Encontro do Cooperjovem reúne mais de 170 profissionais em SP

Publicado em: 03 outubro - 2016

Leia todas


Entre os dias 24 e 25 de setembro, mais de 170 pessoas se reuniram para o IX Encontro Estadual do Cooperjovem, com o tema “Projetos Educativos sob o Olhar da Aprendizagem Cooperativa”. Participaram educadores, representantes de secretarias municipais de Educação e colaboradores de cooperativas de nove cidades onde o programa está presente. Durante dois dias, eles discutiram oportunidades de aprimoramento e desenvolvimento de projetos educacionais cooperativos (PECs).

De acordo com a coordenadora do núcleo de Projetos Sociais do Sescoop/SP, Ana Banin, foi um grande trunfo do encontro o aumento de quase 80% no número de participantes em relação ao ano anterior.

“Isso pode ser explicado pelo fato de que desta vez estiveram presentes escolas de muitas cidades que não participaram no último ano, pois entenderam a importância da formação continuada e da troca de experiências que há nos encontros estaduais”, explica.

Segundo a analista do núcleo de Projetos Sociais do Sescoop/SP, Juliana Rodrigues, este foi o encontro com o maior número de cidades presentes. Por isso, o evento foi marcado pela troca de experiências entre as escolas participantes.

“O conteúdo foi muito qualificado e muito necessário para esse momento do programa. Foi bacana trazer o tema da aprendizagem cooperativa à tona porque muitos professores já realizam isso na prática e conhecer mais um referencial teórico também foi de grande valia”, afirma a analista.

GESTÃO DE PROJETOS – Durante o encontro, entre várias atividades, os professores participaram com oficinas de monitoramento de indicadores dos projetos educacionais cooperativos (PECs), com o objetivo de estimular os profissionais a darem continuidade aos projetos mesmo após o término da parceria com o programa Cooperjovem.

De acordo com Ana Banin, a própria temática do evento foi favorável ao momento pelo qual o Cooperjovem está passando. Segundo ela, as escolas precisavam e pediam por embasamento na área de gestão de projetos.

“Sensibilizamos para um cuidado maior no monitoramento dos projetos. A partir de agora precisamos incentivar e sistematizar uma forma única de trabalhar com esses indicadores. Teremos indicadores de cada PEC, mas serão necessários indicadores do programa para além do tema de cada PEC. Então, o desafio é ter uma gestão mais focada no programa e auferir resultados mais confiáveis sobre o impacto do programa nas comunidades onde estamos inseridos”, conclui a coordenadora.

DEPOIMENTOS – Para Ana Flávia Guiaro, coordenadora pedagógica de Mococa, foi um final de semana lindo, com histórias de superação, reflexões sobre a prática e troca com outros parceiros. “Foi enriquecedor e inspirador”, declara.

Na opinião da professora Gisele Geidelis, de Ourinhos, houve muita aprendizagem com as trocas de experiências, oficinas, atividades e palestras. “Quero deixar registrado os meus agradecimentos e minha gratidão a toda equipe do Sescoop e a todos os envolvidos”, diz a educadora. (Fonte: Sescoop/SP)



Publicidade