Sistema OCEMG lança PDGC 2017/2018

Publicado em: 18 fevereiro - 2017

Leia todas


lancamento_pdg

Boas práticas de gerenciamento e governança são essenciais para fortalecimento do negócio cooperativo

Foi dada a largada para o 5º Ciclo do PDGC em Minas Gerais. O Sistema Ocemg promoveu o lançamento do Programa de Desenvolvimento da Gestão das Cooperativas (PDGC), em 15 de fevereiro. Com a presença do presidente do Sistema OCB, Márcio Lopes de Freitas, de representantes de unidades estaduais, além de presidentes e diretores de cooperativas, o evento reuniu cerca de 300 pessoas no Espaço de Eventos da Unimed Belo Horizonte.

O presidente do Sistema Ocemg, Ronaldo Scucato, abriu o dia chamando a atenção para o desempenho das cooperativas mineiras no PDGC. “Os dirigentes mineiros estão preocupados com gestão, com liderança, com gente. Dou meus parabéns a vocês e digo que o cooperativismo mineiro tem que continuar sendo referência para o cooperativismo nacional e para a sociedade brasileira. Existimos para fazer o bem”, observou.

A percepção foi ratificada por Márcio Freitas, ao dizer que Minas tem sido referência para o restante do Brasil nos programas propostos pelo Sistema OCB, como o PDGC – o Índice Sescoop de Sustentabilidade Cooperativista (ISSC) das cooperativas mineiras é de 67,23%, frente a 59,61% da média nacional.

“As cooperativas não podem se esquecer nunca de focar no seu grande capital, que são as pessoas. Essa é a nossa diferença, o nosso brilho. E é nessa linha que a Unidade Nacional está disponibilizando várias ferramentas de capacitação”, ponderou o presidente do Sistema OCB.

Reflexões

O evento foi um ponto de partida para a adesão ao PDGC, que terá prazo de inscrição de 1º de fevereiro a 28 de abril. Para promover o pensamento sobre estratégias de gestão e governança, o Sistema Ocemg contou com a contribuição de quatro palestrantes.

O médico e professor Eugênio Mussak, colunista das revistas Vida Simples e Você S.A e da Rádio Estadão, conduziu palestra sobre pensamento estratégico em tempos de mudança. Seu alerta foi para a falta na atualidade de líderes que reúnam o tripé “competência, caráter e causa”. “O mundo vive uma crise de lideranças. Estamos precisando de direcionamento, não sabemos para onde vamos. Esse direcionamento quem nos dá é o líder”, disse.

Gustavo Caetano, fundador da Samba Tech e um dos dez jovens mais inovadores do país pelo Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), deu um olhar sobre novos modelos e soluções para empreender com sucesso. O palestrante falou sobre os desafios das empresas tradicionais frente às constantes mudanças trazidas pelo mercado digital. “Não importa o tamanho do seu negócio, não há a garantia de perpetuidade. O que garante a sobrevivência é a capacidade de se reinventar. É preciso estar aberto à inovação”, destacou.

Ricardo Voltolini, um dos primeiros consultores especializados em sustentabilidade empresarial no Brasil, abordou como o cooperativismo favorece que o negócio seja sustentável. “Quando olho os princípios cooperativistas, vejo a ideia de sustentabilidade. Cooperativas são laboratórios de novos líderes para a sustentabilidade. Criem espaço para que surja esse tipo de líder que fará a diferença para melhor”, comentou.

Por fim, José Jansen de Melo, filósofo e doutor pela Universidade Gregoriana de Roma, apresentou o cooperativismo como um legado de prosperidade. Com um discurso provocativo, o palestrante levou a uma reflexão sobre o que é importante que dure, em um mundo que muda tão rapidamente. “Precisamos de líderes e organizações que tenham coragem de ousar. Só assim podemos construir um legado positivo”, observou. (Fonte: Sistema Ocemg)

 

 



Publicidade