O Papo Coop #11 está no ar! Confira agora o novo episódio

Publicado em: 09 novembro - 2021

Leia todas


O novo episódio do Papo Coop está no ar. Nesta semana, recebemos a fundadora da Rethink Business, Marina Miranda. Para falar sobre o impacto do cenário exterior no mercado brasileiro, ela traz o tema A IMPORTÂNCIA DA CHINA NA INOVAÇÃO DOS NEGÓCIOS. 

Desde 2009, a China é um dos principais parceiros comerciais do Brasil. As exportações para o país oriental representam 39% das operações realizadas no país. Em sua reflexão, Marina destaca que é preciso olhar para a China além relação comercial, sendo cada vez mais necessário observar com um olhar corporativo, identificando tendências e inovações que surgem por lá. 

Um dos grandes exemplos dessa conexão entre os dois países está no mercado, com grandes empresas que aqui atuam, sendo pertencentes a corporações e empresários chineses. 

“A China é a grande parceira comercial do mundo” 

Apesar de ter os Estados Unidos como um de seus principais parceiros, hoje o mundo se volta para o outro lado do globo, com a China sendo a principal fonte de negócios para diversos países. Tal movimento acontece a partir do momento em que o país se volta para a inovação como um de seus principais campos, ameaçando a supremacia comercial de países como os EUA. 

Nesta nova fase, a China usou a inovação e o desenvolvimento para mudar o seu cenário social, com mais de 853 milhões de pessoas saindo da linha da pobreza, e encontrando novas perspectivas pessoais e profissionais. Com melhores condições, o país viveu um boom econômico, com mais população com poder de compra e capacitada para exercer as mais diversas funções. 

“A China se destaca como grande fomentadora de venture capital e startups” 

Com novas oportunidades, o ecossistema de inovação torna-se ainda mais intenso. Diante desse cenário, a China tornou-se protagonista em venture capital, uma modalidade de investimento que busca fomentar empresas e negócios de risco. Além disso, as startups ganharam os holofotes no país, resultando em uma era de inovações e novas soluções para problemas regionais e mundiais. Sendo um país inovador, a China passa a ser um centro de empresas unicórnio, com mais de 250 empresas com mais de U$1 bilhão de valor em mercado. 

“Com um mercado competitivo, há mais desenvolvimento” 

Sendo um dos países mais populosos do mundo – com 1,4 bilhão de habitantes – a China ainda traz em seu ecossistema uma constante competitividade. Com mais ideias tramitando, ser o melhor e o primeiro passa a ser uma maior preocupação dos jovens e adultos, tornando a busca por novas soluções uma competição constante. 

Com mais competitividade, o país se destaca em seu modelo de ensino e de trabalho. Planta-se a semente desde a infância, de forma a desenvolver mentes inovadoras desde a base educacional. 

“Em todos os processos, a busca por inovação para o mercado é o objetivo final” 

À medida em que a China expandiu os seus negócios internos, o próximo passo passou a se tornar o mercado externo. Reflexo disso, na última década o número de marcas e empresas chinesas, presentes em outros países, cresceu exponencialmente. Seja no mundo corporativo ou ainda, nas redes sociais – com o TikTok – o país se faz presente de várias maneiras, deixando sua marca em todos os setores. 

“O que hoje é tendência no Brasil, é uma realidade na China há anos” 

Estamos vivemos um boom de soluções digitais. Pagamentos por aproximação, reconhecimento facial e outras tantas formas de repensar os processos diários. O que hoje é novidade para o mundo, é um processo comum no mercado chinês, conhecido por demonstrar pioneirismo em vários momentos de sua história. 

De pequenas soluções a ferramentas usadas na construção civil, a China ainda se destaca por oferecer oportunidades mais acessíveis à sua população, uma vez que as diversas faixas econômicas demandam diferentes produtos, para diferentes realidades. 

“Com a pandemia, o mercado se transforma. Internamente e externamente” 

A pandemia transformou vários processos, e mudou a configuração da sociedade atual. Com a demanda por soluções para uma sociedade isolada, o digital tornou-se protagonista, estando presente em vários processos. 

Neste cenário, e economia digital ficou no centro das atenções. Se antes da Covid, ela tinha apenas 6% de participação, hoje as soluções digitais fazem parte de 36% do PIB chinês. Mesmo diante das barreiras da Covid-19, a economia chinesa continua a crescer e progredir. 

Reflexo desse cenário, cidades do país, como Shenzhen, concentram grande parte das operações de empresas de eletrônicos, criando grandes centros de inovação digital, assim como em outros lugares do globo. 

“É preciso olhar para as inovações que surgem na China” 

Com todo esse cenário, acompanhar os movimentos da China torna-se imprescindível para identificar tendências e buscar novas perspectivas. Com novas soluções sendo necessárias a cada dia, a busca por uma cooperação mundial, seja através de processos ou compartilhamento de ideias, será a chave para seguirmos adiante.  


Quer conferir o EPISÓDIO 11 do PAPO COOP na íntegra? 

ASSISTA o EPISÓDIO 11 do PAPO COOP 

OUÇA o EPISÓDIO 11 do PAPO COOP



Publicidade