Audiência pública sobre participação de cooperados no PAP

Publicado em: 11 julho - 2017

Leia todas


Os impactos do Plano Agrícola e Pecuário 2017/2018 (PAP) para o cooperativismo brasileiro, principalmente a burocratização na tomada de crédito pelas cooperativas, serão temas da audiência pública que será realizada, em 12 de julho, às 11h, em Brasília (DF). Foram convidados a participar da audiência, o presidente do Banco Central, Ilan Goldfan, o secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Neri Geller, o secretário-Adjunto de Política Agrícola e Meio Ambiente, Ivandré Montiel da Silva, o secretário de Estado da Agricultura e do Abastecimento do Paraná, Norberto Ortigara, o presidente da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), Murilo Portugal, e o presidente da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), Márcio Lopes de Freitas.

Segundo o deputado Sérgio Souza – presidente da Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento Desenvolvimento Rural da Câmara dos Deputados – o objetivo da audiência é ouvir as razões do Banco Central para exigir a identificação dos cooperados no momento da comercialização. “Esta resolução do Banco Central traz um certo engessamento para as cooperativas, por este motivo, decidimos reunir os atores envolvidos nesse processo, o Ministério da Agricultura, o Banco Central e representantes do setor cooperativo, para fazermos uma certa pressão para a necessidade de mudar essa exigência. Por isso, é importante que o maior número possível de cooperativas participe dessa audiência, porque isso dará mais força para o que estamos pedindo”, disse o parlamentar, frisando que o Banco Central precisa entender que a cooperativa é um único CNPJ, porém sua cooperação de compra e venda envolvem milhares de CPFs dos cooperados. “E se tivermos que identificar cada um será um problema, além do que a cooperativa não tem como obrigar, ou seja, dizer para o cooperado, qual o momento que ele deve vender ou comprar”. A informação foi dada pelo parlamentar em reunião com a Diretoria do Sistema Ocepar, em 10 de julho.

Na audiência pública, também estarão em discussão outros temas do Plano Safra que preocupam o setor cooperativo. “O atual Plano Agrícola e Pecuário traz reflexos prejudiciais às cooperativas agropecuárias, principalmente em relação aos recursos de crédito rural para adiantamento a cooperados, aquisição de insumos, custeio do beneficiamento e industrialização. Com objetivo de reverter essa situação, o Sistema OCB e a Ocepar já implementaram várias ações junto ao Governo Federal, Ministérios da Agricultura e da Fazenda, Banco Central e, principalmente, à Comissão de Agricultura da Câmara dos Deputados”, esclarece o presidente da Ocepar, José Roberto Ricken.



Publicidade