MinasCoop Energia marca nova tendência sustentável no cooperativismo

Publicado em: 18 novembro - 2021

Leia todas


Nos últimos anos, a sustentabilidade ganhou um papel de protagonista na agenda mundial, visto a necessidade de repensar processos e buscar formas de diminuir o impacto da vida humano no planeta. E nesta missão de alcançar um futuro mais sustentável, as cooperativas estão trabalhando para encontrar novas soluções para velhas demandas. 

Uma dessas iniciativas é o Programa MinasCoop Energia, que no final de outubro inaugurou duas usinas de energia fotovoltaica em Cristália, Belo Horizonte. Para entender os objetivos do projeto, a MundoCoop conversou com exclusividade com o superintendente do Sistema Ocemg e coordenador do comitê gestor do programa MinasCoop Energia, Alexandre Gatti Lages. 

Confira a entrevista na íntegra! 

MundoCoop: A busca por soluções energéticas de menor impacto é uma preocupação mundial e tem gerado ações com múltiplas características. Como esse movimento beneficia o cooperativismo? 

O cooperativismo é orientado por valores como ajuda mútua, equidade e solidariedade. Tem uma filosofia diferenciada que prima pela inclusão e pelo desenvolvimento. Nesse sentido, alia no dia a dia de seus negócios produtividade e sustentabilidade. As cooperativas têm o compromisso de cuidar das comunidades nas quais atuam, equilibrando de maneira muito consciente seu papel não apenas econômico, como também social e ambiental, de acordo com as principais pautas mundiais, entre elas a agenda 2030 da Organização das Nações Unidas. 

Para o cumprimento dessa agenda, o segmento vem buscando, desde 2016, cumprir os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentáveis (ODS), entre eles o 7º que é o de energia limpa e acessível. Esse direcionamento vem norteando a atuação do setor nos últimos anos, pautando ações e projetos que visam alcançar a autossustentabilidade e as soluções energéticas, sendo uma dessas pautas a geração de economia para as cooperativas e prática da geração de energia limpa e acessível.  

MundoCoop: O que é o MinasCoop Energia e de que forma o programa funciona? Quais motivos tornam indispensável o investimento em projetos deste tipo? 

O MinasCoop Energia vem sendo estudado há algum tempo e foca na geração de energia autossuficiente, tendo como diferencial o cuidado no âmbito social, inerente aos valores e princípios do cooperativismo. O programa consiste no incentivo às cooperativas em relação à construção de usinas fotovoltaicas para suprir a demanda de energia de suas unidades, com doação de parte dessa energia a entidades filantrópicas em todo o Estado. Em Belo Horizonte, o Sistema Ocemg tem como parceiras a Cooperativa Central dos Produtores Rurais (CCPR) e o Sicoob Credicom na construção das usinas de autogeração de energia, com o compromisso de doar parte da produção para a Santa Casa de Misericórdia da capital. 

MundoCoop: No final de outubro foram inauguradas duas das três usinas previstas pelo programa. De que formas essas usinas irão impactar a região onde estão instaladas? O que essa inauguração representa para o cooperativismo nacional? 

A cidade de Cristália, localizada na região norte de Minas Gerais, foi escolhida para receber as primeiras usinas fotovoltaicas do Sistema Ocemg por possuir níveis de irradiância solar propícia para a instalação desse tipo de empreendimento. Além disso, as extensões de terrenos disponíveis para arrendamento atendiam à demanda da organização. O projeto vem movimentando o desenvolvimento na região com contratação de mão de obra local para a construção das usinas, compra de material, e outros serviços. Além disso, o Sistema Ocemg paga um valor mensal para os proprietários dos terrenos onde estão alocadas as usinas, gerando uma renda extra para essas famílias. A sustentabilidade, a preservação e conservação do meio ambiente também são foco do programa. Para a instalação das duas usinas não foi suprimida nenhuma espécie arbórea. A inauguração das usinas e a participação das cooperativas em projetos como o MinasCoop Energia demonstram que a produção sustentável não é utopia, muito pelo contrário, é uma prática diária nas ações do setor em Minas e no país.  

Inauguração das primeiras usinas do Programa MinasCoop Energia, em Cristália, Belo Horizonte. Em breve, uma terceira usina será inaugurada em Botumirim.

MundoCoop: Além dos impactos ambientais, o programa MinasCoop Energia também contribui para a sociedade de outras maneiras. Qual a importância da criação de um programa como esse? Quais os objetivos do MinasCoop Energia? 

Como signatário do Pacto Global, o Sistema Ocemg coopera em diferentes esferas para o atingimento dos ODS e este programa é mais uma ação de grande relevância que contribui com a Agenda 2030. O programa atende a 10 dos 17 ODS, com destaque para o número 7 – Energia Limpa e Acessível, mas abarca também aqueles voltados para Parcerias e Meios de Implantação (17), Saúde e Bem-Estar (3), Trabalho Descente e Crescimento Econômico (8), Cidades e Comunidades Sustentáveis (11), entre outros. 

