A ética no comportamento do consumidor

Publicado em: 07 janeiro - 2022

Leia todas


O perfil do consumidor está mudando. Se antes apenas o valor e a qualidade de um produto fossem os fatores decisivos para a aquisição, hoje outras diretrizes entram na balança no momento de realizar uma compra. Nos dias atuais, os valores compartilhados na cadeia de produção são tão importantes quanto os anteriormente citados.

Segundo uma recente pesquisa da OpenText, 72% dos consumidores brasileiros deixariam de comprar de uma marca se ela trabalhasse com fornecedores antiéticos. Além disso, a mesma pesquisa aponta que 96% dos consumidores priorizam empresas que deixam claras as suas estratégias de compra ética. 

Para entender como a ética na cadeia de produção está transformando o mercado, a MundoCoop conversou com exclusividade com o Presidente da Aurora Coop, Neivor Canton. Na entrevista que você confere a seguir, ele revela como a ética está presente nos processos da cooperativa.

Confira na íntegra!

MundoCoop: Nos últimos anos, o brasileiro passou a se preocupar mais com a origem dos produtos que consome. Saber que os processos envolvem valores éticos, é um elemento essencial para tomada de decisão sobre uma compra. Considerando que as cooperativas já possuem uma forma diferenciada de lidar com a sua produção, como elas se encaixam na discussão sobre a produção ética de produtos?

O amadurecimento do consumidor moderno que, na decisão de compra, passa a analisar questões de natureza ética, beneficia as empresas cooperativistas. Essas organizações têm nas suas origens, nas suas práticas de produção, nas suas diretrizes de gestão e no seu planejamento estratégico a presença permanente de valores éticos, como o respeito pelos recursos naturais, o interesse pela comunidade envolvente, as boas práticas de produção.

MundoCoop: Na percepção da Aurora, por que o brasileiro passou a se importar mais com a origem dos produtos? Que oportunidades essa mudança de pensamento traz para as cooperativas?

Importar-se com a origem dos produtos significa, na prática, importar-se com seu bem-estar pessoal e com o bem-estar coletivo. A sociedade evolui na medida em que o consumidor exige produtos saudáveis, elaborados em consonância com os preceitos de proteção ambiental, respeito às regras de bem-estar animal, com sistemas de controle e monitoramento dos insumos fornecidos pela cadeia produtiva, sem uso de mão de obra infantil. Essa mudança de comportamento favorece as cooperativas na medida em que – pela experimentação ou pelas ações comunicacionais – o consumidor passa a perceber que as cooperativas são empresas cidadãs, que não subordinam princípios e valores à cega busca pelo lucro.

MundoCoop: No cooperativismo, diversas pessoas estão envolvidas na produção, incluindo cooperados, parceiros e colaboradores. Como a Aurora Coop garante que seus produtos sigam todos os valores éticos compartilhados pela cooperativa? Há um monitoramento da cadeia de produção?

A preocupação com as melhores práticas de produção em todos os elos da cadeia é uma prioridade da Aurora Coop. Por isso, todos os fornecedores passam por seleção baseada em indicadores de eficiência, qualidade e confiabilidade. Nessa área a Aurora Coop também detém protagonismo e pioneirismo. Por exemplo, em 2010 a Aurora lançou o leite longa vida com uma inovação em escala mundial: o sistema ativo de rastreabilidade, batizado de P.A.R. (produto Aurora rastreado). Trata-se de uma solução inédita, totalmente automatizada e transparente, permitindo que os consumidores tenham acesso aos dados sobre o processamento, envase e qualidade dos leites da marca Aurora. Sistemas de rastreabilidade também permitem o controle das cadeias de aves e suínos.

MundoCoop: O cooperativismo tem ganhado cada vez mais espaço, e firmar os produtos de cooperativas como um diferencial no mercado é a chave para uma expansão. De que forma a produção ética contribui para o aumento da visibilidade do movimento? Existem ações coordenadas para explorar esse potencial das cooperativas?

Essa é uma construção de décadas. É da natureza das cooperativas atuar de forma ética internamente e em todas as fases de produção, nas etapas que envolvem cooperados, empregados, fornecedores e outros stakeholders. Da mesma forma, apesar da natural hostilidade e agressividade do mercado, é primordial manter uma atitude ética em disputas comerciais nas esferas nacional e internacional. A perseverança nessa conduta vem sendo percebida pelas comunidades, pelas instituições e pelos consumidores

MundoCoop: No futuro próximo, a ética será um dos valores mais importantes da produção nas cooperativas? Quais perspectivas a Aurora possui sobre esse tema, no contexto das cooperativas?

Eu diria que, no universo das cooperativas, a ética é um valor, um conceito, um postulado, uma orientação que vem sendo observada como uma diretriz inafastável em todas as etapas das atividades laborais, produtivas e empresariais. Essa condição é imanente à doutrina do cooperativismo mundial. Desde o processo de recrutamento, seleção, admissão e capacitação dos nossos trabalhadores, os princípios éticos estão presentes. O mesmo ocorre com o quadro social das cooperativas filiadas por meio de centenas de treinamentos que qualificam os cooperados como agentes econômicos e como cidadãos.


Por Leonardo César – Redação MundoCoop


Confira outras entrevistas:



Publicidade