Acelera Agro apoia quatro projetos nascidos no meio acadêmico

Publicado em: 04 agosto - 2016

Leia todas


De olho em novas soluções para potencializar a produtividade da agroindústria, a Algar Agro em parceria com a Empreendi na Rede, iniciou o trabalho de tutoria com as quatro melhores propostas mais bem colocadas no Desafio Algar Agro de Inovação – realizado em abril: Intech, Viver do Leite, 4Agro e Plantel Saúde Limpa.

Os projetos – oriundos das regiões do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba – durante quatro meses estarão no período de aceleração, que, segundo a especialista em Inovação, Larissa Macedo, caracteriza-se pelo apoio de tutores aos idealizadores das propostas. Esses tutores, que são associados do grupo Algar (o correspondente a funcionários), compõem o Comitê de Inovação da empresa e serão responsáveis pelo direcionamento estratégico para que cada proposta possa ser validada dentro da plataforma de atuação da Algar Agro. À Empreendi na Rede caberá o papel de facilitadora do processo de desenvolvimento de soluções e negócios inovadores desde a concepção da ideia até o lançamento do produto/serviço.

O objetivo é ir além do conceito tradicional de Open Innovation, pois as propostas que foram recebidas do meio acadêmico, de autoria de pesquisadores de universidades da região, durante o Desafio, poderão se tornar projetos executáveis na empresa”, explicou a especialista, informando que, no período de aceleração, “os empreendedores selecionados irão refinar suas propostas de valor, chegando a um protótipo de cada solução”.

Os projetos

Intech – Nos últimos anos, com o aumento da pressão sobre a produção agrícola, a necessidade de desenvolvimento de fontes alternativas e viáveis para substituição parcial ou total de fontes de proteínas tem incentivado pesquisas nos mais diversos campos do conhecimento. Desta forma, este projeto objetiva a produção de um aditivo promotor de crescimento animal à base de macro e micronutrientes provenientes de insetos.

O produto será constituído por um pool de dois artrópodes, Barata Cinérea (Nauphoeta cinerea) e Tenébrio Comum (Tenebrio molitor), previamente criados, tratados e processados a partir de espécimes selecionados de acordo as normas da Agência Nacional de Vigilância Sanitária e do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Além disso, o aditivo planeja a redução do uso de ureia em rações para agropecuária, o que também contribuiria para a redução de custos do produtor. A escolha pela matéria-prima animal se deve ao fato de tais artrópodes apresentarem uma excelente composição nutricional, atingindo altíssimos níveis de proteínas (média de 60%), fibras, minerais e vitaminas. Além disso, tais proteínas são consideradas de alto valor biológico (apresentando boa relação entre aminoácidos essenciais e não essenciais), boa digestibilidade e palatabilidade. Os insetos seriam alimentados com subprodutos da agricultura, muitas vezes descartados por causa de menor interesse econômico. Por fim, a criação dos insetos é de fácil manejo, baixo custo e apresentam grande potencial na nutrição animal.

Viver do Leite – O alto custo dos insumos tem levado os produtores rurais a buscarem novas alternativas para a alimentação eficiente dos rebanhos leiteiros. O Resíduo Úmido de Cervejaria (RUC) é um dos principais subprodutos utilizados na produção de leite. Entre as principais vantagens estão o alto nível de proteínas, sendo principalmente proteínas com o perfil by pass, ou seja, proteínas não degradáveis no rúmen (PNDR). Entre os principais desafios do uso do RUC na alimentação de ruminantes estão o alto conteúdo de água e baixo teor de matéria seca, os valores de matéria seca do RUC estão entre 20 e 30%. O alto teor de umidade é o principal aspecto responsável pela inviabilidade do uso deste produto em fazendas distantes dos grandes centros produtores de cerveja.

O uso de proteínas by pass na alimentação animal vem se tornando uma importante ferramenta utilizada em fazendas, já que em rebanhos de alta produção leiteira, o uso apenas de fontes protéicas de alta degradação ruminal (PDR) não são capazes de suprir a necessidade de proteína metabolizável no intestino delgado. Atualmente, a principal fonte de proteína by pass utilizada no mercado é desenvolvida a partir do tratamento do farelo de soja, porém, gerando alto impacto econômico nas fazendas, sendo comercializada a valores superiores ao farelo de soja convencional. O objetivo deste projeto é desenvolver um método de secagem para o RUC de forma que seja economicamente viável, mantendo a qualidade nutricional e que seja comercialmente competitivo com as atuais fontes de proteína by pass.

4AGRO – É uma plataforma de negócios para empreendimentos rurais e agroindustriais. Diferente de uma simples loja virtual, em que um único vendedor está em contato com seus clientes, uma plataforma de negócios é capaz de ligar uma rede de vendedores a vários compradores em um ambiente dinâmico e interativo de e-commerce. Alguns exemplos conhecidos de plataforma de negócios são: Mercado Livre, OLX, Amazon e eBay. Não existe, contudo, nenhuma plataforma de negócios consolidada para o nicho de mercado contemplado nessa proposta.

Plantel Saúde Limpa – O metano é muito importante como um dos Gases do Efeito Estufa (GEE). A pecuária é responsável por cerca de 20% da produção mundial de metano. Os ruminantes têm melhor capacidade de absorver os nutrientes quando o mesmo tem a capacidade de aproveitar os nutrientes na digestão microbiana. A microbiologia do rúmen é extremamente completa, devido ao grande número de organismos presentes. Estima-se que entre 10% a 12% da energia do bovino obtida através de alimentos, é perdida na forma de metano, por eructação. As bactérias metanogênicas são organismos capazes de produzir metano.

Estas bactérias são especialmente importantes para o ecossistema ruminal, pois tem um papel importante na regulação de fermentação pela remoção das moléculas de H2. Praticamente todo o metano é produzido pelas reações de redução de CO2 acoplada ao fornecimento de elétrons pelo H2. Assim este projeto tem como proposta a produção de um medicamento homeopático para bovinos e quando o animal tomar uma dose de 0,18 mL/cabeça/dia deste medicamento incorporado no sal mineral ocorrerá a diminuição da prevalência de bactérias metanogênicas no rúmen.

A redução destas bactérias implicará em menor produção de metano no intestino do animal, que resultará em maior disponibilidade energética para a produção de ácido propiônico disponibilizando maior quantidade de substrato. E o animal utilizará esse excesso de substrato produzindo energia aumentando seu peso (carne) e produção de leite. Além disso, outro benefício secundário surgirá desta formulação que será a redução da emissão de metano, favorecendo o meio ambiente e a sustentabilidade na pecuária.