainda registrou grandes aumentos no valor da produção, principalmente em fertilizantes e outros insumos. 

Para Maria Flávia Tavares, economista e Dra em Agronegócio, tal cenário foi construído à medida que os juros aumentaram. Uma realidade que está longe de acabar. “Estamos passando por um período de aumento da inflação, que está ocorrendo também em outros países como os Estados Unidos, provocada pela pandemia que afetou o sistema produtivo do mundo inteiro e que causou além das mortes, desemprego e perda da renda de muitas famílias pelo mundo. Os juros irão aumentar em 2022 e isto fará com que o crédito fique mais caro, impactando toda a economia, assim como o Agronegócio que já está sendo afetado pela alta dos preços dos fertilizantes”, ela destaca. 

Expectativas para 2022 

Para o próximo ano, a CNA espera um cenário incerto na economia, que deve continuar a afetar o agronegócio. Segundo o relatório, a expectativa é que o setor cresça entre 3% e 5%, número bem abaixo do registrado em 2020, onde a expansão do setor deve fechar em 9,37%. 

Tal panorama é registrado devido à alta dos preços e economia instável. Segundo o relatório da CNA, as despesas com fertilizantes e defensivos registrou um aumento de 100% em 2021, principalmente nas culturas da soja e milho. 

Além disso, a CNA espera que o país chegue a um resultado recorde na próxima safra, com 289 milhões de toneladas. Tal resultado representaria um aumento de 14% em relação à Safra 2021/22. O relatório ainda aponta para a alta das exportações da agropecuária, com 17,5% ante 2021. 

Cooperativas em destaque 

Para que tais resultados sejam alcançados, as cooperativas do ramo agro terão que intensificar o seu papel em 2022. Representando grande parte do setor, é esperado que elas intensifiquem seu trabalho, principalmente no que consiste no acompanhamento do cenário nacional e mundial. 

“As cooperativas precisam se ajustar a esse cenário incerto e se planejarem em relação à compra de insumos, que podem ser feitas em plataformas online e por meio da intercooperação, desse modo conseguirão comprar a preços melhores no mercado, pois possuem um poder maior de barganha”, destaca Maria Flávia. 

Além disso, e economista ressalta a importância de investir em infraestrutura no próximo ano, uma vez que a safra recorde demandará mais espaço físico para armazenagem. “É importante também investirem na construção de armazéns para os seus produtos, pois esta é uma outra maneira de protegerem os seus preços das oscilações de mercado. Em períodos de aumento da oferta do produto no mercado a tendência é que os preços sejam reduzidos, e se elas tiverem um local para estocar o seu produto poderão negociá-lo no momento que for mais adequado para a sua estratégia de comercialização”, conclui. 

Para conferir a coletiva de lançamento do relatório, clique aqui


Por Leonardo César – Redação MundoCoop 


Notícias Relacionadas:



Publicidade