IRAC-BR avalia projetos na safra 2015/2016

Publicado em: 19 agosto - 2016

Leia todas


O Comitê Brasileiro de Ação à Resistência a Inseticidas (IRAC-BR), constituído por pesquisadores de instituições públicas e privadas que se dedicam a estudar o fenômeno da resistência à inseticidas desde 1997 e propõe ações para evitar que ela se estabeleça, fez uma avaliação do trabalho realizado na safra 2015/2016, que contemplaram cinco pragas (Quadro 1) e foram realizados utilizando populações oriundas de 40 municípios em dez unidades da federação (Mapa 1). As técnicas de bioensaio são padronizadas, o que permite a comparação de resultados de ano para ano.

Cada população foi testada quanto à sua susceptibilidade a diferentes ingredientes ativos registrados para controle da praga no Brasil e o número total de ativos testados variou de 5 a 12 por praga. Os resumos dos projetos estão disponíveis no site do IRAC-BR (www.irac-br.org.br).

Desta forma, o IRAC-BR é referência no Brasil na integração de instituições que compartilham um objetivo: o de preservar as tecnologias existentes para manejo de pragas, contribuindo assim para a sustentabilidade do agronegócio brasileiro. Como desafios, o IRAC-BR identifica a necessidade de incluir novas espécies de pragas nos projetos, tais como o bicudo-do-algodoeiro, a cigarrinha em cana-de-açúcar, o bicho-mineiro no café e o percevejo-barriga-verde além da difusão das melhores técnicas de Manejo da Resistência de Insetos à Inseticidas e proteínas Bt.

 

quadro01
A base técnica para as ações do IRAC-BR é fornecida por projetos de pesquisa conduzidos por instituições independentes, como universidades e empresas prestadoras de serviço, nas principais regiões de produção agrícola. São realizados atualmente estudos com pragas de grandes culturas como soja, milho e algodão além de hortaliças como o tomate. Isso se justifica não só pela importância desses cultivos para o PIB brasileiro, mas também pelo fato de que muitas pragas a elas associadas podem também se disseminar e atacar outros cultivos, como frutas e ornamentais.
A reunião aconteceu em 14 e 15 de julho de 2016.

mapa05



Publicidade