Cientes dos benefícios financeiros gerados pelas fontes renováveis e da preocupação mundial com as mudanças climáticas, o MinasCoop Energia foi construído com base em três pilares: Econômico – visando a redução de custos e a economia de recursos; Ambiental – com geração de energia limpa; e Social – para suprir a necessidade energética de entidades filantrópicas de Minas Gerais. A iniciativa já conta com mais de 30 cooperativas participantes em todo o Estado, sendo que cada uma escolhe quais entidades serão beneficiadas. 

MundoCoop: De que formas podemos expandir os impactos sociais e econômicos dessa iniciativa? Quais benefícios devem ser identificados no médio e longo prazo? 

O setor cooperativista tem grande representatividade em Minas e no Brasil e as cooperativas atuando com este foco dão exemplo do que devemos fazer para a produção de energia limpa e renovável. O modelo de energia fotovoltaica é o caminho para baixar o custo da energia no país.O MinasCoop Energia é dividido em etapas regionais, tendo início pela etapa BH e já contando com adesões ou negociações de outras cooperativas para a implantação do projeto nos municípios de Carmo da Cachoeira, Carmo de Minas, Araguari, Santo Antônio do Monte, Guanhães, Dores do Indaiá, João Monlevade e Machado. 

Vale destacar os benefícios desse modelo para as economias locais que recebem o projeto. As usinas podem e devem ser construídas em locais propícios e que, eventualmente, são carentes. Nesse sentido, é uma iniciativa que transforma a vida de famílias inteiras e das comunidades locais que passam a ter renda para fazer girar também a economia na região. 

MundoCoop: O tema sustentabilidade está, cada vez mais, conectado com os processos do dia a dia. Qual a visão da Ocemg sobre este tópico? 

Atualmente estar alinhado com as bases da sustentabilidade ou ESG é uma questão de coerência também com os valores e princípios cooperativistas e mundiais. A partir do MinasCoop Energia, 30% do consumo de energia da Santa Casa de Misericórdia será fornecido pelo Sistema Ocemg e as cooperativas parceiras desse projeto. A médio prazo, o objetivo é suprir toda a demanda de energia do Santa Casa. 

Outro aspecto relevante, é nossa atuação no desenvolvimento sustentável das comunidades em que estamos presentes em parceria, por exemplo, com o próprio Governo do Estado. Além disso, o Sistema Ocemg vem desenvolvendo as competências necessárias dos gestores e empregados das cooperativas mineiras, por meio de palestras, cursos e outras soluções de educação, para que sejam alcançados resultados em nível estadual cada vez mais significativos e perenes nesse sentido. 

MundoCoop: O que podemos esperar nos próximos anos, em relação ao cooperativismo e às práticas sustentáveis?  

Temos evoluído muito no tocante às práticas sustentáveis. O alinhamento junto ao Pacto Global e aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU, bem como nos Comitês ligados a essas temáticas, tem nos permitido implantar práticas cada mais efetivas. O setor cooperativista tem um papel essencial nesse processo de inovação e influência junto a diversos públicos como governos, fornecedores, colaboradores e consumidores. Temos uma grande oportunidade e a imensa responsabilidade nessa disseminação, capacitação e engajamento à cultura sustentável. O movimento de atuação do cooperativismo continuará acompanhado não só as tendências mundiais, mas também as inovações com o compromisso de gerar sempre mais valor para nossas cooperativas, sociedade e colaboradores. 

MundoCoop: Quais as perspectivas para o futuro do programa MinasCoop Energia? Existem ações pré-determinadas e que busquem a expansão do projeto? 

Esperamos que em um futuro bem próximo todas as cooperativas mineiras estejam integradas ao programa. E para que isso aconteça estamos incentivando o setor na adesão a essas propostas de geração de diferentes formas de energia limpa. Desde a sua aprovação pelos conselhos da Ocemg e do Sescoop-MG, em dezembro do ano passado, o MinasCoop Energia já conta com a participação ou solicitação de adesão de várias cooperativas e está aberto para todas as 756 do Estado. Mas, tão importante quanto a autogeração da energia limpa, é a conscientização de dirigentes, gestores, colaboradores e cooperados no dia a dia. Nesse sentindo, é preciso evidenciar a importância da eficiência energética para além da construção e uso de energias limpas. Por isso, como segunda etapa do projeto, o Sistema Ocemg irá trabalhar a eficiência energética nas cooperativas participantes e instituições beneficiadas com a doação de energia. 


Confira outras entrevistas exclusivas:


Notícias Relacionadas:



Publicidade