Premiação do GPTW reafirma excelência de cooperativas brasileiras

Publicado em: 29 outubro - 2020

Leia todas


Sempre em busca de novos graus de excelência nas relações de trabalho, as cooperativas brasileiras têm feito jus, nos últimos anos, a premiações internacionais de relevância, como o Great Place to Work (GPTW) – ou melhores empresas para trabalhar, em tradução livre – , espécie de ‘Oscar’, dentro da perspectiva da qualidade empresarial, vista por dentro de seus recursos humanos.

A distinção internacional tem origem nos anos 80, quando o jornalista norte-americano Robert Levering, que cobria temas relativos ao trabalho, resolveu pesquisar sobre quais seriam os piores lugares para trabalhar, ouvindo milhares de funcionários e colhendo centenas de exemplos de desrespeito no ambiente de trabalho.

Mas o que Levering não esperava encontrar eram pessoas que adoravam o que faziam, incluindo seus colegas e chefes, numa liga quase perfeita de trabalho e capital. Consciente de que tinha encontrado algo de valor, ele largou tudo o que fazia e passou a se dedicar ao tema, abrindo, em seguida, um pequeno escritório, batizado de GPTW. Ao aprofundar a pesquisa, o jornalista logo percebeu que existiam excelentes empresas para trabalhar e que “qualquer empresa, de qualquer tamanho, em qualquer lugar e em qualquer época, pode se tornar um excelente lugar para trabalhar”. Esse mesmo espírito de harmonia nas relações de trabalho se mantém intacto, décadas depois, uma vez que o site do GPTW exibe como valores essenciais: a confiança, o mantra ‘pegue, faça e entregue’, além da evolução contínua, superação de resultados e diversidade & inclusão.

Foram contempladas com a honraria cooperativas brasileiras, como a Central, três filiadas ao Sicoob Unicoob, além da Aliança, Arenito, Credicapital, Cooesa, Horizonte, Integrado, Marechal, Médio Oeste, Metropolitano, Meridional, Ouro Branco, Ouro Verde, Sul, Transamazônica, Três Fronteiras, Unidas, Vale Sul, Unicoob Consórcios, Unicoob Corretora e Viacredi.

Diagnóstico do clima

A pesquisa online disponibilizada pela organização do GPTW fornece os elementos para a elaboração do diagnóstico do clima organizacional, que analisa o nível de satisfação e a percepção dos funcionários em relação ao ambiente de trabalho. Mais do que a obtenção do certificado, a pesquisa também considera as ações das empresas, visando o bem-estar físico e emocional dos colaboradores, assim como aspectos relacionados à ascensão e desenvolvimento profissional e pessoal. Para conseguirem a certificação, as cooperativas são avaliadas pelo desenvolvimento interpessoal no trabalho, voltado a ações, como escutar, agradecer, inspirar, celebrar e compartilhar.

Ideval Curioni

Mais do que a premiação, a possibilidade de diagnosticar com precisão o clima organizacional é uma das vantagens apontadas pelo diretor-presidente do Sicoob Unicoob, Ideval Luis Curioni, ao comentar a participação da empresa, desde 2011, no GPTW. “Com os resultados da pesquisa, é possível realizar um planejamento de ações de reforço, disseminação e, principalmente, propagação de nossa cultura e gestão voltada a pessoas”, assinala o executivo.

Curioni não faz segredo quando o assunto é a premiação. “São vários os motivos que nos levam a estar junto das “Melhores Empresas para Trabalhar no Brasil”, mas o principal, é a preocupação e o esforço constantes para a humanização das relações, cuidando e desenvolvendo”, explica. O resultado dessa caminhada coletiva do Sicoob, assinala ele, “é a formação de relacionamentos genuínos e duradouros, com o alinhamento dos valores dos colaboradores aos da cooperativa, a fim de encontrar um propósito na empresa, não apenas mais um emprego”, esclarece. Sem esconder o entusiasmo com o trabalho realizado, ele lembra que sua cooperativa é a pioneira brasileira na implantação do (FIC) Felicidade Interna do Cooperativismo, inspirado em programa similar adotado no Butão, exótico país considerado “o mais feliz do mundo”.

O presidente do Sicoob aponta a utilização de pesquisas de clima organizacional como um traço que diferencia uma cooperativa que obteve o GPTW de outra, que não o possui. “Acredito que tais pesquisas ajudam muito para tenhamos colaboradores felizes, preparados e, por consequência, prestando melhor atendimento aos cooperados, além de garantir o crescimento de nossa organização”, pontua.

Ambiente motivador

Consciente de que as cooperativas nacionais nada devem às suas similares no exterior, Curioni ressalta “a formação de um ambiente de trabalho motivador, que conta como programas de apoio psicológico, bem como ações voltadas à preservação da integridade física e emocional dos colaboradores, sempre com base numa gestão democrática marcada pela leveza”. Quanto aos ‘pontos de excelência’ da companhia que a alçaram à distinção, o dirigente resume tudo numa palavra: pessoas. “O mais importante é cultivar o brilho nos olhos delas, para as quais criamos um universo de cultura interna muito forte. Desde o início do processo seletivo, nossas psicólogas observam aqueles candidatos com perfil compatível com essa grande família que é o Sicoob Metropolitano”, revela.

Unir pessoas e transformar vidas. Sob esse lema, a Viacredi – considerada pelo GPTW, por dois anos seguidos, a melhor cooperativa de crédito do país – admite que tal reconhecimento se deve, em grande parte, à tarefa diária de ouvir com atenção seus colaboradores, tirando lições e aprendizados, logo convertidos em ações. O entendimento da empresa é de que essa prática constante reforça a cultura da organização, além de valorizar o cooperado.

