Projeto ambiental em Maringá irá beneficiar cooperativas de reciclagem

Publicado em: 29 julho - 2021

Leia todas


Com o lançamento do programa Maringá Recicla, na manhã desta quarta-feira, 28, a Prefeitura de Maringá, por meio da Secretaria de Limpeza Urbana, passa a seguir oficialmente os cinco pilares da sustentabilidade, almejando seguir a “regra” dos R´s: repensar, recusar, reduzir, reutilizar e reciclar.

O programa também reúne esforços de equipes da Secretaria do Meio Ambiente e Bem-Estar Animal e Secretaria da Educação, e o lançamento contou com o vice-prefeito Edson Scabora, secretariado municipal, deputado estadual Evandro Araújo e os vereadores Sidnei Telles e Biazon. 

“Nosso objetivo é aumentar consideravelmente o volume de material reciclável em nossa cidade, conscientizando a população. Nossa meta é chegar em 2024 com 30% de reciclagem”, afirmou o secretário de Limpeza Urbana, Paulo Gustavo. 

Atualmente, a coleta de lixo chega a 100% da cidade e já houve aumento do volume de resíduos recicláveis, de 2% para 7%. O secretário lembra que o Maringá Recicla também tem o objetivo de fortalecer as cooperativas de reciclagem.

Relator do Plano Estadual de Resíduos Sólidos do Paraná, o deputado Evandro Araújo participou da inauguração do Maringá Recicla. “A gestão Ulisses Maia valoriza este segmento que considero tão especial, e a parceria entre nós e o Maringá Recicla já está formada, vamos atuar juntos atendendo demandas que a cidade precisa.”

Para Araújo, programas como esses tornam o município referência nas questões ambientais. “Queremos Maringá como referência para o Estado e também para o Brasil”, diz o deputado estadual. 

Segundo Paulo Gustavo, a pandemia e a situação econômica instável do País são responsáveis pelo aumento no número de autônomos que passaram a coletar lixo na cidade. Por isso, a Prefeitura percebeu a necessidade de fortalecer as cooperativas. A primeira ação é a doação de uma esteira e uma prensa, entregues pelo Governo do Estado. Os materiais já estão instalados em uma cooperativa.

A Prefeitura vai analisar os materiais volumosos coletados e, aqueles que puderem gerar renda, serão encaminhados às cooperativas. A ideia é que os associados desmontem estes volumosos e retirem partes que podem ser comercializadas como ferro, vidro, metais, entre outros. O Município também criou uma comissão que está analisando alterações no IPTU Verde para que o benefício possa apoiar as ações de sustentabilidade locais. 

A Prefeitura estuda a formalização de uma parceria com o Provopar para a realização de um Armazém Solidário que comercializará materiais recolhidos nas ruas e em boas condições de uso. A renda será revertida para as cooperativas. Está sendo negociada uma ação a ser realizada com o Recicla Acim, programa da Associação Comercial. A ideia é trocar materiais recicláveis por produtos ou descontos em lojas da cidade.

Em agosto, a Prefeitura vai distribuir sacos de lixo verde nas casas e condomínios visando o aumento na separação do lixo. Sobre o reaproveitamento de resíduos, a ideia do município é inserir este tema no Edital de Inovação deste ano. “Com isso, os empreendedores poderão apresentar soluções para atingirmos nossos objetivos”, reforça Paulo Gustavo.


Fonte: Rádio Maringá


Notícias Relacionadas:



Publicidade