Jovens cooperativistas disseminam novas ideias ao redor do mundo

Publicado em: 28 maio - 2021

Leia todas


Global Cooperative Entrepreneurs (GCE) é um programa de mentoria inovadora que reúne jovens empreendedores de cooperativas com mentores tanto do movimento cooperativo quanto de organizações juvenis.

O programa GCE não apenas gera uma rede global de pessoas com ideias semelhantes, mas também funciona como um catalisador de novas ideias para apoiar jovens empreendedores a realizarem seus sonhos através do cooperativismo.

Participam do programa jovens de oito países de todas as regiões da ACI – Indonésia, Malásia, Índia, Zimbábue, Uganda, Polônia, Suécia e Colômbia. O programa GCE é uma iniciativa da Parceria ICA-EU ( # coops4dev ), inspirado no projeto CoopStarter 2.0 Erasmus + financiado pela Cooperatives Europe.

Saiba mais sobre o programa nesta nova página da web !

Apesar do severo impacto da pandemia COVID-19 no programa, jovens empreendedores (também conhecidos como jovens embaixadores) estão demonstrando grande capacidade de resiliência e encontrando maneiras de continuar avançando em seus projetos de negócios cooperativos.

Pensando nisso, foi lançada uma série de entrevistas para conhecer alguns dos jovens embaixadores e mentores do GCE. Eles contarão por que escolheram o modelo cooperativo para iniciar sua ideia de negócio.

Começamos com a inspiradora história de Aquila!

p

Breve descrição da sua ideia inicial

Sayur Mayur Ruteng é uma cooperativa de consumidores para apoiar o desenvolvimento econômico dos agricultores locais, especialmente mulheres, em Ruteng, Regência de Manggarai, na Indonésia. Consiste em uma plataforma online de venda de hortaliças e, assim, facilita o acesso ao mercado para os produtores e o acesso à hortaliça para a comunidade. Sayur Mayur significa vegetais em Bahasa e Ruteng é o nome da cidade onde moro agora.

———-

Explique-nos um pouco por quê você escolheu este projeto em particular? Que elementos o fizeram pensar que existe um nicho empresarial e uma necessidade social deste serviço?

Acreditamos que a qualidade de vida da comunidade pode melhorar dependendo do que as pessoas comem. Quando a alimentação é saudável, o crescimento do indivíduo também melhora, o que terá um impacto positivo na comunidade. Para obter alimentos de excelente qualidade, é importante envolver os agricultores na melhoria de sua economia. A relação entre pessoas que precisam de alimentos saudáveis ​​e agricultores que precisam ser melhor remunerados é uma relação que pode ser um modelo de negócio benéfico e ter um impacto social. Nosso trabalho é fazer a ponte entre agricultores e clientes, tanto membros quanto não membros da cooperativa.

Como seu projeto beneficiará sua comunidade?

Ao realizar este projeto, Sayur Mayur Ruteng divide seus objetivos em três partes que acreditamos podem fornecer benefícios de longo prazo para a comunidade:

– No curto prazo, ajudar as empresas da agricultura e pecuária local a comercializar seus produtos e facilitar o acesso à alimentação para a comunidade;

– No médio prazo, estabelecer relações entre agricultores, pecuaristas e comunidades para criar um segmento de ‘novo mercado local’ com a ajuda da tecnologia;

– A longo prazo, como uma plataforma de trabalho colaborativo entre agricultores, criadores, processadores, clientes e governos locais para melhorar a economia e aumentar a consciência pública sobre alimentação saudável, criando também novos empregos para jovens desempregados.

Quando você inicia um projeto empresarial em seu país, quais são em sua opinião os elementos mais importantes para facilitar a realização de seu projeto (por exemplo, um serviço de mentoria, acesso a financiamento, um regulamento de apoio, burocracia)?

Apesar de estarmos engajados na agricultura, não temos conhecimentos avançados em agricultura e aprendemos muitas coisas desde que iniciamos nosso negócio. Além disso, a rede também é muito necessária para executar projetos. Aprendemos com pessoas que trabalharam no desenvolvimento comunitário e com agricultores antes de nós. Atualmente, Sayur Mayur Ruteng colabora com mais de 10 agricultores para fornecer e vários voluntários para aprender juntos. Um voluntário que trabalha com Sayur Mayur Ruteng é representante da Escola Islâmica Moderna de At-Taqwa (Pondok Pesantren Modern Sumber Daya At-Taqwa), que é orientada por Kyai Tanjung para criar um modelo para a área de agricultura orgânica como um local de aprendizagem para a comunidade. Atualmente,

Quais são os principais desafios que você encontrou / está encontrando para seguir em frente?

