Balanço de 2016 da Unimed-Rio é aprovado

Publicado em: 04 abril - 2017

Leia todas


O balanço econômico-financeiro de 2016 da Unimed-Rio foi aprovado em 28 de março, por ampla maioria dos 735 cooperados presentes à Assembleia Geral Ordinária da cooperativa. A quase totalidade dos cooperados, no entanto, reprovou a gestão da antiga diretoria, sob a presidência de Celso Barros, que compreendeu o período de 1 de janeiro de 2016 a 29 de julho de 2016. Já a gestão da nova diretoria, referente ao período de 30 de julho de 2016 a 31 de dezembro de 2016, foi aprovada pela maior parte dos cooperados que compareceram à Assembleia.

A aprovação destes pontos por um número expressivo de cooperados é fundamental para que a Unimed-Rio continue sua caminhada pelo reequilíbrio econômico-financeiro, com a participação ativa dos sócios.

Lembrando que a aprovação de contas é uma obrigação estatuária e legal que deve ser sempre realizada no mês de março, o presidente da cooperativa, Romeu Scofano, ressaltou que a aprovação do balanço de 2016 mostra a volta da normalidade na cooperativa:

– É uma demonstração de que há uma pacificação dentro da Unimed Rio, com o apoio dos cooperados.

Segundo Scofano, as pessoas estavam receosas quanto ao balanço da empresa por causa das divergências envolvendo os balanços de 2014 e de 2015. Em dezembro passado, a operadora anunciou ter registrado um prejuízo de R$ 578 milhões em 2014 — resultado que já foi revisto este ano e bem acima dos R$ 199 milhões negativos inicialmente divulgados — e um lucro de R$ 30 milhões em 2015, ao invés de um resultado positivo de R$ 353 milhões conforme apresentado anteriormente. Os valores foram contabilizados após nova auditoria nas demonstrações realizada pela BKR. O passivo da Unimed-Rio soma R$ 1,9 bilhão.

Sob direção fiscal da ANS há mais de dois anos e sob risco de ser liquidada, a cooperativa trabalha para reequilibrar as finanças e manter suas operações. Em outubro no ano passado, contratou o banco Santander como assistente financeiro para atuar na captação de interessados em adquirir ativos da operadora, como hospital e postos de atendimento, por exemplo, para reduzir o endividamento.

E na semana passada, a Unimed-Rio ganhou fôlego por mais um ano. Após nove horas de reunião na última quarta-feira, a cooperativa conseguiu revalidar o Termo de Compromisso firmado com Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), Ministérios Públicos federais e estaduais e Defensoria Pública para a sua recuperação financeira, conforme antecipou o blog do colunista Ancelmo Gois. Com isso, fica garantido o atendimento dos cerca de 700 mil beneficiários da Unimed-Rio. O acordo, com prazo indeterminado, ganhou novos critérios de avaliação financeira e prazo de um ano para a cooperativa cumprir as metas.

Questionado sobre se a extensão do TAC, na semana passada, poderia ser visto mais como uma prova de confiança na cooperativa do que uma demonstração de que houve uma melhora financeira da Unimed-Rio, Scofano discordou, afirmando que houve, sim, uma melhora financeira, além de uma redução da dívida a curto prazo e a diminuição das exigências por parte da rede credenciada, o que atesta a credibilidade da empresa.

Quanto à contratação do Santander como assistente financeiro, o presidente da Unimed-Rio informou que o banco está evoluindo na busca de várias parcerias, inclusive internacionais, o que, segundo ele, pode ser visto como um grande encaminhamento para o saneamento da empresa.

 

Fonte: O Globo



Publicidade