Produtores da agricultura familiar se juntam em cooperativas para melhorar vendas no Paraná

Publicado em: 13 dezembro - 2021

Leia todas


Economia solidária faz produções de pequenos produtores ficarem cada vez mais presentes nas feiras do estado.

Com a ajuda da cooperação, produções que eram apenas para consumo próprio estão cada vez mais presentes nas feiras do Paraná.

Produtores da agricultura familiar se unem em cooperativas para superar dificuldades e aumentar o poder de negociação com produção maior e mais diversificada.

João Basílio, que cuida de uma lavoura de milho em Mandirituba, na Região Metropolitana de Curitiba, e vende pamonhas, conta que a cooperação é benéfica.

“A cooperativa só veio a trazer benefícios para nós. Não tem como a gente fazer tudo sozinho. Unido a gente se reforça”, disse o produtor.

João e sua esposa, Rosane Basílio, trabalham juntos desde a plantação do milho até o final do preparo da pamonha. Por semana, são produzidas cerca de 500 unidades do produto, segundo o casal.

Já Carlos Alessandro Estércio comanda uma cozinha que prepara pães e bolos, em Agudos do Sul, na Região Metropolitana de Curitiba, e faz parte da mesma cooperativa que o casal vendedor de pamonhas.

Ele iniciou a produção com sua esposa, mas, na época, não tinham os equipamentos que têm hoje: “A gente começou em casa, era um quadradinho de três por três. Amassávamos a massa na mão”, disse Carlos.

A cozinha produz 1.000 quilos de pães e doces por mês e fornece os alimentos para escolas e instituições particulares, segundo o produtor.

A cooperativa conta com 50 famílias da agricultura familiar das regiões de Curitiba e litoral, com produtos diversos, como raízes, molhos, doces e orgânicos.

Agroindústrias

Nas agroindústrias, a economia solidária faz com que produtos que eram restritos a determinadas regiões sejam comercializados em outros mercados.

“Este trabalho (das cooperativas) mostra a qualidade dos produtos da agricultura familiar. Para vender só o arroz, é mais difícil. Agora, se você junta o arroz, o leite, o pão, as verduras, facilita para comercializar e para provocar os consumidores em relação à diversidade”, disse Ademir Fernandes, coordenador da Cooperativa Central de Reforma Agrária (CCA).

Segundo Ademir, os produtos que chegam na CCA são separados e selecionados para serem entregues diretamente ao consumidor ou para abastecer as feiras da região.


Fonte: G1


Notícias Relacionadas:



Publicidade