Cooperativas de Especialidades Médicas vencem licitações e vão atuar em diversos hospitais do ES, gerando mais postos de trabalho e fortalecendo o cooperativismo

Publicado em: 26 julho - 2016

Leia todas


A Secretaria de Estado da Saúde do Espírito Santo realizou diversas licitações para a contratação de prestadoras de serviços médicos especializados em várias áreas da medicina como:

– Anestesiologia;
– Ortopedia;
– Traumatologia;
– Neurocirurgia;
– Neurologia;
– Cirurgia Geral;
– Terapia Intensiva;
– Cirurgia Pediátrica;
– Cirurgia Torácica;
– Cirurgia Vascular.

As licitações foram realizadas para atuação nos hospitais Dório Silva, Antônio Bezerra de Faria, Roberto Arnizaut Silvares, Hospital e Maternidade Silvio Avidos, Dra. Rita de Cássia e Hospital e Maternidade Alzir Bernardino Alves, situados em diversas regiões do ES. Confira abaixo a relação das cooperativas vencedoras em cada uma das instituições citadas acima:

– Hospital Dório Silva: Coopneuro, Coopanestes, Cooperati e Cootes;
– Hospital Antônio Bezerra de Faria: Coopangio, Coopanestes, Cooperati, Cootes;
– Hospital Roberto Arnizaut Silvares: Coopangio, Coopanestes, Cooperati, Cootes;
– Hospital e Maternidade Silvio Avidos: Coopanestes, Cootes, Cooperati, Coopangio;
– Hospital Dra. Rita de Cássia: Coopanestes, Cootes;
– Hospital Infantil e Maternidade Alzir Bernardino Alves: Coopanestes, Cootes.

Para o presidente da Coopangio, Dr. Leonardo Lessa, o maior benefício para a cooperativa e para os cooperados com o êxito dessas licitações é a garantia dos postos de trabalho dos médicos cooperados e o fortalecimento da entidade. “Com essa garantia, tem-se um corpo clínico eficiente, capacitado e especializado, que já há duas décadas vem mostrando eficiência no tratamento com os pacientes e compromisso com a profissão”, disse. Dr. Leonardo ainda afirma que com relação as novas oportunidades de trabalho, em alguns casos serão abertas vagas, principalmente no interior do estado. “Já quanto as remunerações dos médicos, a diretoria da cooperativa tem trabalhado para assegurar uma renda média aos cooperados, evitando que haja redução nos valores pagos”, concluiu.

Já para o Dr. Jonilson S. Martins, presidente da Cooperati, o maior benefício para a cooperativa e para os cooperados ao vencer a licitação neste certame, foi a manutenção dos postos de trabalho, num momento difícil para a economia do país. E para os hospitais o grande mérito foi garantir e manter um serviço de medicina intensiva de qualidade, já demonstrada ao longo desses anos”, comentou.

O presidente ainda espera renovar o contrato com a SESA para prestação de serviços no H. Dª Rita de Cássia em B.São Francisco, e aguarda decisão do recurso para viabilizar manutenção dos serviços de terapia intensiva no Hospital São Lucas. “E infelizmente nesse momento de crise os valores licitados ficaram um pouco abaixo dos valores praticados no contrato em vigor”, afirmou.

Outra cooperativa que também venceu licitações foi a Coopanest/ES, que sempre entendeu que essa seria a forma mais TRANSPARENTE para uma contratação com o serviço público, tanto para o Contratante quanto para a Contratada. O presidente da cooperativa conta que foram nove pregões eletrônicos para os hospitais: Dório Silva, São Lucas, Infantil Nossa Senhora da Glória, Maternidade Alzir Bernardino Alves, Antônio Bezerra de Farias, Hospital Vila Velha, Dra. Rita de Cássia (Barra de São Francisco), Roberto Arnizaut Silvares (São Mateus) e Maternidade Sílvio Avidos (Colatina).

Segundo o presidente da Coopanest/ES, Dr. José Carlos Binda, a cooperativa consegue com essas vitórias garantir mais postos de trabalhos para seus cooperados, que é um norte buscado pela cooperativa e levar um pouco mais de tranquilidade a esses profissionais nesse período de crise e incertezas que o país vem passando. “O cooperado saber que sua Cooperativa vem buscando trabalho para ele continuar atuando de forma segura e transparente no mercado. Isso tem feito com que todos fiquem muito mais unidos e presentes na cooperativa. Todos esses fatores fortalecem a Coopanest/ES”, frisou.

Ainda de acordo com o Dr. Binda, para os nove hospitais fica a garantia de que terão Médicos Anestesiologistas 24 horas podendo manter seus atendimentos com segurança e qualidade. “No entanto, cabe destacar que alguns serviços foram apresentados nos pregões com quantidade de profissionais inferior ao legalmente necessário determinado pela Resolução 1802/2006 do CFM que dentre outras determinações deixa explícito que não pode haver anestesia simultânea. Com isso, a insuficiência de profissionais, conforme solicitado em alguns pregões, pode deixar alguns serviços internos descobertos em função da impossibilidade de anestesia simultânea. No entanto, a Coopanest/ES está aberta ao diálogo e pronta para disponibilizar mais profissionais para atender às resoluções legais”, disse.

O presidente finalizou dizendo que serão abertos mais postos de trabalho, no entanto ainda insuficientes, em alguns casos, para atender todos os postos desses hospitais. “Infelizmente, com a crise, os valores ficaram abaixo dos atualmente praticados. Os cooperados terão uma perda. Mas todos entendem que precisam garantir postos de trabalho e que na crise todos sofrem. Isso não vai abalar a união dos cooperados na busca de uma saúde digna e justa para todos: Médicos e População”, concluiu.