Pesquisa aponta três principais programas de benefícios preferidos pelos colaboradores

Publicado em: 10 janeiro - 2017

Leia todas


feliz

O 1º Benchmarking em Saúde & Bem-Estar do Brasil, estudo realizado pela consultoria Mercer Marsh Benefícios, que analisou programas de saúde e bem-estar de 264,8 mil funcionários de 58 grandes empresas atuantes no Brasil. A preferência ficou com check-up executivo, programas de equilíbrio entre vida pessoal e profissional e atividad
e física.

Oferecido por 83% das companhias analisadas para profissionais que ocupam cargos de liderança, “o check-up executivo é um benefício consagrado nas empresas para os colaboradores que ocupam posições estratégicas. O objetivo é promover prevenção à saúde dos executivos, cada vez mais pressionados pela competição, por resultados e acumulando excesso de trabalho”, explica Helder Valério, líder de gestão de saúde da Mercer Marsh Benefícios. “Embora a maioria das empresas ofereça o check-up, é comum constatar que os executivos usam bem menos esse benefício do que as corporações gostariam”, diz o consultor”, afirma.

Outro programa de saúde e bem-estar prioritário para as empresas é o de equilíbrio entre vida pessoal e profissional: 60% mantem políticas de apoio para equilibrar questões pessoais e profissionais. “É uma preocupação crescente das empresas a busca por práticas que ajudam a conciliar trabalho e vida pessoal. São iniciativas que contribuem para o bem-estar dos funcionários”, diz.

Ainda segundo pesquisa da Mercer Marsh Benefícios, a atividade física é oferecida por 53% das 58 companhias participantes. Já o EAP (Programa de Assistência ao Empregado), e a opinião médica especializada está presente em 47% das companhias. “O EAP consiste na assistência especializada para ajudar empregados a se preparar e enfrentar de maneira bem-sucedida assuntos pessoais delicados e situações do dia a dia. Pode ser uma assistência psicológica, jurídica, financeira e/ou social por meio de serviços qualificados, que atendem os colaboradores com as mais diversas dificuldades”, explica o consultor.

A gestão de crônicos, gestão de estress e central de ajuda são também os três programas de saúde e bem-estar mais presente nas empresas. A gestão de doenças crônicas faz parte da estratégia de saúde de 41% das empresas. Trinta e quatro por cento (34%) oferece programas de gestão de stress, e 24% disponibiliza central de dúvidas em saúde.
Programas para trabalhadores afastados – O acompanhamento dos trabalhadores afastados é tão importante quanto o acompanhamento dos trabalhadores ativos. Setenta e quatro por cento (74%) das companhias tem um programa de saúde e bem-estar focado nos funcionários afastados.

E do total que oferece programa, 44% tem iniciativas de acompanhamento e cuidados do colaborador para o retorno ao trabalho. O mesmo grupo de empresas, ou seja, 44%, desenvolve e aplica métricas para monitorar casos de funcionários afastados e adota uma política de saúde e bem-estar para os mesmos. Além disso, 40% faz comunicação continua com o empregado que está licenciado e 23% desenvolve ações de identificação de riscos de saúde em grupos de trabalhadores.

Amostra da Pesquisa – O estudo “1º Benchmarking em Saúde & Bem-Estar do Brasil” analisou os programas de saúde e bem-estar de 264,8 mil trabalhadores de 58 grandes empresas que atuam no Brasil. Cada uma das 58 companhias analisadas emprega em média 4.566 colaboradores. São empresas multinacionais e nacionais presentes em 19 segmentos da economia (alimentos, varejo, T.I., financeiro, energia, automotivo, logística, construção e comunicação), com matrizes nacionais nos Estados de São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Paraná e Santa Catarina.
O estudo foi realizado durante o primeiro semestre de 2016 pela consultoria Mercer Marsh Benefícios™, em parceria com o Instituto Hero (Health Enhancement Research Organization), instituição norte-americana sem fins lucrativos especializada em estudos, análises e desenvolvimento das melhores práticas de saúde e bem-estar nos EUA.

 

imagem_1

 

imagem2



Publicidade