Cooperativa firma parceria e desenvolve projeto inovador para reduzir quantidade de medicamentos para “intubar” pacientes de Covid-19

Publicado em: 09 abril - 2021

Leia todas


Pacientes graves são monitorados por equipamentos de especificidade e sensibilidade 

Um projeto inovador, desenvolvido pela Unimed Campo Grande, em parceria com o Servan Anestesiologia e médicos intensivistas, tem ajudado a reduzir o consumo de medicamentos utilizados no tratamento de pacientes Covid-19 em ventilação mecânica no Hospital da cooperativa.  

A cooperação mútua partiu da necessidade de racionalizar o uso dos medicamentos utilizados para “intubar” os pacientes, frente à escassez no mercado e com o objetivo maior da cooperativa médica: salvar vidas.  

Utilizando dois tipos de monitores, de alta especificidade e sensibilidade, é possível monitorar e equalizar a quantidade de medicamentos, otimizando assim o consumo. Os aparelhos fazem a monitorização do bloqueio neuromuscular e dão com exatidão a quantidade necessária de relaxante muscular para cada paciente. Com isso, é possível reduzir as doses utilizadas, aumentando assim o tempo de duração da medicação no organismo do paciente.  

“Com a infusão contínua de fármacos anestésicos adjuvantes, que nesse caso consiste na associação de medicamentos, os profissionais da linha de frente estão conseguindo reduzir o uso de bloqueadores neuromusculares, hipnóticos, sedativos e hipnoanalgésicos, necessários para o tratamento de pacientes em ventilação mecânica por Covid-19”, explica Dr. Kleber Machareth de Souza – SBA/TSA/CAAD/ PhD, médico anestesiologista e cooperado da Unimed CG, especialista em Anestesia, com subespecialidades em Dor Crônica e Cuidados Paliativos e Anestesia Cardiovascular; subespecialidades que fez na Itália e no Canadá respectivamente.  

O projeto é uma grande conquista em meio ao momento difícil que a sociedade enfrenta diante do grande número de pacientes graves com Covid-19. “Essa parceria veio como uma luz para continuarmos prestando assistência de alta qualidade, especialmente nesse momento em que enfrentamos escassez desses medicamentos essenciais para o tratamento de pacientes graves. O Servan compartilhou com as nossas equipes das ilhas UTI Covid todo o conhecimento técnico, por meio do Dr. Kleber, Dr. Eduardo Kawano – SBA e do Dr. João Maximiano Pierin de Barros (Diretor Presidente do SERVAN) – SBA/TSA/PhD, e a Unimed CG forneceu todos os equipamentos e demais materiais necessários para desenvolver essa técnica inovadora. Isso tem auxiliado nossos profissionais que atuam na linha de frente a racionalizar o uso desses fármacos”, destacou o diretor-presidente da cooperativa médica, Dr. Maurício Simões Corrêa.  

Dra. Sylvia Carolina Araujo Borges, médica intensivista, ressaltou os benefícios desse projeto. “Podemos dizer que temos três benefícios dentro desse protocolo, que é o de racionalizar o uso das medicações com suas matérias primas esgotadas, melhor monitorização do paciente bloqueado e sedado, além da boa eficiência da droga comparada ao bloqueador neuromuscular e sua rápida reversão caso não seja mais necessário usá-la. Tudo isso é importante para a continuidade do tratamento de pacientes com pneumonia grave, intubados e ventilados mecanicamente com parâmetros ventilatórios muito altos”, pontuou.  

Depois da implantação do projeto houve uma redução de cerca de 75% no uso de bloqueadores neuromusculares. Além de 50% em média, dos demais medicamentos, hipnóticos, sedativos e hipnoanalgésicos, responsáveis por manter o paciente dormindo e por fornecer analgesia (controle da dor).


Fonte: Comunicação Unimed Campo Grande


Notícias Relacionadas:



Publicidade