FGCoop ruma ao segundo ano


Matéria Finanças: FGCoop ruma ao segundo ano

 

O FGCoop e o cotidiano das cooperativas

Desde o início, o FGCoop propiciou a isonomia nas condições de competição das cooperativas financeiras com as instituições bancárias, que já contavam com um mecanismo de proteção do gênero há mais tempo, garantindo o mesmo valor assegurado pelo FGC dos Bancos aos clientes destes.

Essa afirmação mostra a confiança de Evandro Kotz, diretor executivo da Unicred do Brasil, no fundo e nos benefícios que proporciona às cooperativas como “parte de uma ampla rede de proteção do SNCC, que também envolve a legislação, a regulação prudencial, a supervisão eficiente e práticas adequadas de gestão, controle e governança, e fruto de muito estudo, inclusive das experiências internacionais, trabalho, alinhamento e entendimento estratégicos dos representantes das cooperativas financeiras brasileiras e da construção conjunta com o Banco Central do Brasil”.

Diferencial importante detectado pelo sistema Unicred é a garantia que o FGCoop dá por CPF e CNPJ para os cooperados de todas as cooperativas financeiras que captam depósitos no País, condição está que não se verificava quando existiam apenas os fundos dos sistemas cooperativos de dois ou três níveis, visto que estes não alcançavam os cooperados das cooperativas não filiadas a sistemas. Dessa forma, “o FGCoop propicia mais segurança para todos os cooperados e a sociedade em geral e contribui para o fortalecimento e a consolidação do SNCC”, comemora Kotz.

Ao longo desse primeiro ano, algumas dificuldades foram enfrentadas, “em sua maioria de entendimento da importância, do propósito e dos benefícios que seriam gerados por um Fundo Garantidor Único e Nacional”, afirma o diretor executivo da Unicred do Brasil, frisando que essas dificuldades foram superadas rapidamente, “visto que todos os envolvidos na construção do fundo estavam imbuídos do espírito da ajuda mútua e da solidariedade e trabalharam para a criação de um fundo que realmente contribuísse para uma maior segurança, solidez e desenvolvimento das cooperativas financeiras e seus cooperados, o fortalecimento do SNCC e a isonomia nas condições de competividade das cooperativas no mercado, o que traz benefícios para toda a sociedade e deve contribuir para um aumento do quadro social das cooperativas”.

 

5455eecc9118714a303d4af34a34f0d7

Evandro Jacó Kotz, diretor Executivo do Sistema Unicred

 

 

 

 

 

 

 

 

Publicidade