Cooperativa de saúde fortalece o cuidado com a sociedade por meio de ações de sustentabilidade

Publicado em: 10 novembro - 2021

Leia todas


No último ano, a maior cooperativa do Sistema Unimed poupou aproximadamente 5 toneladas de resíduos com ações de reciclagem, gestão de insumos

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a saúde ambiental é caracterizada por todos os aspectos da saúde humana, incluindo aqueles movimentos que trazem impacto direto para a qualidade de vida das pessoas. Há muitos anos as mudanças climáticas, o meio ambiente e os hábitos de consumo provocam consequências prejudiciais para a saúde dos seres humanos. Dessa forma, a Central Nacional Unimed busca investir em práticas que possam contribuir na melhoria do ambiente e da saúde, não somente dos seus beneficiários, mas da população em geral. Para isso, a maior cooperativa do Sistema Unimed acredita no poder da sustentabilidade para uma existência com mais harmonia e fortalece a cada o empenho da marca em ações que geram resultados robustos, seja com a gestão de resíduos, a economia de recursos, controle de emissões ou descartes.

“Na Central Nacional Unimed somos todos movidos em prol da saúde. Com a chegada da pandemia, a sociedade intensificou o olhar a respeito da dedicação das organizações em implementar melhores práticas ambientais, sociais e de governança, em pauta com o conceito ESG (sigla em inglês para Environmental, Social and Corporate Governance). Para nós, esse é um caminho inegociável há muitos anos e temos orgulho em realizar ações pioneiras dentro da saúde suplementar e da nossa operação, que diariamente sensibilizam os mais de 1.700 funcionários em nossas atividades em todo o Brasil. Isso é o cooperativismo médico: um vetor que modifica positivamente a sociedade em busca de ações transformadoras”, diz Luiz Paulo Tostes Coimbra, presidente da CNU.

Com essa visão, a produção e distribuição das tradicionais carteirinhas do plano de saúde, produzidas com plástico PVC, material que pode levar mais de cem anos para se degradar na natureza, foi ressignificada na operação da CNU. “Esse tipo de insumo representa o maior impacto ambiental relacionado ao nosso negócio. Atualmente cuidamos de cerca de 2 milhões de pessoas. O raciocínio é bem simples: se cada uma dessas pessoas tiver esse item e descartar sem controle, teremos um impacto profundo na natureza. É mais do que urgente agirmos nesse contexto”, completou o executivo.

Buscando diminuir o efeito ambiental gerado com a emissão dessas carteirinhas, a companhia criou o programa “Unimed Recicla”, no qual a CNU investe em um sistema de logística reversa e os cartões vencidos são enviados de volta ao fabricante para que sejam utilizados na produção de novas unidades, diminuindo a necessidade de obtenção de matéria-prima com recursos naturais e evitando a geração de resíduos.

Além de atenuar a necessidade de obtenção de nova matéria-prima, a iniciativa evita a geração de lixo, além de garantir a segurança dos dados dos clientes impressos nos cartões, já que o material é totalmente destruído. “Importante mencionar que toda a rede credenciada da cooperativa aceita o cartão virtual, versão digital da identificação dos clientes, que pode ser facilmente acessada nos smartphones”, indica o presidente. Com a iniciativa, apenas no ano de 2020, a cooperativa nacional economizou mais de R﹩ 130 mil com o ciclo de cartões físicos (manuseio, plástico e expedição) e até julho de 2021, mais R﹩ 288 mil reais também foram poupados. Para o futuro a meta é consolidar a migração dos clientes nacionais para esse modelo.

Outra ação de bastante impacto para a companhia diz respeito à gestão de resíduos. Na sede da empresa, em São Paulo, e em demais operações da CNU pelo Brasil, todos os resíduos provenientes das atividades corporativas são monitorados por meio de documentos legais, coletados e divididos entre os “não recicláveis” e os “recicláveis”, a partir disso, é realizado um acompanhamento de peso e volume dessa coleta. Com a conscientização dos colaboradores e parceiros de negócio, além da modernização das instalações e equipamentos, aproximadamente 4,7 toneladas de insumos diversos foram direcionados para reciclagem. Todo esse material reciclado evita que as emissões de gases que provocam o efeito estufa ocorram, uma prática denominada carbono evitado.

A realização dos eventos de forma virtual, e demais atividades administrativas em padrão remoto, também impactaram na redução significativa das emissões de gases do efeito estufa, e a empresa recebeu o selo CO2 Neutro para as emissões de GEE de sua operação. As emissões foram quantificadas e convertidas em CO2 equivalente, e a compensação ocorreu por meio do apoio financeiro a projetos ambientais brasileiros, ou seja, a compra de créditos de carbono na mesma proporção do montante emitido

Nesse viés, as melhores práticas são compartilhadas com a equipe e todos enxergam a missão de contribuir para o sucesso das iniciativas. “Atuamos de forma focada na conscientização de colaboradores e na disseminação de informações sobre o ambiente em que vivemos. Esse trabalho está gerando resultados inéditos, que impactam a operação da CNU e todo o planeta”, compartilha o presidente.


Fonte: Imprensa Central Nacional Unimed


Notícias Relacionadas:



Publicidade