Os fatores de sucesso por trás dos recordes cooperativistas

Publicado em: 10 fevereiro - 2022

Leia todas


O cooperativismo é um grande motor da economia brasileira. E quando estamos falando do agronegócio, as cooperativas já representam 54% do setor e firmam-se ano após ano como um elemento essencial do mercado mundial. Tais resultados são possíveis graças a um constante desenvolvimento interno das cooperativas, que ampliam seus serviços, buscam as novidades do mercado internacional, e assim, colocam-se como grandes peças para o desenvolvimento de diversas regiões do país. 

A Cooperativa de Produtores Rurais (Coopercitrus) é um exemplo deste sucesso do ramo. Com sede em Bebedouro (SP), a cooperativa que atende 37 mil cooperados registrou em 2021 um crescimento de 35%, alcançando um faturamento de R$8 bilhões. Para 2022, os planos incluem a abertura de novas unidades e a abertura de postos de trabalho, algo que deve garantir um novo resultado recorde ao final deste novo ciclo. 

Para entender melhor sobre a recente trajetória de sucesso da cooperativa, a MundoCoop conversou com exclusividade com o CEO da Coopercitrus, Fernando Degobbi. Na entrevista que você confere abaixo, ele fala sobre os fatores que levaram a tais resultados e traz um panorama sobre os atuais desafios do mercado. 

Confira na íntegra! 

MundoCoop: Recentemente a Coopercitrus revelou que obteve um crescimento de 35% em 2021, chegando à incrível marca de R$ 8 bilhões em faturamento. A quais fatores a cooperativa atribui esses resultados? 

Um bom planejamento e capacidade de execução, oferecendo aos cooperados oportunidades no momento certo e conseguindo cumprir com os compromissos de entrega de insumos e equipamentos para que as operações dos cooperados tivessem êxito. 

MundoCoop: No segundo ano da pandemia da Covid-19, como a Coopercitrus atuou junto aos seus cooperados, sobretudo no exercício do princípio do interesse pela comunidade? 

Muitos projetos foram feitos no sentido de auxiliar entidades, realizar ações de suporte a parte social. Conseguimos com segurança e respeitando protocolos de distanciamento e higienização, fazer o atendimento no campo de forma efetiva. 

MundoCoop: 2021 representou um período de transição, com o retorno gradativo das atividades, a partir do segundo semestre. Que mudanças a cooperativa identificou na forma como realiza as suas atividades? 

A Cooperativa desde o início da pandemia trabalhou com plataformas digitais de eventos e negócios, fizemos uma feira digital muito expressiva, a Coopercitrus Expo, com 2 edições e participação de mais de 100 mil pessoas, entre cooperados, produtores e profissionais da área, realizamos mais de 3 bi em negócios e atendemos um grande número de produtores, com palestras técnicas e apoio nas propriedades. 

MundoCoop: Quais inovações a Coopercitrus buscou no contexto da produção e do relacionamento com o cliente? De que forma tais ferramentas ajudaram a cooperativa a se destacar diante do mercado?

Partimos fortemente para construção de plataforma digital, aplicativo Campo Digital Coopercitrus, e dentro dos protocolos de segurança continuamos atendendo na propriedade, fizemos um modelo híbrido, onde o atendimento do campo era complementado nas nossas plataformas digitais. 

MundoCoop: Olhando para o período atual, para a Coopercitrus, quais serão as grandes tendências do setor cooperativista em 2022? 

A Coopercitrus está consolidando seu modelo de negócios, com o produtor no centro de sua proposta de valor. Em 2022, projetamos um ano de mais desenvolvimento, mais crescimento para a cooperativa e seus cooperados. 

MundoCoop: Quais as perspectivas da cooperativa para 2022? Que ações estão planejadas para os próximos meses? 

Estamos trabalhando com ampliação da nossa estrutura, de nossa rede de atendimento, com a integração de todos os processos, produtos, oferecendo tudo que o produtor precisa, desde insumos, máquinas e suporte tecnológico. A Cooperativa pretende abrir no primeiro semestre, mais 10 unidades, investindo 50 milhões de reais, contratando mais de 200 profissionais, ampliando assim, sua geografia e a base de cooperados. 


Por Leonardo César – Redação MundoCoop


Confira outras entrevistas:



Publicidade