O cooperativismo transformando a reciclagem do Brasil

Publicado em: 27 agosto - 2020

Leia todas


A reciclagem correta de resíduos sólidos (plástico, vidro, óleo, entre outros), já faz parte do escopo da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS). Porém, ao longo dos anos, os dados indicam que houve uma pequena evolução em relação à coleta de lixo no Brasil. Afinal, porque o país recicla tão pouco?

Foi com essa questão que se iniciou mais um webinar, promovido pela MundoCoop, no dia 20 de agosto, que contou com as presenças ilustres do Presidente da Cooperativa YouGreen, Roger Koeppl; o Advogado especialista, Fabricio Soler e o Diretor Executivo da Pragma Soluções Sustentáveis, Dione Monetti.

Trazendo de volta ao ciclo tudo aquilo que parecia não servir mais, e provavelmente seria descartado de maneira errada, as cooperativas são responsáveis pela coleta de 90% de todos os resíduos recicláveis do Brasil, que hoje é de mais de 78,3 milhões de toneladas por ano. Entretanto, além do papel ambiental, as cooperativas de reciclagem tem grande importância social, pois geram empregos, renda e valorização profissional para milhares de pessoas no país. “A profissionalização do cooperativismo é essencial para alcançarmos altos níveis de sustentabilidade”, afirmou Roger. “O interno e o externo precisam ser bem trabalhados para facilitar a vida das cooperativas”, complementou Fabricio.

De acordo com Diones, de primeira, é importante reconhecer o papel fundamental do catador que torna nossas cidades habitáveis. “Não há uma coleta seletiva com mais qualidade do que aquela que é feita pela cooperativa de catadores”, ressaltou. Contudo, para um maior reconhecimento, é necessário que essas cooperativas tenham um modelo de negócio, ou seja, entendendo que é preciso ter um retorno econômico. “Torço cada vez mais para que as cooperativas internalizem as melhores práticas de gestão para estarem no jogo”, frisou Fabricio.

Os desafios são gigantescos e não existe uma solução fácil para ser implantada. Hoje, a coleta e tratamento de resíduos precisa ser modernizada e aprimorada, não só por grandes indústrias, mas também no campo e nas casas. “O que temos que ter é a união de esforços para trazer para a política nacional de resíduos o sistema cooperativista”, disse Diones. Porém, para que se torne uma preocupação nacional, é preciso divulgar e alarmar a população do que está acontecendo no meio ambiente e suas consequências. “Nós temos o desafio de acelerar o conceito de sustentabilidade para a massa”, completou Roger.

Abordando panoramas internacionais e o tripé da sustentabilidade (ambiental, social e econômico), o debate enfatizou a importância de um melhor planejamento, a propagação da informação e da valorização da profissão dos catadores. “Não existe reciclagem nesse país sem o catador”, finalizou Diones.

Quer saber mais sobre essas e outras questões discutidas? Confira o webinar completo com exclusividade no link abaixo!

Clique aqui e assista!


Por Redação MundoCoop



Publicidade