Negócio também em desenvolvimento de softwares de gestão empresarial


Negócio também em desenvolvimento de softwares de gestão empresarial

Trabalhando há 11 anos com soluções para produção agrícola e beneficiamento no primeiro estágio, a Totvs definiu como diretriz estratégica para 2014 a comercialização de em oferta baseada em cloud computing, com assinatura de serviço, com atualização e suporte – todas as funcionalidades são acessadas em solução tablet ou smartphone.

Essa modalidade, que barateia o custo de uso de tecnologias e softwares, pode ampliar a ação da empresa brasileira no agronegócio, pois o controle de cada aplicação/atividade pode ser feita por tablet ou smartphone, equipamentos bastante comuns nas lavouras brasileiras, que, neste caso específico, são utilizados para fazer apontamentos e transmiti-los para o sistema que analisa o dado e o transforma em informação, fundamentando ao gestor a tomada de decisão com base na informação.

Fábio_Girardi_TOTVS_2

Fábio Girardi – Diretor de Agroindústria da Totvs

A expertise adquirida levou a empresa a segmentar a solução em três vertentes dedicadas: sucroenergético, multicultivos (soja, milho, algodão, madeira – seringueira e eucalípto – e frutas e palma) e beneficiamento de frutas, algodão e sementes em geral.

Além disso, em 2011, a solução de ERP na companhia foi segmentada e devido à importância no cenário nacional, Agro ficou sendo um dos segmentos ficou o Agro. “Até então, a divisão era por produto e, agora, é por segmento da economia. Com isso dá foco em cada segmento com soluções mais especialistas e focadas na necessidade do mercado”, comenta Girard. Frisa que essa especialização é fundamental para o agronegócio por conta de características como sazonalidade, que afeta a solução, e a logística, que é diferenciada. “Quando acontece a colheita, por exemplo, exige outro olhar e aí a segmentação da Totvs é importante”.

A solução trabalha no ciclo virtuoso de melhoria contínua PDCA (Planejar-Executar-Verificar-Agir, do inglês Plan – Do – Check – Act). Além disso, a mobilidade que proporciona casa-se com as próprias características do campo, reduzindo o tempo de latência e os custos dele decorrentes. Faz com que as informações fiquem mais próximas do gestor, mesmo mantendo a informação mais próxima do campo.

O sistema ajuda, inclusive, a definir os melhores equipamentos para determinadas atividades e, com isso, o retorno do investimento vincula-se também ao nível de controle do negócio. “Tangebelizamos e racionalizamos a tomada de decisão. O sistema transforma dados em informações e deixa-as transparentes, assim como a origem dos dados ao longo de 3 ou 4 safras que foram transformados em informação. Desse modo, favorece a tomada de decisões diversas, e, com base no monitoramento de dados, o agricultor pode até orientar a trocar de equipamento e definir a cultura e a variedade em relação ao solo”, fala o diretor do segmento de Agroindústria da Totvs.

Publicidade