Pessoas são o ‘centro’

Com as atenções voltadas aos mais de 1,5 mil colaboradores, o diretor administrativo Adelino Sasse enfatiza que “as pessoas estão no centro de todos os processos, envolvendo questões como o desenvolvimento profissional individual, à uma comunicação transparente, que incentive o poder de participação de todos num ambiente cooperativista”. Criada em 1951, em Blumenau (SC), a Viacredi – presente em 98 postos de atendimento em 21 municípios catarinenses e dois paranaenses – soma hoje mais de 600 mil cooperados. A excelência de seu trabalho junto aos colaboradores fez com que ela fosse eleita, por cinco vezes, a melhor empresa para se trabalhar em Santa Catarina.

Adelino Sasse

“Acredito que a conquista do GPTW seja muito alicerçada nisso: ouvir e transformar o que recebemos em ação”, assinala Sasse, ao comentar a importância da percepção única dos colaboradores sobre a organização e como esta se mostra ao mundo. “Há muita riqueza aí. O GPTW certifica essa relação de confiança que temos com o nosso colaborador”, completa. Também nesse caso a receita é a mesma, ouvir e transformar o que se captou em ações efetivas em favor da coletividade. “Isso envolve encarar os feedbacks com humildade, procurando entender nosso papel na vida de cada um que se relaciona com a cooperativa, além de olhar o futuro com a missão de construir um amanhã melhor”, avalia o diretor. Segundo ele, os resultados obtidos por essa ‘postura’ demonstram que “a autonomia e a responsabilidade de cada colaborador têm aumentado exponencialmente, assim favorece muito processos de inovação e criatividade na busca de soluções para o grupo”.

A exemplo de outras empresas de ponta, na Viacredi, alinhar os valores do colaborador com os da instituição é uma prática permanente. “Quando há esse alinhamento, o sentimento de estar dedicando suas horas de trabalho a um lugar que está transformando o mundo de acordo com o que você acredita se torna muito presente”, ilustra Sasse. Nesse sentido, ele vê perspectivas animadoras, a partir da certificação, como a “atração de talentos que darão continuidade a esse movimento”.

Já abocanhando na estreia a 7ª posição (na categoria das melhores cooperativas de crédito para trabalhar no país) no GPTW – segundo ranking da Associação Nacional das Instituições de Crédito, Financiamento e Investimento (ACREFI) – a Cresol está consciente de que esse reconhecimento marca um novo momento de sua história. “É um momento especial que confere mais visibilidade nacional à nossa empresa e não deixa de ser um prêmio dos nossos colaboradores, que contribuíram muito para que chegássemos aqui, em um ano especial para o nosso sistema que está completando 25 anos”, festejou o presidente da Cresol, Alzimiro Thomé.

Lágrimas nos olhos

Adriano Michelon – Foto: Cresol

A emoção e o compromisso por pertencer à Cresol é ressaltado pelo superintendente da empresa, Adriano Michelon. “Quando as ações que empreende fazem com que os olhos do funcionário se encham de lágrimas quando este se refere à Cresol, isso faz toda a diferença”, conta. Sobre o perfil do funcionário da Cresol, Michelon explica que a empresa precisa de “pessoas apaixonadas, engajadas e capacitadas para os desafios que, além da remuneração, sintam o prazer de pertencer a algo maior, com propósito claro”, enfatiza.

Dentro dessa estratégia, a autonomia financeira da companhia é destacada pelo superintendente. “A Cresol não deve em nada para qualquer estrutura de banco, de fiscalização, de auditoria. Hoje as visitas desses órgãos são de rotina de trabalho, e a nossa prática com o crédito é extremamente correta e transparente, o que só fortalece nossa posição de instituição de crédito e o exercício diário dos nossos princípios”, acrescenta. 

Trabalhar com satisfação é a senha do sucesso para chegar ao GPTW, na avaliação de Michelon.  “Nossa colocação entre as melhores instituições financeiras para trabalhar é fruto da dedicação dos nossos colaboradores (eles são cerca de 2 mil distribuídos em 11 estados) com que realizam, satisfeitos, suas atividades diárias”, observa. A esse fato, ele acrescenta que “também procuramos trabalhar um conjunto de ações para que eles se sintam bem nos seus ambientes de trabalho e para que possam se engajar cada vez mais ao propósito da Cresol”. Entre as ações coletivas, ele aponta a formação da competência técnica do colaborador, mediante a realização de capacitações, cursos presenciais e a distância, além da oferta de benefícios por parte da organização.

Cinco categorias

Na edição do GPTW deste ano, além das cooperativas de crédito, outras quatro categorias foram contempladas com a certificação – bancos, financeiras, seguradoras e serviços financeiros –  em que inúmeras empresas passaram por critérios de avaliação, conforme a metodologia do GPTW, que envolve questionários respondidos pelos colaboradores, além de avaliação das práticas das empresas.

O GPTW pode ser definida como uma consultoria global que apoia organizações, para que estas obtenham melhores resultados, por meio de uma cultura de confiança, alto desempenho e inovação. Atualmente, a instituição certifica e reconhece os melhores ambientes de trabalho em mais de 90 países, além de oferecer consultoria às empresas interessadas em colocar pessoas no centro da estratégia de negócios.  


Marcello Sigwalt – Redação MundoCoop



Publicidade