Sayur Mayur Ruteng foi lançado em maio de 2020, quando a pandemia COVID-19 estava entrando na Indonésia. Uma atividade planejada para ser realizada por Sayur Mayur Ruteng é uma campanha de capacitação para membros e agricultores, que envolverá muitas pessoas. Portanto, Sayur Mayur Ruteng certamente precisa de capacidade financeira e de recursos humanos qualificados dos treinadores. Além de esperar que a pandemia diminua, também estamos mapeando pessoas interessadas em apoiar nosso negócio enquanto avançamos, preparando-nos para atividades futuras.

A pandemia COVID-19 está impactando sua agenda GCE? Em caso afirmativo, qual é o impacto disso e quais medidas você está tomando para continuar com sua ideia de start-up?

A pandemia COVID-19 afetou nosso projeto. Anteriormente, tínhamos planejado envolver alunos de escolas neste projeto. Nossa ideia era formar cooperativas estudantis, que pudessem se tornar um fórum de educação e melhoria econômica e um espaço de preparação dos alunos para o pós-escola. Mas como as escolas mudaram para um sistema online, não há atividades na escola. Enquanto esperamos por melhores condições, capacitamos os agricultores locais que podem se tornar modelos.

O modelo cooperativo está oferecendo mais elementos de resiliência para lidar com a atual crise do COVID-19 do que outros tipos de modelos de negócios ?

Claro. Com uma pandemia que aumentou os preços dos alimentos, o modelo de negócio cooperativo também pode aumentar a conscientização sobre a necessidade coletiva de alimentos de qualidade para as famílias. Além disso, o modelo cooperativo que implementamos pode ser produtivo para a equipe envolvida, já que algumas partes envolvidas são pessoas que perderam seus empregos por causa da pandemia COVID-19.

Qual é a sua projeção para o futuro próximo?

Seguindo os objetivos de longo prazo de Sayur Mayur Ruteng, esperamos que esta cooperativa possa se tornar uma plataforma de trabalho colaborativo para o trabalho comunitário no setor agrícola em Ruteng. No momento, estamos projetando uma colaboração com o governo local. Esperamos que este seja o primeiro passo no movimento cooperativo, especialmente entre os jovens, para defender as questões alimentares na região.

Como você soube do programa GCE?

Encontrei o programa GCE por meio do grupo de jovens ativistas WhatsApp, ao qual me juntei quando procurava informações sobre o modelo de negócios cooperativos para um trabalho anterior. Muitos jovens saem de sua aldeia em busca de trabalho, enquanto em sua aldeia têm recursos abundantes. Acho que o GCE é um programa interessante porque promove jovens, negócios e responsabilidade social.

Por que você decidiu se tornar Embaixador Jovem do GCE?

Este programa é muito interessante porque, onde moro, muitas pessoas da minha idade só reconhecem as cooperativas como um local de poupança e crédito, embora as cooperativas possam ser desenvolvidas em qualquer ramo de negócio. Além disso, se não aprendermos e nos movermos para melhorar a imagem das cooperativas em nossas regiões e promovê-las como modelos, quem o fará?

Como o programa GCE pode ajudá-lo a fazer seu projeto empreendedor acontecer?

O programa GCE me reuniu com mentores, outros embaixadores e muitos cooperadores que trabalham em diferentes setores, que forneceram vários pontos de vista sobre este modelo de negócio. Graças a essas trocas, vejo o negócio de forma diferente: não apenas benéfico para os membros, mas também tendo um impacto positivo para os outros.

Por que você acha que a cooperativa é o melhor modelo de negócio para o seu projeto?

Um desafio comum ao iniciar um negócio é o capital. Quando você começa seu próprio negócio, será mais difícil do que iniciá-lo junto com outras pessoas. O programa GCE me deu uma visão sobre como iniciar e fazer negócios: sobre como os negócios podem ser lucrativos para muitas partes e como aumentar a conscientização sobre as necessidades da própria comunidade.

—-

A  Parceria ACI-UE para o desenvolvimento internacional  (também conhecida como # coops4dev) foi assinada em 2016 entre a Aliança Cooperativa Internacional e a Comissão Europeia para fortalecer o movimento cooperativo como ator chave no desenvolvimento internacional.
Leia mais sobre # coops4dev em  nosso site .


Fonte: ACI com adaptação da MundoCoop



Publicidade