Testes comprovam a viabilidade de caminhão a etanol

Publicado em: 20 maio - 2016

Leia todas


 

Após um ano de testes, a Clariant, uma das líderes mundiais em especialidades químicas, e a Scania, um dos principais fabricantes globais de veículos pesados, comemoram os resultados e as oportunidades geradas pela parceria que viabilizou investimento em tecnologias sustentáveis para o transporte de cargas.

O resultado envolve a redução de aproximadamente 90% nas emissões de CO2, em comparação com os motores a diesel utilizados anteriormente.

Os testes foram realizados com três caminhões da Scania, modelo P 270 4×2, movidos a etanol, batizados de Ecotrucks, que realizam o carregamento de isotanques, com capacidade para 25 mil litros de produtos químicos, levando-os até a frota rodoviária de caminhões que parte para as entregas nos clientes da empresa. Os três Scania P 270 trabalham 24 horas, divididos em quatro turnos nos sete dias da semana. O transporte de produtos químicos ocorre dentro da unidade da Clariant em Suzano, interior de São Paulo, o maior complexo industrial da empresa na América Latina.

Screen Shot 2016-05-20 at 10.59.48 AM
O etanol combustível utilizado pelos caminhões da Scania possui em sua composição o aditivo Master Batch ED 95, fabricado pela Clariant no Brasil. A produção local foi fundamental para a viabilidade do projeto, que gerou uma otimização de custos e de logística. O aditivo permite que motores desenhados para consumir diesel utilizem etanol hidratado, ajustando as características do combustível às necessidades do motor para obter um bom funcionamento do veículo.

Como segunda etapa deste projeto, a Clariant passou a utilizar, como parte do combustível para movimentar os Ecotrucks, o etanol de segunda geração fabricado a partir de bagaço de cana com a inovadora tecnologia sunliquid®, que foi vencedora do Prêmio Inovação 2015 para Clima e Meio Ambiente, na Alemanha, e envolve a fabricação de etanol celulósico a partir de resíduos agrícolas, como palha de trigo e milho ou bagaço e palha da cana.

A Clariant traz para a indústria de combustível mundial uma solução integrada de tecnologia do pré-tratamento da biomassa até o produto final de etanol celulósico. Durante o processo, o pré-tratamento, sem química, é utilizado com muita eficiência; a Clariant desenvolveu enzimas altamente específicas à matéria-prima, que dividem a celulose e a hemicelulose em açúcares fermentáveis sob condições estáveis de processamento com alta produtividade.

A produção de enzimas integrada ao processo proporciona flexibilidade e reduz bastante os custos de produção. Na etapa seguinte, um organismo de fermentação permite que os açúcares C5 e C6 sejam convertidos em etanol, aumentando, assim, a produção deste combustível em cerca de 50%.

Desde julho de 2012, a Clariant tem operado uma planta pré-comercial em Straubing, na Alemanha, que produz até 1.000 toneladas de etanol celulósico a partir de cerca de 4.500 toneladas de matérias-primas. Nesta unidade, foram processados mais de 40 contêineres de resíduos de cana-de-açúcar do Brasil, gerando parte do combustível que está abastecendo os Ecotrucks na fábrica de Suzano.

A montadora, em 2007, o início dos testes com ônibus movidos com o combustível no Brasil. Após um período de demonstrações em São Paulo, foram anunciadas as primeiras vendas de ônibus a etanol da história do País. A Viação Metropolitana, atual MobiBrasil, comprou 50 unidades, e a Tupi Transportes adquiriu 10 veículos, para operação pública urbana. Em outubro de 2011, durante a Fenatran (Salão Internacional do Transporte Rodoviário de Carga), a Scania lançou o primeiro caminhão a etanol da América Latina.

Mundialmente, a Scania fornece soluções sustentáveis e produtos movidos a combustíveis alternativos como biogás, gás natural, gás liquefeito, biodiesel, bioetanol, híbrido diesel e eletricidade, híbrido com ultracapacitor, híbrido etanol com bateria e híbrido Euro 6 diesel e biodiesel. No Brasil, além do etanol, a marca oferece chassi para trólebus e ônibus movido a biometano/GNV.