Cooperativismo movimenta R$ 38,3 bilhões em MG

Publicado em: 21 dezembro - 2016

Leia todas


crescim

Ante um cenário de recessão na economia, o cooperativismo mineiro demonstrou sua força, registrando a movimentação de R$ 38,3 bilhões em 2015, um aumento de 16,4% em relação ao ano anterior. O setor representou 7,3% do PIB estadual no ano passado. Os dados foram divulgados pelo Sistema Ocemg na 11ª edição do Anuário de Informações Econômicas e Sociais do Cooperativismo Mineiro.

A publicação traz uma radiografia do setor no Estado, por meio da consolidação de dados enviados pelas próprias organizações, como informações econômico-financeiras, exportações, quadro social e funcional do segmento, contribuições do cooperativismo para a sociedade, investimentos, entre diversos outros números.

A pesquisa, considerada a principal referência para o segmento, aponta ainda um crescimento de 1,2% no número de empregados no setor cooperativista, contrariando as taxas de desocupação crescentes em todo o país. Até o ano passado, o setor registrava 36.128 empregados. Outro dado importante diz respeito às adesões ao quadro social: em 2015, foram somados mais de 90 mil novos associados às cooperativas de Minas, um aumento de 7,1%. Isso quer dizer que, se os cooperados formassem uma cidade, ela seria a 2ª maior de Minas, com 1.373.173 habitantes, atrás apenas da capital Belo Horizonte.

O presidente do Sistema Ocemg, Ronaldo Scucato, comemora os números positivos. “Temos cada vez mais pessoas dentro do ambiente cooperativista, vivenciando nossos valores e contribuindo para a mudança empreendedora que o país precisa. Temos orgulho desse caminho e ainda ressaltamos que as cidades que contam com cooperativas apresentam um Índice de Desenvolvimento Humano superior”, afirma.

OS DESTAQUES DO SETOR

Mais da metade do café produzido em Minas Gerais no ano de 2015 veio de cooperativas. São 51,6% de participação no mercado. O item foi o grande propulsor da contribuição cooperativista para a balança comercial brasileira. O setor arrecadou ao todo mais de US$ 837,5 mil em exportações, um salto de 147% em relação aos US$ 338,9 mil do levantamento anterior, em 2014. Outros produtos tiveram participação expressiva na produção agropecuária mineira: 33,8% da aveia, 25,8% do trigo e 28,9% do leite saíram de cooperativas.
Outro gigante do segmento são as cooperativas de crédito, presentes em 51% dos municípios mineiros. São 191 organizações do tipo, com atuação em 439 de 853 cidades. Elas registraram um crescimento no valor de depósitos equivalente a 15% em 2015. Já as operações de crédito cresceram 46% em relação a 2014.

Seguindo essa tendência, o Sicoob Credicom teve o acréscimo de 24,16% na sua receita durante o ano passado, além de se tornar a segunda maior cooperativa do estado em número de número de associados (42.705).  O presidente Garibalde Mortoza Júnior comemora os resultados alcançados. “Conseguimos mostrar a força da Credicom, que teve pelo segundo ano consecutivo uma sobra recorde. Investimos na reforma e inauguração de agências, construímos um novo planejamento estratégico e seguimos capacitando nossos funcionários. Esse crescimento é reflexo da confiança do nosso cooperado na Credicom”, diz.
O ramo da saúde também cresceu: em 2015, houve um aumento de 6% no número de usuários. Quase 3 milhões de mineiros confiam sua saúde a cooperativas.

PRESENÇA FEMININA AUMENTA NAS COOPERATIVAS

A presença feminina, um aspecto cada vez mais observado e estimulado nas mais diferentes frentes de trabalho, também mostrou sua força no cooperativismo. O número de mulheres nas diretorias das cooperativas subiu 40% em 2015. Foram 413 em 2015, contra 293 em 2014.
Para a presidente da Cooper Cred Pif Paf, Maria Aparecida Barreto Serighelli, as mulheres têm um olhar diferenciado, mais crítico, sensível e humano, que faz a diferença na administração. Sob seu comando, a cooperativa de crédito da cidade de Visconde do Rio Branco ampliou o número de associados de 2.054 para 4.213. “Quando assumi a direção da cooperativa, meu primeiro passo foi buscar a profissionalização da equipe. Prezamos por uma gestão baseada em valores como clareza, transparência e foco no associado, trazendo cada vez mais benefícios para o seu dia a dia. Com isto, conseguimos alavancar o número de associados e sua fidelidade”, explica.

O ANUÁRIO

As cooperativas filiadas responderam em 2016 a um questionário encomendado pelo Sistema Ocemg, de acordo com cada ramo de atuação. Esses dados foram cruzados para que fossem ranqueadas as organizações de maior destaque em seu setor e no estado. O anuário reúne informações sobre quadro social e funcional, movimentação econômica, contribuições para a sociedade, investimentos, exportações, entre diversos outros indicadores.

Considerado a principal fonte de pesquisa do segmento em Minas Gerais, o documento contém, ainda, o ranking das cinquenta maiores cooperativas mineiras e serve como instrumento de consulta, já que registra os acontecimentos do segmento cooperativista no decorrer de 12 meses. O conteúdo completo do anuário pode ser acessado pelo site www.minasgerais.coop.br