Campanha de Solidariedade doa equipamentos de segurança a cinco cooperativas de SP

Publicado em: 05 dezembro - 2020

Leia todas


Como reforço às medidas de prevenção contra o coronavírus, a Campanha de Solidariedade aos Catadores do Brasil entregou equipamentos de proteção individual (epi) a cinco cooperativas de reciclagem de São Paulo, na semana passada, numa ação coordenada pela Associação Nacional de Catadores e Catadoras de Materiais Recicláveis (ANCAT), juntamente com o Movimento Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis (MNCR) e a Unicatadores. As doações contemplaram as cooperativas Chico Mendes, Cooper Leste de São Mateus e YouGreen, na Capital paulista, CRUMA (Poá) e Univence (Suzano). 

Na oportunidade, também foram beneficiados com epi’s e epc’s (equipamentos de proteção coletiva) outros 16 empreendimentos do estado, entre cooperativas e associações de catadores. A previsão é de que sejam distribuídos, no total, 624 kits de proteção individual.

 O catador e presidente da Ancat, Roberto Rocha, saudou a iniciativa. “Esses equipamentos são fundamentais para que sejam retomados os trabalhos dos catadores, que desempenham um papel essencial na sociedade e que, por este motivo, precisam contar com toda segurança possível”, admite, ao ressaltar que a maioria das cooperativas, com suas atividades paralisadas desde o início da pandemia, não teria condições financeiras de adquirir os equipamentos.   “Portanto, é uma contribuição muito importante da Campanha de Solidariedade”, completa.

O secretário-executivo Da Plataforma ‘Reciclar pelo Brasil”, Edy Merendino, explica que, “passados quase oito meses do início da pandemia, as cooperativas estão adotando novos protocolos de segurança, sob o acompanhamento dos órgãos responsáveis, para retomar gradualmente os trabalhos”. 

Equipamentos de proteção são um requisito básico para o trabalho dos catadores, na opinião do coordenador do Comitê de Integração de Resíduos Sólidos (CIRS) – vinculado à Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente do Estado de São Paulo (SIMA) – José Valverde. “Essa ação é um gesto de reconhecimento a esta categoria tão importante, além de chamar a atenção para a necessidade de que as cooperativas incorporarem esses equipamentos diariamente, tendo em vista o bom exercício da atividade”, afirma.

Sem contar com os uniformes completos – que incluem botas, máscaras e protetores faciais – as 21 cooperativas e associações vão receber materiais de proteção coletiva, como água sanitária, álcool em gel, pulverizadores e tapete sanitizante. O kit inclui, ainda, um guia, baseado no Manual Operacional do Observatório de Reciclagem Inclusiva e Solidária (ORIS), que contém orientações sobre a utilização dos materiais e os cuidados para evitar o contágio. A campanha teve apoio financeiro da Iniciativa Regional para a Reciclagem Inclusiva (IRR) – por meio da Fundação AVINA – e da Plataforma “Reciclar pelo Brasil”, um programa que abrange centenas de cooperativas de reciclagem ao redor do País.

Solidariedade já

Concebida, em março deste ano, para minimizar os efeitos financeiros danosos da pandemia sobre a categoria, a Campanha de Solidariedade aos Catadores do Brasil, em sua nova fase, conta com 28 apoiadores (entre empresas e instituições), além de receber doações da sociedade civil. Até o momento, foram beneficiados 7 mil catadores de cooperativas e individuais, com cestas básicas, cartões-alimentação (no valor de R$ 200) – em parceria com a Sodexo. A experiência de doação se baseia em estudo elaborado em 2010 pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), que mediu a disposição dos catadores em cada região do país.


Por Marcello Sigwalt – Redação MundoCoop (com informações da Ancat)


Notícias Relacionadas



Publicidade