RAMO AGROPECUÁRIO


Agropecuário


Cooperativas:
1.581
Cooperados: 1.006.197
Empregados: 164.223

Coordenador Nacional no Conselho Consultivo da OCB: Luiz Roberto Baggio
Diretor: João Paulo Koslovski


Situação atual:

33321Cooperativas respondem por movimentação financeira de aproximadamente R$ 100 bilhões em 2013, ou seja, aproximadamente 12% do PIB do agronegócio e participam de todos os elos das cadeias produtivas das principais matérias-primas e fibras, participando ativamente nos ramos de negócios de fornecimento dos insumos, nas atividades de recepção, classificação, armazenagem, comercialização dos produtos agropecuários e no processamento dos produtos de seus cooperados. Investem na ampliação e na modernização dos sistemas produtivos, de comercialização e de agroindustrialização, as cooperativas agropecuárias cumprem seu papel participando de toda a cadeia produtiva das principais matérias-primas e fibras e dos ramos de negócios de fornecimento dos insumos, nas atividades de recepção, classificação, armazenagem, comercialização dos produtos agropecuários e no processamento dos produtos de seus cooperados. Transferência de tecnologias e assistência técnica, com os mais de 8 mil técnicos em campo (engenheiros agrônomos, florestais, veterinários, zootecnistas e técnicos agrícolas). Cooperativas são exemplos de sucesso em feiras e vitrines tecnológicas do País. Significativos investimentos em educação e na área social dos produtores cooperados como uma das prioridades do movimento cooperativista.

Necessidades
Maior aporte de recursos de investimentos e giro. Para se ter uma ideia, os investimentos previstos para 2013 atingem cifras acima dos R$5 bilhões/ano. Os programas coordenados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), ao amparo de recursos equalizados pelo Tesouro Nacional (TN) ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), apesar de sua fundamental importância, suprem apenas parcialmente estas demandas.

Desafios:
Conquista e consolidação em novos mercados tem sido alvo das prioridades do Sistema, apesar de avanços mais do que proporcionais nos volumes e valores exportáveis, contribuindo sensivelmente para o superávit da balança comercial. Ampliação da agregação de valor dos produtos in natura nos mais diferentes segmentos de negócios, a exemplo da cadeia de cereais e oleaginosas, suínos e aves, e outros, também tem sido uma das fortes priorizações do sistema cooperativista, visando à ampliação e diversificação da renda do cooperado. Minimizar os gargalos de infraestrutura e logística. Ampliar a adesão aos programas de Acompanhamento da Gestão Cooperativista, Programa de Desenvolvimento da Gestão das Cooperativas, e de Acompanhamento  Econômico-Financeiro.

Publicidade