Cooperativas de crédito de Pernambuco discutem sustentabilidade e regulação

Publicado em: 19 julho - 2017

Leia todas


Foto por Sistema OCB/PE

Brasília (17/7/17) – Crescimento, sustentabilidade e regulação. Estes foram os eixos do Seminário Regional do Ramo Crédito, realizado pelo Sistema OCB/PE e pela Confederação das Cooperativas Alemãs, mais conhecida como DGRV (na sigla alemã). O evento ocorreu em Recife, nos dias 13 e 14 de julho, e contou com a participação de dirigentes de cooperativas pernambucanas. A iniciativa contou com o apoio do Sebrae e das cooperativas dos sistemas Sicoob e Sicredi.

A abertura foi realizada pelo presidente do Sistema OCB/PE, Malaquias Ancelmo de Oliveira, que falou aos participantes sobre a importância do evento e deu as boas-vindas ao coordenador do projeto pela DGRV, Silvio Giusti, e aos representantes do Banco Central, Jayme Wanderley da Fonte Neto e João Otávio de Oliveira Cavalcanti.

Para João Albuquerque, conselheiro fiscal do Sicoob Pernambuco, o seminário foi importante pelos temas estratégicos abordados. “O marco legal, por exemplo, é importante para que as cooperativas possam estar sempre atualizadas e seguir adequadamente as normas do Banco Central. Um outro ponto estratégico é a preocupação com a questão social e ambiental porque nosso objetivo não é crescer a qualquer custo, mas sim conquistar espaço observando o sétimo princípio do cooperativismo, que foca a preocupação com a comunidade”, frisou o conselheiro.

Representando o Sicoob Nordeste, o superintendente executivo, Neilson Santos, prestigiou o evento e falou da relevância da oportunidade. “A importância desse momento é promover a profissionalização dos nossos dirigentes e a sinergia com o Banco Central. Aqui, contando com cooperativas de diversas bandeiras, a DGRV, que é uma referência mundial, une forças com a OCB para contribuir com a qualificação dos dirigentes. Afinal, o atual mercado competitivo exige que os gestores cuidem do capital dos associados”, frisou.

Durante o evento, o palestrante Jayme Wanderley, gerente técnico do Banco Central, apresentou um histórico das normas e resoluções do órgão que impactaram as cooperativas brasileiras nos últimos anos. Foram abordadas as tendências para o segmento, que passam pela incorporação, algo que tem fortalecido as cooperativas como uma prática crescente.

Conceitos e a nova classificação das cooperativas, em obediência à Resolução nº 4434/15, do Banco Central, mostraram o detalhamento das características das sociedades cooperativas de crédito.

O palestrante frisou também a segregação da diretoria, que deve ser considerada não apenas como um registro documental, mas principalmente como uma prática habitual, além da reflexão sobre o enquadramento nas novas classificações.

“O conselho tem a função estratégica e a diretoria, a função executiva. O grande desafio das cooperativas é a busca da sua identidade. No planejamento, ela já precisa pensar e definir também se é pequena ou não”. Outro tema apresentado girou em torno dos fundos obrigatórios das cooperativas, quais sejam o Fundo de Reserva e o Fates.

“As cooperativas, às vezes, criam fundos que podem ser abrangidos pelo fundo de reserva e pelo próprio Fates. Por isso, para criar um fundo novo, é preciso saber o que fazer com ele e se ele já não pode ser suprido pelos fundos obrigatórios”, frisou o palestrante.

Para o cooperado do Sicredi Recife e também membro da AC Brasil Consultoria, Elias Bispo, o seminário foi positivo. “O evento já antecipou as exigências normativas que o Banco Central visa levar às cooperativas de crédito”, afirmou. O presidente do Sistema OCB/PE, Malaquias Ancelmo Oliveira, também avaliou positivamente o evento.

“Este momento é importante para o cooperativismo do Nordeste, tendo em vista a chegada do Sicredi, que traz toda uma configuração nova para a região; o momento do Sicoob também é marcante, com restruturação, fusões e incorporações; além disso, há também a consolidação do Fundo Garantidor das Cooperativas de Crédito (FGCoop), cuja criação foi proposta ao Banco Central pela própria OCB. A presença ativa do Banco central, não só como ouvinte, mas na instrutoria do evento e o apoio do Sebrae também contribuíram bastante”, afirmou.

O seminário foi um dos eventos realizados pelo Sistema OCB/PE e parceiros para o Ramo Crédito. O investimento em cursos de curta e média duração, além de intercâmbios internacionais, como a participação das cooperativas na conferência Woccu, na Áustria, prevista para este ano, são outros exemplos. O seminário regional encerrou com um talk show sobre os temas apresentados pelos palestrantes.

Fonte: Sistema OCB/PE



Publicidade