Programa de Desenvolvimento Sustentável do Acre tem cooperativa finalista em seleção para investimento de start-up

Publicado em: 12 novembro - 2021

Leia todas


A Cooperativa dos Produtores da Agricultura Familiar e Economia Solidária de Nova Cintra (Cooperacintra), fomentada por meio do Programa de Desenvolvimento Sustentável do Acre (PDSA) Fase II, programa coordenado pela Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag), é uma das finalistas do processo de pré-aceleração da Amaz Aceleradora de Impacto do Instituto de Conservação e Desenvolvimento Sustentável da Amazônia (Idesam).

Criada em 2011, em Rodrigues Alves, com o propósito de atuar na exploração e comercialização de produtos florestais não madeireiros, como o murmuru, atual carro-chefe da cooperativa. A Coopercintra tem como objetivo fortalecer a cadeia de valor do murmuru, especialmente o beneficiamento e a comercialização do óleo, que é empregado principalmente na indústria de cosméticos.

A Coopercintra trabalha em parceria com diversos órgãos governamentais e do terceiro setor. Ajuda a fomentar a economia florestal de coletores extrativistas e ribeirinhos em 52 comunidades do Alto e Baixo Juruá, distribuídas em cinco municípios (Cruzeiro do Sul, Rodrigues Alves, Mâncio Lima, Jordão e Marechal Thaumaturgo e de parte do Amazonas).

A iniciativa de inscrever os empreendimentos no edital da Amaz partiu da chefe da Unidade de Coordenação de Projetos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (UCP-BID), Rosineide Sena, que direcionou às cooperativas o edital lançado em julho deste ano.

Dentre os três empreendimentos do Acre vinculados ao PDSA, apenas a Coopercintra foi selecionada pela Amaz como uma das 12 finalistas do processo de pré-aceleração, ocupando a sétima posição entre os colocados. A cooperativa agora participa de um processo de mentoria ao longo do mês de novembro em que ao final serão selecionados seis negócios para receber um investimento de 200 mil em 2022.

“Este é um resultado obtido a partir de todo um investimento feito pelo PDSA, então, consideramos este um legado do PDSA”, afirma Rosineide Sena, coordenadora do programa. “Deixamos, então, a mensagem para os demais empreendimentos que continuaremos à disposição agindo como captadores de oportunidade, direcionando os empreendimentos que possam se beneficiar das oportunidades de negócio”.


Fonte: Notícias do Acre


Notícias Relacionadas:



Publicidade