Coop apresenta resultados e divulga R$ 91,4 milhões em investimento para 2017

Publicado em: 14 março - 2017

Leia todas


O crescimento de 7,3% no faturamento de 2016, ultrapassando a casa dos R$ 2,1 bilhões com R$ 16 milhões de sobras (descontadas reserva legal, Rates e fundo de expansão), está sendo comemorado, pois coloca fim a um biênio (2014 e 2015) em que, na média, os valores nominais do desempenho ficaram próximos a zero. Em resumo, este foi o resultado da Coop Cooperativa de Consumo no último exercício. A divulgação foi feita após aprovação do balanço pela Assembleia Geral Ordinária realizada em 10 de março de 2017, no centro administrato da cooperativa, na cidade de Santo André, na região metropolitana de São Paulo (SP).

Na ocasião, Márcio Francisco do Valle, presidente da Coop, também divulgou as realizações previstas para 2017, envolvendo expansão e continuação da modernização das lojas, além de investimentos em Tecnologia da Informação, totalizando R$ 91,4 milhões.

O resultado de 2016 foi influenciado pela performance das drogarias, que registraram crescimento de 13,5%. Aliás, é essa a área que vem merecendo atenção especial da Diretoria da Coop, seja em instalações agregadas às unidades de autosserviço, seja em lojas de rua. Exemplo é que no exercício anterior, mesmo não abrindo nenhuma unidade nova, a Coop inaugurou uma drograria em Sorocaba (SP) e decidiu pára revisão do modelo. Para isso, contratou consultoria especializada neste mercado, “que está desenhando nossa estratégia para drograrias de rua”, informou Valle, ressaltando que a intenção é manter os dois modelos de negócio – lojas de rua e lojas anexas a unidades de autosserviço – fortalecendo a atividade iniciada em 2013 e que hoje representa 16% do negócio da cooperativa de consumo.

 

Investimentos

“A crise nos levou a olhar para dentro e pensar em produtividade, eficiência, tecnologia e outros temas que levam a melhorias operacionais. Também optamos por não abrir nenhuma nova loja de autosserviço, apenas a drogaria de rua”, comenta Valle. Mesmo assim, a Coop investiu R$ 101 milhões em reforma e modernização das lojas existentes; substituição de equipamentos e de mobiliário em geral em lojas que não foram reformadas; atualização tecnológica do sistema de frio alimentar, tornando-o ecologicamente correto e mais eficiente energéticamente; e Tecnologia da Informação.

Nos planos para 2017 estão previstos invetimento superiores a R$ 91,4 milhões. Na programação está a inaugração de uma loja em Ribeirão Pires, em abril, outra em Sorocaba até setembro, cidade que também receber uma outra loja, que ainda não está confirmada. Soma-se a isso a abertura de cinco drograrias, em a serem definidas e as outras em Sorocaba e São José dos Campos; além de posto em Capuava, anexo à unidade de autosserviço. Os recursos incluem, ainda, ampliação do atendimento de várias drograrias, adaptação da ára de crediconsumo da loja Queirós, em Santo André, além de reforma e modernização de unidades em São Bernardo do Campo (Café Filho e Rudge Ramos), Santo André (Capuava e Carijós) e Sorocaba (Itavuvu), envolvendo, basicamente, modernização do sistema de frio alimentar e mudanças no layout.

Os resultados de 2016 e o plano de investimentos para este ano comprovam a posição da Coop entre as principais cooperativas de consumo do País. Mário Valle, que soma à presidência da Cooo o cargo de coordenador do Ramo Consumo na OCB, situa a cooperativa logo após a líder Cooper, de Santa Catarina, e espera que o ranking da Abras (Associação Brasileira de Supermercados), a ser divulgado até maio, confirme sua percepção.



Publicidade