Cooperativas do Rio Grande do Sul fecham o ano com bons resultados

Publicado em: 30 dezembro - 2021

Leia todas


Ramo agropecuário foi impulsionado pelas colheitas e cotações da soja e do trigo e agora está preocupado com possível estiagem em 2022

O cooperatismo do Rio Grande do Sul vai fechar este ano com resultados positivos em sua contabilidade, segundo entidades do setor. O entendimento é de que a boa safra de soja e o crescimento da produção de trigo ajudaram a impulsionar o faturamento da atividade. Porém, para 2022, a expectativa é de que haja dificuldades em função do clima, que já prejudica as lavouras de milho e tende a causar impactos nos resultados do segmento e de seus associados.

Para o presidente do Sistema OcergsSescoop/RSVergilio Perius, 2021 foi bom especialmente para as cooperativas agropecuárias, que cresceram no embalo das safras de verão 2020/2021 e da safra de inverno deste ano. “Não faltou chuva para os grãos e houve forte industrialização em função da demanda mundial por alimentos”, constata. Impulsionado pela safra, o cooperativismo de transportes também obteve crescimento. Já na área de crédito, Perius afirma ter havido uma forte expansão “horizontal”, que atingiu inclusive a classe D da população. O desempenho faz com que o dirigente projete um faturamento acima de R$ 70 bilhões para as cooperativas do Estado em 2021, com crescimento substancial sobre os R$ 52 bilhões de 2020.

As perspectivas para 2022 são traçadas com cautela por causa da falta de chuvas em diversas regiões do Rio Grande do Sul, que já provoca prejuízos nas lavouras de milho. “Isso vai encarecer muito a produção das rações que alimentam nossos frangos, vacas leiteiras e, principalmente, suínos”, calcula Pe-rius, lembrando que cerca de metade do milho consumido no Rio Grande do Sul é “importada” de outros estados, inclusive do Paraná, que também enfrenta problemas de clima.

A recente incorporação da Coagrisol pela Cotrijal é sauda da como uma boa notícia pelo dirigente cooperativista. “Precisamos de processos integrativos que possam elevar escala e montar novas agroindústrias”, afirma Perius.

O presidente da Federação das Cooperativas Agropecuárias do Estado do Rio Grande do Sul (FecoAgro/RS), Paulo Pires, avalia que o segmento teve um bom desempenho em termos de faturamento em 2021, embora o ano tenha se iniciado com uma frustração na safra de milho. O bom desempenho da soja e do trigo, com liquidez e exportações, foram importantes para o setor. No caso do cereal de inverno, a exportação chegou a 2 milhões de toneladas já contratadas. “Todos estão realizados com isso, o que traz uma perspectiva de rentabilidade porque o custo não foi tão alto”, ressalta Pires.

Um dos pontos altos do ano, citado pelo dirigente, foi o lançamento da plataforma SmartCoop, que visa facilitar o desenvolvimento das cooperativas agropecuárias e incentivar a intercoope-ração entre elas, garantindo a compra conjunta de insumos.


Fonte: Correio do Povo


Notícias Relaconadas:



Publicidade