O cooperativismo como aliado na luta contra a erradicação da pobreza

Publicado em: 18 fevereiro - 2022

Leia todas


A Incubadora Tecnológica de Cooperativa Popular (ITCP) é uma das estratégias do sistema na erradicação da pobreza

O cooperativismo é um sistema econômico que vem ganhando cada vez mais espaço na sociedade. Apenas no Brasil, cerca de 50 milhões de pessoas dependem direta ou indiretamente do sistema como fonte de trabalho e renda. E mesmo frente a crise ocasionada pela pandemia, o setor encerrou 2021 com indicadores positivos.

“Além de se constituir uma forma de trabalho, o cooperativismo é uma filosofia de vida. Um conjunto de pessoas que deseja promover um mundo mais solidário, mais humano e sustentável, garantindo um lugar melhor não só para as gerações atuais, mas também para as futuras”, aponta Carlos Alberto Cioce Sampaio, professor do Mestrado em Governança e Sustentabilidade do ISAE Escola de Negócios. Segundo o especialista, os princípios cooperativistas transmitem valores humanos que estão profundamente alinhados aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU, principalmente ao ODS número 1, que trata da erradicação da pobreza.

As cooperativas nascem para serem autossustentáveis e, na prática, o desenvolvimento sustentável é percebido de forma objetiva. “Está implícito na própria definição de cooperativismo que este deve promover desenvolvimento e beneficiar não só os associados, mas todo o meio social em que a instituição está inserida”, explica. Isso acontece porque, diferentemente do setor privado, as cooperativas não têm como foco principal o lucro, mas sim o bem estar de todos os seus associados. Assim, as responsabilidades e os lucros são divididos entre todos igualmente, sempre investindo parte dos ganhos em melhorias para a organização.

O docente do ISAE destaca que dentre as possibilidades de atuação das cooperativas como aliadas na luta contra a erradicação da pobreza estão as Incubadoras Tecnológicas de Cooperativas Populares (ITCP), constituídas por professores, pesquisadores e estudantes, vinculados a uma Instituição de Ensino Superior. “A partir de diagnósticos territoriais, localizam-se grupos socialmente vulneráveis, como catadores de lixo, e implementa-se um programa com capacitação, planos de negócios, acompanhamentos e atividades que sejam necessárias para fomentar uma nova cooperativa”, diz. No Brasil, segundo dados de 2011, existem 49 ITCPs e 504 cooperativas incubadas, que correspondem a 13.073 cooperados.


Fonte: P+G Comunicação Integrada


Notícias Relacionadas



Publicidade