Ministro Ricardo Barros se reúne com representantes do cooperativismo médico em Maringá

Publicado em: 15 julho - 2016

Leia todas


O ministro da Saúde, Ricardo Barros, participou no último domingo (03/07), em Maringá, Noroeste do Paraná, de uma reunião com presidentes de cooperativas médicas do Sistema Unimed e também representantes da Organização das Cooperativas do Paraná (Ocepar).

Políticas públicas – Realizado no auditório da Unimed Regional Maringá, o encontro teve como objetivo debater políticas de saúde que impactam na condução das operadoras. “Sei que podemos contar com as Unimeds para resolver problemas estruturais da saúde no Brasil”, comentou Barros.
Unimed do Brasil – Entre os presentes, o vice-presidente da Unimed do Brasil Orestes Barrozo Medeiros Pullin, afirmou que a reunião foi importante por aproximar os diferentes atores dos sistemas de saúde. “É uma oportunidade de buscar pontos de contato e desenvolver parcerias público-privadas pelas quais, certamente, conseguiremos superar uma série de desafios.”

Federação – Para o presidente da Federação das Unimeds do Paraná, Paulo Roberto Fernandes Faria, a conversa com o ministro foi ocasião para falar dos anseios das Unimeds e da preocupação com a situação da saúde no estado. “Estamos pleiteando ser reconhecidas como cooperativas pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), o que ajudaria a solucionar muitas dificuldades. Além disso, aproveitamos para falar da possibilidade de abertura de uma linha de crédito para investimento em estruturas de saúde.

Linha de investimento – A proposta de criação de uma linha especial de investimento para as cooperativas médicas, com recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), foi apresentada ao ministro pelo presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken. O projeto, elaborado pela equipe da Ocepar em parceria com a Unimed Paraná, é baseado na experiência de sucesso do segmento agrícola.

Investimento – A intenção, segundo Ricken, é utilizar os recursos para construção, reforma ou ampliação de hospitais, clínicas, laboratórios, ambulatórios e outros estabelecimentos de saúde. “O crescimento e a consolidação das cooperativas médicas é importantíssimo. É uma área em que o cooperativismo atua com bastante vigor e que merece mais investimento. A expectativa é boa, já que o ministro demonstrou conhecimento da proposta e disposição para conversar com o BNDES.”

Avaliação positiva – O resultado da reunião foi positivo, na avaliação do presidente da Unimed Regional Maringá, Daoud Nasser, que enalteceu o interesse de Barros em ouvir do Sistema Unimed contribuições para sua atuação no Ministério da Saúde. “Foi uma conversa produtiva. O ministro é muito prático e demonstrou preocupação em ouvir o sistema de saúde suplementar, não para favorecer, mas com o foco em equalizar a assistência de modo global no Brasil.”

Diálogo – Após considerar as ponderações dos participantes, o ministro comentou sobre a importância do diálogo com o sistema de saúde suplementar. “Anotei as reivindicações, especialmente em relação ao programa de incentivo aos investimentos. É importante que as Unimeds tenham capacidade de se estruturar para continuar prestando um bom serviço, evidentemente, com o apoio do governo e com a compreensão da ANS sobre a diferença que existe entre os planos privados e as cooperativas de saúde.” (Imprensa Unimed Maringá)



Publicidade