Palavra do Roberto: Recordes

Publicado em: 12 maio - 2021

Leia todas


Estamos colhendo mais uma safra recorde de grãos, plantada em 2020, da ordem de 272 milhões de toneladas. É a primeira vez na história que o volume produzido em um ano ultrapassa a casa dos 270 milhões.

Este é sem dúvida um importante motivo de orgulho para todos os brasileiros. Deveria ser. Infelizmente, porém, sempre existem aqueles que desprezam a atividade rural, como se os alimentos nascessem nas lojas; os alimentos, as fibras e até a energia: o agro responde por 17% da matriz energética brasileira, mais do que todas as hidrelétricas somadas. Poucos sabem disso.

Aliás, não é só de 272 milhões de toneladas de grãos que deveríamos nos orgulhar. Em 2020 produzimos 642 milhões de toneladas de cana-de-açúcar, 36 milhões de toneladas de leite, 28 milhões de toneladas de carnes, 40 milhões de toneladas de frutas, 3,7 milhões de toneladas de café, 1,33 milhão de toneladas de pescado, e mais de 15 milhões de toneladas de verduras e legumes. Passou de 1 bilhão de toneladas a produção de alimentos realizada pelos agropecuaristas brasileiros no ano passado.

E ainda teve 53 bilhões de ovos!!! E mais 4,37 milhões de toneladas de algodão.

Fora estes alimentos todos, ainda foram produzidos 21 milhões de toneladas de papel e celulose, 36 bilhões de litros de etanol e 6,4 bilhões de litros de biodiesel.

São números extraordinários. Mais do que isso: o agronegócio exportou em 2020 cerca de 100,8 bilhões de dólares para mais de 170 países. E continua aumentando as exportações.

Durante a tragédia da pandemia, o agro foi um dos poucos setores econômicos que não pararam. Até porque a atividade rural é determinada pela natureza, que ensina a hora de plantar, a de tratar e cultivar, e a de colher. E a distribuição dessa produção toda também não para, e assim abastece internamente e no exterior mais de 800 milhões de pessoas no mundo todo, segundo a Embrapa.

E o que é mais importante: metade dessa produção toda passa pelas cooperativas brasileiras. Que trabalharam o ano interior! Viva este maravilhoso cooperativismo e seus milhões de associados!


Por Roberto Rodrigues – Artigo exclusivo para a Revista MundoCoop, edição 99



Publicidade