Coopercarga conquista permissão para operar no Uruguai

Publicado em: 26 agosto - 2015

Leia todas


Uruguai

Atuante há 23 anos no transporte internacional, contando com unidades na Argentina, Chile e Paraguai, a Coopercarga obteve permissão (permisso) para de embarque no Uruguai, que lhe permite a entrada naquele país pelas fronteiras de Jaguarão e Uruguaiana, ambas no Rio Grande do Sul.
O ponto de apoio da Coopercarga no Uruguai está localizado na capital Montevidéu.

Esta habilitação proporcionará à Coopercarga a ampliação do atendimento no transporte internacional e fortalecerá a atuação da cooperativa no Mercosul, expandindo a oferta de soluções logísticas aos clientes. Para o diretor da Coopercarga para o Mercosul, Walter Soto, o desejo de transportar no Uruguai é antigo, porém, não havia fluxo e contra fluxo com volumes que permitissem, a curto prazo, desenvolver atividades comerciais para sustentar uma operação no país, cenário que está mudando (muito em virtude do controle que a Argentina vem fazendo em seu comércio internacional).

A área comercial, aliás, é um dos maiores desafios, pois o Uruguai ainda é um mercado pequeno, porém em pleno desenvolvimento, com nichos nos quais as perspectivas são positivas e com boas oportunidades de crescimento.  Hoje, o país oferece um conjunto de vantagens que o tornam atrativo para o desenvolvimento de atividades logísticas. Uma delas é a sua localização geográfica estratégica, que permite posicionar-se como ponto de acesso para o comércio regional e como centro de trânsito regional. Segundo dados do Ministério de Economia e Finanças do Uruguai, o país ocupa o 4º lugar na América do Sul em desenvolvimento logístico.

Para a Coopercarga, as projeções são bastante positivas com a entrada neste novo mercado. Estima-se que, já para os próximos meses, as operações de importação e exportação com o país acrescentem ao faturamento da cooperativa, em média, USD 150.000,00/mês – o que representa um incremento de aproximadamente 10 a 15% no faturamento total do negócio Mercosul. “Observamos que nossos principais clientes estão neste mercado, alguns produzindo e exportando seu produto, parte vendendo sua matéria-prima e outros importando do Uruguai e comercializando no Brasil. É um mercado em desenvolvimento e com boas oportunidades”, comenta Soto.

 



Publicidade