BRDE: Financiamentos ao Paraná devem superar R$ 1 bilhão em 2017

Publicado em: 23 janeiro - 2017

Leia todas


O montante de recursos destinados a financiamentos no Paraná em 2017 deve manter-se nos patamares do ano passado, quando o BRDE (Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul) realizou R$ 1,1 bilhão em aportes.

De acordo com estimativas relatadas pelo gerente de operações adjunto da instituição, Tiago Marquardt Pesch, pelo menos metade dos contratos deverá ser realizado com o setor cooperativista do estado. Em visita à sede do Sistema Ocepar, o executivo foi recebido pelo superintendente Robson Mafioletti, o coordenador da área técnica, Silvio Krinski, e o analista técnico e econômico Gilson Martins. Pesch fez uma avaliação do cenário econômico e das perspectivas para 2017. “Para esse ano esperamos uma leve melhora, muito embora ainda persistam incertezas quanto à demanda de pedidos de financiamento”, afirmou.

2016 – Segundo o gerente do BRDE, em 2016 houve uma redução da demanda em razão do cenário econômico conturbado. “Muitas empresas adiaram seus projetos de expansão e outras recorreram à renegociação de seus contratos. Os números ainda estão sendo calculados, pois alguns contratos ainda podem ser cancelados, mas, apesar das turbulências, as estimativas indicam que o montante de contratações deve chegar a R$ 1,1 bilhão”. Conforme Pesch, a partir de 2009, o volume de financiamentos no Paraná tem superado de forma constante o montante de R$ 1 bilhão ao ano. “Em 2015 alcançamos o recorde histórico de contratações, com quase R$ 1,5 bilhão em financiamentos a empresas e cooperativas paranaenses”, ressaltou.

Cooperativas – De acordo com Pesch, historicamente, as cooperativas respondem por 50% a 60% dos aportes anuais do BRDE no Paraná. “A maior parte dos contratos é destinada a projetos agroindustriais e de armazenagem. Há também contratos voltados aos cooperados, para a construção de aviários ou granjas de suínos, entre outros, nas propriedades rurais. Quando um projeto industrial avícola, por exemplo, é financiado, o contrato pode abranger toda a cadeia produtiva, o aviário, a fábrica de ração, o incubatório, o matrizeiro e o abatedouro”, explicou.

Parceria – Para o gerente, o BRDE tem uma parceria tradicional com o setor cooperativista do Paraná, que seguirá em 2017. “Estivemos sempre próximos às cooperativas, dando suporte aos projetos de expansão do setor, que tanto emprego e desenvolvimento geram ao estado. A qualidade da gestão dos empreendimentos cooperativos e o acompanhamento de autogestão que a Ocepar realiza são referências em todo o país. Para o banco, é um privilégio ser parceiro do cooperativismo paranaense”, concluiu.



Publicidade