Cooperativa do Mato Grosso conhece atuação do Encadeamento Produtivo no oeste de SC

Publicado em: 09 fevereiro - 2017

Leia todas


mundocoop_noticias_do_sistema_comajul

Divulgação/Assessoria

Representantes da Comajul, no Mato Grosso, acompanhados por integrantes do Sebrae/MT, visitaram cooperativas do oeste catarinense que participam do projeto

 

O maior programa de estímulo ao desenvolvimento das pequenas e médias empresas ligadas ao agronegócio do sul do Brasil: “Encadeamento Produtivo: Aurora Alimentos – Sebrae/SC: suínos, aves e leite”, desenvolvido com a parceria de entidades e cooperativas, atinge 19 anos de resultados satisfatórios e torna-se referência para outras regiões do País. Diante dessa excelente repercussão, representantes da Cooperativa Mista Agropecuária de Juscimeira (Comajul) no Mato Grosso (MT), acompanhados por integrantes do Sebrae/MT, visitaram cooperativas do oeste catarinense que participam do projeto.

O grupo foi recebido pelo coordenador regional oeste do Sebrae/SC, Enio Albérto Parmeggiani e a consultora credenciada Beatriz Silveira e conheceu a estrutura e o funcionamento da Cooper A1 e da Cooperativa Auriverde, além de propriedades rurais que integram o Encadeamento Produtivo. Também foram recepcionados pelo vice-presidente da Aurora Alimentos, Neivor Canton e a pela coordenadora de comunicação social e presidente da Fundação Aury Luiz Bodanese, Isabel Cristina Machado, que apresentaram a organização da Cooperativa Central. Além disso, conheceram as atrações do 19º Itaipu Rural Show, em Pinhalzinho.

Canton destacou que a Aurora possui atualmente cerca de oito mil produtores de leite integrados que entregam uma média de 300 mil litros por dia. “A bacia leiteira cresce uma média de 10% ao ano e acaba sendo a opção de renda de muitas famílias de produtores que deixam de produzir suínos e aves para investir na bovinocultura de leite. É um mercado em expansão”, complementou.

Para o vice-presidente, o sucesso do Encadeamento Produtivo é visto na melhoria significativa na produtividade e qualidade dos produtos. “Os avanços nas propriedades rurais, tanto na manutenção visual quanto na parte organizacional e econômica são visíveis. Aliado a isso, o resgate da autoestima e a volta de muitos filhos às propriedades, atualmente econômica e socialmente sustentáveis, também estão entre os resultados significativos do projeto”, afirmou.

Parmeggiani complementou dizendo que o sucesso da iniciativa é resultado do compromisso das cooperativas e dos produtores nas atividades desenvolvidas. Os empresários rurais melhoraram o relacionamento com as cooperativas e perceberam a oportunidade de rever o próprio negócio. “O êxito do projeto na região tem relação direta com os programas De Olho na Qualidade, QT Rural e Times de Excelência, e o compromisso das cooperativas. A sucessão nas propriedades melhorou expressivamente graças aos programas que fazem com que o produtor saia do estágio de executor para o estágio de gestor”, enfatizou.

 

Resultado na Prática

Situada no município de Distrito de Juscimeira, município de Jaciara, no Mato Grosso, a Comajul atua com foco na bacia leiteira e capta diariamente em torno de 100 mil litros do produto. No fim de 2016 a cooperativa passou a integrar o Encadeamento Produtivo viabilizado por meio do Sebrae/MT. As visitas no oeste catarinense oportunizaram o conhecimento na prática dos bons resultados alcançados pelo projeto.

O vice-presidente da Comajul, Antônio Carlos Dourado, acompanhou a visita e reconheceu a excelência da iniciativa. Sem dúvidas levaremos bons exemplos para a nossa cooperativa que está iniciando no Encadeamento Produtivo. Esperamos, através dessa experiência, conscientizar nossos produtores rurais sobre a importância da profissionalização nas propriedades rurais para que a matéria-prima tenha cada vez mais qualidade e, consequentemente, a renda e a qualidade de vida dos produtores seja cada vez melhor. É um projeto positivo tanto para as cooperativas como para os produtores rurais”, avaliou.

O coordenador da carteira do leite do Sebrae/MT, Aureliano Pinheiro, salientou que o objetivo das visitas foi mostrar para a Comajul os resultados alcançados em Santa Catarina em quase 20 anos de projeto. “Demonstramos também a importância da profissionalização no campo. Um produtor profissionalizado terá uma renda maior e mais qualidade de vida. Isso faz com que ele veja a propriedade com outros olhos”, observou.  Alguns grupos já estão sendo capacitados na cooperativa. A intenção é ter, até o final de 2018, 200 propriedades inseridas no Encadeamento Produtivo. “A maior riqueza disso tudo é pensar sempre na sustentabilidade dos dois negócios, da cooperativa e do produtor rural”, finalizou.

Fonte: opresenterural.com.br



Publicidade