Evair de Melo defende aprovação de prioridades do cooperativismo no Congresso Nacional

Publicado em: 11 fevereiro - 2022

Leia todas


As cooperativas agrícolas enfrentam um ano desafiador em decorrência de problemas causados pelo clima, juros altos e aumento dos custos de insumos básicos para a garantia da produtividade. Em entrevista, nessa terça-feira (8), para o jornal Agro Mais Tarde, o presidente da Frente Parlamentar do Cooperativismo (Frencoop), deputado Evair de Melo (PP-ES), defendeu a votação de propostas em análise no Congresso Nacional para garantir segurança jurídica e aumentar a eficiência do setor.

Entre os projetos prioritários, o deputado ressaltou que espera para as próximas sessões, a aprovação do Projeto de Lei Complementar (PLP 27/2020), que reformula o Sistema Nacional de Crédito Cooperativo (SNCC). “Essa agenda interessa a todo o setor de crédito brasileiro. O objetivo é democratizar o acesso ao crédito para permitir que as nossas cooperativas continuem ampliando o seu escopo de atuação”. A proposta foi aprovada na Câmara em dezembro de 2021 e aguarda análise do Senado.

A proposta altera a Lei Complementar 130, de 2009, para permitir que as cooperativas de crédito possam disponibilizar novos produtos já existentes no mercado, com mais agilidade e modernidade, bem como atender de forma mais eficaz a demanda por crédito de micro, pequenas e grandes empresas.

O deputado reforçou também a importância de o Senado aprovar o Projeto de Lei 8.824/17, de sua autoria, que permite a prestação dos serviços de telecomunicações por cooperativas. “O país passa por um momento de transformação com a implantação do 5G. As empresas públicas e privadas têm tido dificuldades em democratizar os serviços de acesso a internet. Por meio das cooperativas, podemos alcançar as comunidades menores, onde as grandes operadoras não estão, e levar essa tecnologia até elas”.

Estiagem

Durante a entrevista, Evair também destacou a reunião realizada com a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, para tratar dos problemas climáticos no Centro-Sul do Brasil e das prioridades para o setor produtivo brasileiro. “Essa questão da estiagem não é uma dificuldade imposta apenas ao agro e, sim, a economia global. Buscar soluções e amparar aqueles que ficaram no prejuízo é uma prioridade”, afirmou.

Para ele, apostar no desenvolvimento do cooperativismo é o melhor caminho para mitigar os impactos, principalmente quando se tem um dano que reduz oportunidades. “Por isso, apresentamos uma agenda à ministra para a criação de ambiente com juros menores, mais crédito e mais investimentos. O agro não pode perder sua força de crescimento na produção de alimentos e na balança comercial”, declarou.

O parlamentar disse ainda que se as modificações não puderem ser aplicadas dentro do Plano Safra, uma medida provisória deve ser proposta para que os agricultores prejudicados pela estiagem possam encontrar caminhos para a retomada de suas atividades.

Para conferir a entrevista completa, acesse o link: https://www.youtube.com/watch?v=m_JFUKdir-o


Fonte: Sistema OCB


Notícias Relacionadas:



Publicidade