CoopTalks Agro: maior evento do cooperativismo discute o futuro do agronegócio

Publicado em: 21 abril - 2021

Leia todas


Evento acontece entre os dias 10 e 11 de maio e conta com a presença de especialistas parceiros do cooperativismo agro

Saber tirar do solo sustento e riquezas ao país é uma arte que exige dedicação e persistência do produtor rural. Na contemporaneidade, estudos, melhoramentos e novas tecnologias dão suporte do trabalho no campo; e repercutem, não só em quantidade como em qualidade, nos resultados advindos de toda essa dedicação incessante para se conseguir produzir alimentos, matérias-primas e gerar riquezas.

Cooperativismo responde por quase metade das exportações totais do país

Tudo isso leva o agronegócio a bater recordes a cada período e a conquistar novos mercados externamente. Há pelo menos três décadas, o agronegócio vem ampliando sua produtividade e as exportações a partir dos investimentos em inovação e tecnologia. É o setor responsável por um quarto de toda riqueza produzida no país (PIB); só no ano passado, foram quase R$ 2 trilhões, segundo relatório do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), da Esalq/USP, em parceria com a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA). E, em exportação, o agro alcançou mais um recorde no ultimo ano, um aumento de 10% no volume exportado e de 4% no faturamento em dólar em relação a 2019, segundo estudo do Cepea da Exportação do Agronegócio. Enquanto os demais setores tiveram um saldo comercial negativo em quase US$ 37 bilhões, o agro atingiu US$ 101 bilhões, mantendo positiva a balança comercial. O setor responde por quase metade das exportações totais do país.

Nesse cenário, a atuação cooperativa no agronegócio é tão relevante que quase um quarto das cooperativas brasileiras é do ramo agropecuário. O setor reúne 992,1 mil cooperados, que se auxiliam por meio de alguma das 1,2 mil cooperativas; empresas responsáveis por empregar mais de 207 mil profissionais, segundo dados da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), organizados no Anuário do Cooperativismo Brasileiro 2020. Vinte e uma cooperativas agropecuárias figuram inclusive entre as 100 maiores empresas do agronegócio do Brasil, de acordo com o ranking Forbes. Para se alcançar toda essa grandeza, é de suma importância trabalhar também estratégias e, para isso informação é a base.

Informação atualizada, clara e essencial

Tão relevante quanto produzir conhecimento é fazê-lo chegar a quem precisa. E este é o papel da MundoCoop. Uma forma direta de contribuir com a disseminação de conhecimento especificamente ao cooperativismo agro é por meio do CoopTalks Agro. Em sua primeira edição em 2021, o evento reúne especialistas das diversas áreas que impactam diretamente o setor, apresentando visões, sugerindo direcionamentos e apontando tendências que possam basear estratégias e ações de cooperativas e seus cooperados em busca de um agro cada vez mais competitivo e cooperativo.

O evento acontece entre os dias 10 e 11 de maio, em formato online. A programação contempla perspectivas do mercado e avaliação da atual economia, além de comunicação e marketing, conectividade digital no campo. Também estão na pauta financiamento rural, liderança feminina, e gestão e governança. Além de espaço à troca de experiências e ponderações de dirigentes de cooperativas agro. O CoopTalks Agro é a oportunidade de ampliar horizontes. Afinal, “é preciso sair da ilha para ver a ilha” (frase de um dos diálogos da obra “O conto da ilha desconhecida”, do escritor português José Saramago).

Dezenove especialistas palestrantes em dois dias de evento

Para munir cooperativas e cooperados com conhecimento atualizado e relevante à estratégia do agronegócio, CoopTalks Agro apresenta, na programação do dia 10 de maio, as perspectivas do setor, economia, comunicação e inovação tecnologia digital. Roberto Rodrigues, coordenador do Centro de Agronegócio da Escola de Economia de São Paulo, da Fundação Getúlio Vargas (FGV), abre o evento, seguido por Marcos Fava Neves, professor da Universidade de São Paulo (USP) e especialista em agronegócio que vai tratar de futuro do agronegócio. O superintendente da OCB, Renato Nobile, pondera sobre as contribuições da Organização; e o economista Luiz Artur Nogueira fala das relações econômicas no setor. Jorge Espanha, presidente da Associação Brasileira de Marketing Rural e Agronegócio(ABMRA),aborda as estratégias de comunicação e marketing.

Dezenove especialistas palestrantes em dois dias de evento

Profissionais da área de inovação e tecnologia também trazem suas contribuições às análises do agronegócio brasileiro, levando em consideração a importância da conectividade, ampliação da digitalização e a conexão entre toda a cadeia produtiva. Participam das discussões Maikon Schiessl, presidente da Agribase, startup voltada ao agronegócio; Renato Bueno, diretor de Novos Negócios da Nokia Brasil; Silvia Massruhá, chefe-geral da Embrapa Informática Agropecuária; e Ângela Maria Gheller, diretora de Manufatura, Logística e Agroindústria da TOTVS.

E ainda, Alysson Paolinelli, presidente executivo da Associação Brasileira dos Produtores de Milho (Abramilho) e do Instituto Fórum do Futuro; embaixador da Boa Vontade do Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA) e responsável pela Cátedra Luiz de Queiroz, da Esalq/USP, partilha um pouco de seu conhecimento de décadas atuando no agronegócio. Paolinelli é indicado ao Prêmio Nobel da Paz 2021 por sua dedicação ao desenvolvimento da agropecuária brasileira. Dentre suas contribuições, destacam-se a participação na criação da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), nos anos 1970, e o apoio ao desenvolvimento de tecnologias que permitiram tornar o cerrado uma das regiões mais produtivas.

Na manhã do dia 11 de maio, reúnem-se especialistas em torno dos temas: liderança feminina, gestão e aportes financeiros. Abre a pauta a visão positiva de José Luiz Tejon, professor e especialista em agronegócio. Na sequência, Teresa Vendramini, presidente da Sociedade Rural Brasileira (SRB), fala da participação das mulheres no agronegócio. Tema sempre indispensável, gestão e governança fica a cargo do consultor empresarial Marcelo Prado.  E Pedro Loyola, diretor do departamento de Gestão de Riscos, do Ministério da Agricultura, fala sobre os financiamentos ao agro.

Os apontamentos e leituras do mundo agro cooperativo também vão ser apresentados na voz dos convidados “Top Coopers“. Comentam sobre as peculiaridades e desafios da prática cooperativista 4 presidentes de grandes cooperativas agro brasileiras.

Serviço:
CoopTalks Agro – 1ª edição 2021
Dias 10 e 11 de maio, das 9h às 13h
O evento é online e gratuito (vagas limitadas)

Inscreva-se agora!


Redação MundoCoop



Publicidade