Unimed do Brasil discute tendências e alinha Comunicação e Marketing em âmbito nacional

Publicado em: 28 julho - 2016

Leia todas


1466083960751CABECALHO_MKT

 

De 27 a 29 de julho, na capital paulista, acontece o Encontro de Comunicação e Marketing do Sistema Unimed 2016, reunindo os profissionais dessas áreas que atuam nas singulares, centrais e federação. O evento é marcado por palestras e apresentações sobre temas da atualidade, feitos por reconhecidos especialistas de ambas as áreas.

Nesta edição, em especial, são apresentadas tendências e temas que influenciam positivamente em planejamentos, como criatividade, computação cognitiva, neuromarketing, relações públicas, reputação, endomarketing e comunicação interna, entre outros.

Entre os objetivos está o alinhamento, em âmbito nacional, das ações desenvolvidas pelos diversos níveis do sistema, seja junto ao cooperado (médico), seja junto ao cliente e/ou ao usuário dos serviços disponibilizados pela operadora de saúde.

O painel sobre tendências abriu o encontro e foi coordenado pelo diretor Comercial e de Relacionamento Institucional da Unimed Belo Horizonte, Luiz Fernando Neves Ribeiro. Quatro temas foram tratados nesse espaço: os dois primeiros, relacionados a novas opções de atendimento médico (Dr. Consulta e Docway), foram seguidos de comportamento digital na terceira idade e novos arranjos familiares como desafio para o marketing. O encontro também é palco para o Prêmio de Comunicação Unimed – Alberto Urquiza Wanderley e o Prêmio de Marketing Unimed – Dr. Nilo Marciano de Oliveira

Logo após as apresentações, Ribeiro conversou com a MundoCoop e falou sobre as atividades desenvolvidas pela singular visando a antecipar-se às tendências.

Qual a importância de um evento como este para o cooperado que está lá na ponta e para o cliente?
Na Unimed -BH Somos 4.000 colaboradores e 1,2 milhão de clientes, e um encontro como este, mesmo para uma estrutura robusta como a nossa, agrega valor. Mas para as Unimeds menores, agrega muito mais valor, pois é muito conhecimento, muita novidade e um despertar para as novas situações e necessidades. Esse encontro ajuda os profissionais de Marketing e de Comunicação do Sistema Unimed a desenvolverem caminhos de relacionamento com o médico cooperado e o cliente final, e, com isso, ajudar a equacionar um dos principais gargalos: o acesso à saúde de qualidade. Esse tipo de encontro ajuda a formar uma estratégia de comunicação junto ao médico, para trazê-lo à operadora e à diretriz do atendimento, por exemplo. Além disso, para trabalhar como um sistema, o intercâmbio e a capilaridade são muito importantes.

Como a Unimed-BH está tentando resolver os problemas de evasão de clientes em decorrência da queda da atividade econômica e da elevação do desemprego registrados nos últimos meses?
A média de evasão está em 4%, que é o padrão na região metropolitana de Belo Horizonte. Especificamente a Unimed-BH – que tem 80% de seus clientes na área corporativa e 20% são individuais, com 49% de market share ­– está com uma política agressiva de conquistar e fidelizar esse cliente, negociar e acompanhar o cliente de perto.

De forma prática, que ações de fidelização do cliente estão sendo desenvolvidas? E com relação à ampliação da expectativa de vida da população, que mais do que tendência é realidade, o que a Unimed vem fazendo?
Desenvolvemos e implantamos um novo produto de atenção integral à Saúde, que dá ao cliente um gerente de saúde, e todo o caminho desse cliente no sistema de saúde é gerido por esse profissional. Há também uma rede de referenciamento e contra-referenciamento na atenção secundária e terciária. Esse é um embrião que está dando certo e já têm outras Unimeds no mesmo caminho, como a Unimed Vitória. Temos também um programa de atenção e classificação de risco do idoso e um programa muito avançado de acompanhamento, fidelizando esse cliente a um médico de referência para ser um gestor.

As alterações do cenário econômico provocaram alterações na singular?
Em Belo Horizonte, criamos um procedimento que chamamos de ASA – Agilidade, Simplicidade e Austeridade – que fundamenta a nossa gestão e promoveu redução de custo, revisão de todos os processos internos e de todos os contratos. Também estamos criando indicadores e destacando para os cooperados a importância da participação deles, pois com esses indicadores eles conseguem se enxergar e se comparar com os médicos da mesma especialidade.

Soluções como Dr. Consulta e DocWay são complementares ou concorrentes de uma operadora de saúde? Essas opções ganham espaço em momentos de turbulência econômica?
O Dr. Consulta, por exemplo, é uma prestação de serviços com atendimento focal, que resolve o problema imediato do cliente, mas sem uma linha de cuidados com o paciente, com multiprofissionais, internação, cirurgia. O objetivo é resolver o problema imediato do paciente. O que é muito diferente do que fazem as cooperativas do Sistema Unimed.



Publicidade