O papel do uso de dados no futuro das cooperativas

Publicado em: 03 dezembro - 2021

Leia todas


Vivemos em uma era digital. E a cada passo que damos, produzimos informações que podem ser coletadas, armazenadas e comercializadas. Os dados se tornaram o principal produto do século XXI, e este é um cenário que veio para ficar. Com mais e mais informações circulando nas redes a cada dia, buscar formas para garantir a segurança e o bom aproveitamento desses dados se tornou uma missão para empresas, organizações e cooperativas.

Para entender os fatores que tornaram os dados um produto tão valioso, e quais as perspectivas para esse tema nos próximos anos, a MundoCoop conversou com exclusividade com o especialista em dados, Fábio Telles Rodriguez.

Confira abaixo!

MundoCoop: Nos dias atuais, os dados ganharam uma grande relevância, sendo um tópico comum entre vários setores. Que motivos levaram os dados a ganharem esse destaque? Como eles se encaixam no atual contexto da sociedade? 

Vivemos numa sociedade em constante crescimento. A população cresce, a economia cresce, a produção cresce, a expectativa de vida cresce. Esse crescimento sempre acaba se refletindo em aumento de complexidade e quantidade de informações e interdependência entre estas informações. As tecnologias de informação e comunicação permitiram lidar com esse crescimento de formas muito eficiente, numa velocidade incrível. Possuímos aparelhos conectados na Internet produzindo informação o tempo todo e trocando esta informação na nuvem num volume assustador. Localização em GPS, fotos, texto, música, tudo trafega de dispositivos portáteis para a nuvem o tempo todo. 

MundoCoop: Na sociedade atual, produzimos dados a todo momento. Mas afinal, o que são esses ‘dados’? Quais os tipos de dados que mais são relevantes para o contexto mercadológico atual? 

Trabalhamos basicamente com 3 tipos de dados: Estruturados, que são informações com um formato pré definido e validado por um modelo desenhado para manipular esses dados, armazenados em bancos de dados relacionais (Qual o preço de um produto? Quanto ele vendeu esse mês?); Semi estruturados, que são informações com alguma organização pré definida mas um grau de imprevisibilidade maior dentro de certos limites (Quais os dados dos documentos apresentados num processo jurídico? Qual a opinião sobre um produto das pessoas que postam no Facebook?), e não estruturados, que são informações arbitrárias que não são coletadas e armazenadas de forma organizada num formato que seja simples de analizar e extrair informações relevantes deles futuramente (Como estou me sentindo hoje? O que lembro sobre a conversa no telefone hoje de manhã com meu filho?). 

MundoCoop: Com mais dados sendo produzidos a cada dia, criar ferramentas e processos para gerenciá-los é de suma importância. As empresas, organizações e cooperativas já estão preparadas para utilizar os dados que possuem em suas mãos? Em caso de resposta negativa, o que falta para que elas retirem o potencial máximo desse item valioso? 

Existem N ferramentas para coletar, armazenar, organizar e extrair informações a partir dos dados coletados. Existem cenários onde temos uma grande quantidade de informações simples e fáceis de manipular. Este é o cenário mais fácil de lidar com sistemas informatizados. Em outros cenários onde temos um baixo volume, mas de alta complexidade. Neste caso, costumamos lidar de forma mais manual e confiar na inteligência de pessoas para lidar com esta complexidade. Mas é quando temos informações complexas em grande volume que as operações se tornam realmente desafiadoras. Investir em processos e tecnologia é fundamental para poder extrair informações relevantes para a sua organização. Quanto mais informação organizada, maior a capacidade que temos de tomar decisões baseadas em evidencias claras e não na nossa percepção subjetiva da realidade. 

MundoCoop: De que formas os dados coletados dos clientes podem ajudar no desenvolvimento das organizações? Como a análise desses dados ajuda na identificação de novas oportunidades, na criação de ações junto à comunidade, entre outros tópicos? 

Existem inúmeras respostas que conseguimos extrair dos dados. Algumas respostas são simples consultas aos dados disponíveis (“Qual produto vende mais?”, “Em qual horário temos mais gente comprando?”, “Quando o consumo de energia elétrica aumenta?”). Outras informações dependem de análises e exploração dos dados. 

Análise de dados semiestruturados como dados de redes sociais, são utilizados em ciência de dados para descobrir se um público específico tem determinadas opiniões políticas, ou engajamento com determinadas opiniões por exemplo. Isso é amplamente utilizado para influenciar campanhas publicitárias e campanhas políticas ou mesmo políticas públicas como segurança pública, saúde e educação. Saber qual é o problema e onde ele está, nos torna capaz de reagir a ele. 

MundoCoop: Em um contexto onde a LGPD está mudando a relação das empresas com os dados em suas mãos, de que forma as cooperativas – e outras organizações – podem se preparar para utilizar os dados de forma ética e responsável? Quais cuidados são necessários durante esses processos? 

A responsabilidade pelo uso dos dados aumentou, e isso é algo positivo para a sociedade como um todo, mas está longe de ser algo simples. Você tem em primeiro lugar que tomar mais cuidado com a forma como coleta os dados. Tem que pedir autorização para armazenar estes dados para a pessoa que lhe fornece ele. Depois tem que cuidar da segurança dos dados e garantir que eles estejam armazenados de forma segura, o que não é algo simples quando todos estamos conectados na internet. E por fim, temos que fazer um uso justo desta informação, dentro de termos previamente estipulados no momento da coleta dos dados. 

Ao fim e ao cabo, o importante é utilizar a informação coletada apenas para o propósito que você comunicou para a pessoa que lhe forneceu às mesmas de forma clara e segura. 

MundoCoop: Com a chegada de novas ferramentas e redes de internet mais rápidas, a tendência é que o volume de dados gerados continue a crescer. Quais as perspectivas para o futuro desse tema? Podemos prever que os dados serão o recurso mais valioso da próxima década? 

Informações já são recursos muito valiosos. Há uma ideia de que quando você consome um serviço gratuito de uma empresa, em geral a informação sobre você é o produto real. As empresas oferecem estes serviços como forma de coletar os seus dados e vende-los de forma organizada para outras empresas depois. Cada vez mais os limites éticos no uso destas informações serão questionados e o acesso a elas será vendido como um ativo precioso. 

Saber lidar com informações é o que nos torna capazes de ampliar nossa capacidade de produzir bens e serviços, de tomar decisões melhores e de oferecer melhor qualidade de vida para as pessoas. O problema é como as informações são coletadas, como são manipuladas e para quais fins estas informações são utilizadas. Temos cada vez mais novas tecnologias, novas carreiras e novas ideias para trabalhar com novos desafios relacionados ao tema. Uma coisa todos nós temos certeza: para entender o mundo onde vivemos, precisamos entender como os dados são manipulados, à não ser que você não se importe de ser o produto. 


Por Leonardo César – Redação MundoCoop


Confira outras entrevistas:



Publicidade